Fechando Ciclos

Postado em 15/02/2012 | 2 comentários

Nada na vida é imutável! Estamos sempre acompanhando movimentos, nos movimentando e nos adaptando ao novo, ao inédito e ao diferente. Vivemos o que chamamos de fases e cada uma delas é composta de pessoas e situações. Algumas perduram mais tempo, outras se evadem com a rotação de nossos ciclos de vida.

Adaptar-se a novos ciclos é uma necessidade que exige grande transformação e, portanto, coragem. Significa entre outras coisas, aprender a lidar com as perdas, com o que fica em tempo passado, com o que não pode mais nos acompanhar. E isso inclui muita coisa; amigos, amores, familiares, juventude, bens materiais… Familiares que desaparecem fisicamente, amores que buscam outros caminhos, filhos que assumem a própria vida, períodos de doença e o corpo sentindo a passagem do tempo. E a vida segue em alternância de ciclos prósperos, outros nem tanto, num movimento que foge a nossa vontade. O que nos resta é aprender a fechar os ciclos, dando espaço para o novo e, buscando aprender com o que passou; abrir-se a ensinamentos inéditos. Afinal, a passagem dos ciclos nos é involuntária, mas a maneira como enfrentamos isso é escolha de cada um de nós.

Fechar um ciclo é permitir que ele fique no passado; é aceitar não vivê-lo mais. Isso não tem nada a ver com amar menos ou com ingratidão; desapegar-se das pessoas e circunstâncias não significa esquecê-las e sim deixá-las seguir o próprio rumo, enquanto também seguimos o nosso. Dessa forma harmonizamo-nos com o tempo, com a vida, conosco mesmo e, consequentemente, com as pessoas que nos rodeiam. As pessoas, muitas vezes, estão tão inflexíveis em seus ciclos passados que não aproveitam nem valorizam situações e pessoas que representam o seu presente, em ambas as designações da palavra.

Portanto, bom mesmo é soltar as algemas do passado, virar a página, fechar o ciclo! Abrir a janela permitindo que ondas de luz e calor penetrem em nossa vida, dissipando as trevas de nossos pensamentos obscuros. Depressão, solidão, medos… Jogue fora! Assuma o agora, o que é possível viver e o faça de forma intensa e profícua. Muitas experiências ainda virão, muitos ciclos se fecharão para que outros se abram e essa é a magia da vida, o sentido de viver.

Permita-se ser feliz, escolher a alegria como forma de encarar qualquer dificuldade. Seja quem você é agora, mas não receie mudar, pois a vida nos ensina que aceitar mudanças é amadurecer, tornando-se mais forte e seguro.

 

  • Share/Bookmark

Suely Buriasco Recomenda:

2 Respostas para“Fechando Ciclos”

  1. Beth Garcia says:

    Amiga querida, esse seu artigo fala de coisas que viemos aprendendo ao longo de quase 9 anos numa aula mensal que se dá todo primeiro domingo de cada mês, aqui em Presidente Prudente. É um curso que se chama “O Educador de Essencialidades e as Fases Existenciais”. Essa tal mudança de ciclo que você fala, talvez eu esteja falando besteira, mas cabe perfeitamente na mudança das fases da vida:Infância, Adolescência, fase Adulta e Velhice… Tem muitos de nós, seres humanos, que ainda não saímos sequer da fase infantil, o que nos torna adultos infantilizados,e muitos que ainda não saíram da adolescência, causando na fase que deveria ser a fase adulta, um enorme prejuízo, pois o ser precisará alinhar a idade psicológica e psíquica com a fase em que se encontra a fisiológica. Obrigada, amiga, por tantos esclarecimentos muito úteis. Grande beijo e sucesso sempre!

    Sua amiga,

    Beth Garcia.

  2. Perfeito, Beth!
    Muito bom quando procuramos ampliar nossos conhecimentos e melhor ainda quando os colocamos em prática!
    Seu comentário acrescentou muito, faça sempre isso! Dividir conhecimentos é multiplicar satisfação!

    Grande abraço

    Suely

Deixe um Comentário

Wp Plugin by capn3m0