Família: Árvore de raízes profundas

Postado em 10/07/2017 | 2 comentários

Por Suely Buriasco

Minha tia Candinha gosta de repetir essa definição de família elaborada por seu cunhado Jarbas, irmão do nosso saudoso tio Elias: “Família é uma quadrilha organizada em nome do amor”. Realmente tem todo sentido. O clã familiar não é uma organização perfeita e nem poderia ser já que é formada por seres humanos, mas mesmo sendo uma “quadrilha” o que vale é que seja unida pelo amor.

Conceição e Ormenzindo representam o tronco de uma família que se tornou muito grande com o tempo. Tiveram 10 filhos: 6 meninas e 4 meninos que formaram suas próprias famílias, ramificando mais e mais a árvore dos “Borges de Oliveira”. Sou muito grata por fazer parte dessa árvore e sorver a seiva de tantos exemplos de dignidade, fé, amor e respeito ao próximo. Esse ano faz 30 anos que a vovó Conceição e o vovô Ormenzindo partiram fisicamente, num intervalo de apenas dois meses. Deixaram um grande vazio que tem sido preenchido pelos ensinamentos que são passados pelas gerações que se seguem. A prova disso é o quanto os netos, bisnetos e tataranetos, que sequer os conheceram, continuam a vibrar por cada encontro familiar.

Duas vezes por ano a família se movimenta, os irmãos se encontram e toda a grande árvore familiar se sacode em ritmo de comemoração. Julho é o “Esquenta”; janeiro o “Encontro”. Duas festas que são preparadas com grande alegria e dedicação: encontro dessa quadrilha unida pelo amor. São momentos indescritíveis, fonte de energia benfazeja que inunda todos os presentes, hoje várias gerações. Os que não podem ir, mandam mensagens, vídeos e vibram com as notícias da festa; os que vão se emocionam, divertem e renovam a alegria e união familiar.

São dois encontros físicos, mas via internet, em um grupo social, nos falamos todos os dias transmitindo e recebendo vibrações carinhosas e ensinamentos inesgotáveis dos filhos da D. Conceição e “Seu” Ormenzindo. Trocamos notícias, fotos e comentários relevantes para que todos estejam à par de tudo o que está acontecendo na grande árvore familiar. Comemoramos juntos aniversários, vitórias pessoais e brindamos a cada nascimento de novos ramos. Tudo com muita alegria e amor assim como fazia a vovó Conceição que não conheceu esse recurso digital, mas sempre fez essa rede familiar funcionar através de cartas que mantinham todos ligados.

E é assim que seguimos fortificados por nossas raízes e nos mantemos firmemente ligados ao troco que nos sustenta e inspira. Herança de Conceição e Ormenzindo que prospera e fecunda incessantemente. Gratidão vovô e vovó!

  • Share/Bookmark

Suely Buriasco Recomenda:

2 Respostas para“Família: Árvore de raízes profundas”

  1. Betinha Garcia says:

    Emocionada com seu artigo, minha querida! Meus pais se separaram quando eu era criança. Sou a caçula de seis filhos que tiveram. Meus irmãos e irmãs mais velhos foram tomando seus rumos na vida, já que nossos pais eram inimigos…Sinto muita tristeza ao falar sobre isso, mas enfim… Hj, eles dois já não existem mais, meus irmãos e eu quase não nos vemos ou falamos, apesar de todos termos acesso à tecnologia, telefonia, virtualidades… Sinto que algo muito grave possa ter ocorrido no seio dessa família que se desestruturou quando eu ainda era muito pequena e isso é mantido em segredo… Talvez as razões de todos serem tão afastados possa estar nesse ou nesses segredos que nunca tomei conhecimento. Uma pena! Fico triste com isso, principalmente por ter me divorciado depois de trinta anos de um casamento regado à jogos de azar, alcoolismo e traição. Mas de uma coisa fiz e faço questão: sempre fui clara e objetiva nos tratos com os assuntos familiares. Poupava meus filhos apenas enquanto eram pequenos, mas quando cresciam um pouco e já eram capazes de entender melhor as situações, sempre dialogava com eles e os colocava a par de tudo que pudesse estar acontecendo no seio da nossa família. Não sei se isso era o correto a ser feito, porém, acredito que agi assim porque muitas coisas me foram escondidas, assuntos, fatos foram esquecidos, jamais comentados, proibidos. E eu sei o quanto isso é prejudicial ao crescimento de uma pessoa! Hj estou separada do pai dos meus filhos, mas não nos consideramos como inimigos, disso tbm faço questão, porque era triste demais ver o ódio mortal que os meus pais nutriam um pelo outro! Muito triste! Não quero isso para meus filhos, já basta terem os pais separados! Se tiverem que passar por tristezas, decepções, que não seja eu a causadora! Obrigada, Suely, por ser um grande estímulo e um incentivo para que eu possa crescer como ser humano . Um grande abraço e desejos de muito sucesso pra você!

  2. Obrigada por seu carinho, Betinha!

    É sábio usar nossas experiências para crescer e não repetir os erros de nossos pais. Parabéns!

    Abs

    Suely

Deixe um Comentário

Wp Plugin by capn3m0