fbpx

compaixão

2 08, 2021

A autocompaixão aumenta a satisfação com a vida

2021-08-02T18:41:22+00:00

Muitos vão duvidar da afirmação do título e espero que o façam para que juntos possamos desenvolver o assunto e compreender o ensinamento. Há muito tempo a autocompaixão tem sido confundida com autopiedade, recebendo uma conotação negativa e indesejada. Com certeza, pessoas que se colocam sempre como vítimas são consideradas inadequadas; difícil conviver com quem não se responsabiliza por suas próprias escolhas. A autocompaixão não se enquadra nesse quesito, por falta de conhecimento tem sido negligenciada.

Autocompaixão é um sentimento maior pelo qual nos colocamos na vida de forma genuína e real. Para alcançar esse estágio é necessário uma boa dose de autoconhecimento e de aceitação de quem somos, com defeitos e qualidades, como qualquer outro ser humano. É desenvolver a capacidade de tratar-se com a mesma gentileza, compreensão e carinho que trataríamos uma pessoa querida. Afinal, quem pode nos amar mais do que nós mesmos?

Importante observar que não tem a ver com acomodação do tipo: “eu sou assim”. Pelo contrário, conhecer a si mesmo deve ser um impulso para se tornar cada vez melhor. Quando identificamos algo em nós que nos atrapalha na vida ou nos deixa insatisfeitos damos o primeiro passo, mas são os próximos que se tornarão efetivos no nosso processo de mudança e evolução.

A autocrítica estabiliza o ser humano que, por medo de errar, prefere não agir, não ousar, não mudar. A autocompaixão abre um leque de novas possibilidades, pois promove o acolhimento de si mesmo e a aceitação de que todos somos seres falíveis. Isso nos motiva a tentar novamente, a eximir-se da culpa, assumindo a responsabilidade de agir de forma diferente, buscando resultados mais positivos. Nesse sentido Carl Rogers, psicólogo americano, afirma que: “O paradoxo curioso é que quando eu me aceito como eu sou, então eu mudo”.

Kristin Neff – Superando as Objeções à Autocompaixão:

https://www.youtube.com/watch?v=X1avsS9rCkI

Estudiosos do assunto perceberam que “um aumento das capacidades de autocompaixão estava ligado a uma diminuição de depressão, ansiedade, vergonha, sentimentos de inferioridade e comportamento submisso” (Neves 2011). A autocompaixão é, portanto, essencial para a nossa saúde mental e aumenta a nossa satisfação conosco mesmo e, consequentemente, com a vida.

A autocompaixão aumenta a satisfação com a vida2021-08-02T18:41:22+00:00
17 01, 2017

5 Dicas para desenvolver a compaixão e edificar bons relacionamentos

2017-01-17T21:09:02+00:00

Suely Buriasco

A compaixão é uma virtude que nos torna mais humanos, capazes de edificar bons relacionamentos e serenidade na alma. Ao nos compadecer legitimamos a dor do outro e entendemos suas reações. Sentir a dor alheia é criar energias empáticas de amor e compreensão. No entanto, o poder da compaixão vai muito além do sofrer junto, representa essencialmente a vontade de ser útil, ou seja, o foco é a solução. Por isso, quem tem compaixão é capaz de transformar situações ruins em benéficas.

Considere algumas dicas para desenvolver essa virtude:

  1. Perceba o outro

Inicie um processo de observar mais as pessoas de sua convivência, tente entender a forma como elas reagem diante das situações que se apresentam.

Use dos eventos cotidianos para desenvolver essa força interior que propiciará maior sensibilidade em relação aos que cercam você. Pequenos atos de doação proporcionam tamanha satisfação que você sentirá motivação para ampliá-los.

  1. Saia do casulo

Todas as pessoas têm seu próprio quinhão de dor e dificuldade e, se você seguir o item acima concluirá que, nem de longe, você é a única pessoa a precisar de atenção. Deixe de concentrar-se apenas nas próprias dores e faça com que a piedade desperte seus melhores sentimentos. Ninguém é vítima, todos desejam aprimorar escolhas e encontrar a felicidade, mesmo que, aparentemente, não saibam como fazê-lo. Pensar assim fará com que você sinta maior disponibilidade em ser útil e ajudar.

“A principal razão da existência humana é a felicidade e a compaixão é a característica mais marcante do ser humano”. Dalai Lama

3- Desenvolva a empatia

Procure entender as pessoas sob a ótica delas, o que elas sentem a partir das concepções e valores que possuem. Não antecipe conclusões baseadas no seu contexto de vida. Não faça julgamentos infrutíferos e concentre-se no que você pode fazer. Compreendendo a situação da forma como o outro vê, você terá maior clareza do que pode fazer para ser útil.

  1. Seja tolerante e paciente

Tenha boa disposição para ajudar as pessoas o máximo que puder. Seja tolerante e tenha compreensão, principalmente em relação às pessoas difíceis e ingratas. Lembre-se que não é sobre o que elas fazem, mas sobre como você se sentirá diante de suas próprias ações.

  1. Reconheça seus semelhantes

Compaixão essencialmente é reconhecer que somos todos seres humanos, com aspirações e necessidades. Precisamos uns dos outros para evoluir, motivar e superar nossas dificuldades. A constatação dessa verdade facilita a empatia e os relacionamentos.

Dalai Lama afirma que “a principal razão da existência humana é a felicidade e que a compaixão é a característica mais marcante do ser humano”.

É de grande importância refletir sobre o altruísmo universal e o nosso grau de responsabilidade pelo bem comum. É essa noção de universalidade que promove o desejo de ajudar as pessoas a superar seus problemas e a satisfação íntima de ter cumprido com o nosso dever como humanos.

 

5 Dicas para desenvolver a compaixão e edificar bons relacionamentos2017-01-17T21:09:02+00:00
WhatsApp chat