fbpx

coragem

17 05, 2020

A esperança não pode morrer

2020-05-17T23:26:17+00:00

Mário Sérgio Cortella, teólogo, filósofo e professor lembra a importância de entender esperança como sendo do verbo esperançar e não do verbo esperar. O verbo esperançar significa “levantar-se e ir atrás; agir; construir alternativas e soluções; levar adiante uma ideia, um projeto; nunca desistir”. Esperançar é almejar, sonhar, agir, buscar. É, na verdade, o contrário de esperar, apesar de muitos confundirem.

 

O mínimo que precisamos é saber que esperamos por algo de importância para a nossa vida e, o máximo, é quando vivemos para fazer isso acontecer. Abrimos nossos olhos a cada dia porque temos esperança, vislumbramos oportunidade de novas possibilidades. Se há algo que não se pode perder jamais é a esperança.

 

Assim, em momentos de dificuldade vale usar de algumas estratégias para manter a esperança em alta:

 

Considere as coisas incríveis que você já fez

Ninguém está sempre bem humorado, muito menos diante de dificuldades. Lembrar do que você já superou e conseguiu transformar na sua vida é uma forma de criar mecanismos de enfrentamento que, certamente, o colocarão em posição de focar nas possíveis soluções.

 

Cerque-se de otimismo

Se você tem um problema tudo o que não precisa é de pensamentos desfavoráveis ou pessoas negativas que, certamente, inflexibilizarão a sua iniciativa de enfrentamento. Substitua reclamações, não se permita o papel de vítima e afaste-se das “âncoras”, seja pessoas ou situações. Procure manter-se informado da realidade, não para se influenciar, mas para conhecer o que vai superar.

 

Busque apoio na fé

A fé pode ser uma grande fonte de inspiração, se não a maior. Se você acredita em Deus encontre esperança numa oração sincera, dedique-se a ações que o façam se sentir mais próximo Dele. Ter fé em uma Divindade facilita acreditar em você mesmo, na sua própria capacidade. A confiança em Deus promove a confiança em si mesmo.

 

Seja corajoso

Manter a esperança exige coragem para agir, para enfrentar. O medo é natural diante das dificuldades que nos desafiam, corajoso é quem o enfrenta, afastando o pânico, esse sim sempre nefasto. O medo é uma emoção positiva no sentido que nos deixa alerta ao perigo, a coragem faz nascer a certeza de que é possível vencer.

 

Se você quer manter a esperança em sua vida só tem que se aliar a ela, procurando o lado bom de todas as situações e agindo por um bem maior. Esperança é acreditar e agir!

 

Suely Buriasco

Mediação de Conflitos e Coaching

A esperança não pode morrer2020-05-17T23:26:17+00:00
26 04, 2020

O normal pós-pandemia

2020-04-26T23:51:35+00:00

Temos muito mais perguntas do que respostas e isso parece ser também algo muito novo, estamos acostumados a “saber” e ter respostas, mesmo do que não sabemos de fato. Entretanto, vivemos uma realidade em que nem a ciência tem as respostas que precisamos e isso é muito assustador. A pandemia provocou uma crise generalizada fomentando, inclusive, uma crise de significados.

 

Para manter o isolamento social estamos restringido muitas coisas que eram absolutamente normais em nossas vidas. As consequências disso são igualmente inimagináveis. Podemos conjecturar e nos dedicar a passar por esse período de forma menos traumática, sem “receita de bolo” já que é exatamente isso que ninguém tem. Nesse sentido parei para refletir sobre as palavras de Luiz Felipe Pondé e baseado na sua entrevista na CNN no programa “Mundo Pós-Pandemia” procurei narrar o que considerei importante para vencermos esse momento que ele compara com a travessia de Moisés no deserto. Alguns pontos a serem considerados:

 

Solidariedade

Ao afirmar que “todos nós somos iguais perante o vírus” o filósofo e escritor me levou a pensar que a pandemia está fazendo muitos entenderem que a solidariedade não é apenas um sentimento, é sobretudo, uma atitude que visa não só o bem do outro, mas de todos, inclusive de quem pratica. É o redescobrir da solidariedade, um dos pilares da Cultura da Paz. “A economia e a vida caminham juntas”, não se pode exigir nada de quem não tem o mínimo.

 

Relacionamento

Em tempos de isolamento social a saída tem sido os encontros digitais. Mas conforme afirmou Pondé: “a vida é presencial”. Precisamos do contato físico, do abraço, do estar junto. Haverão muitos reencontros felizes no pós-pandemia, muita alegria mas, com o passar do tempo, isso também tende a se normalizar. Por isso é tempo de valorizar mais os familiares e amigos, os que se mantiveram conosco, mesmo à distância.

 

Luiz Felipe Pondê enumerou dicas básicas para manter a saúde mental nessa travessia. Tentarei expô-las o mais próximo do que ouvi:

  1. Não queira ser controlado – a solução não está no outro, não queira que o outro resolva por você. Assuma a responsabilidade do que lhe compete e aja.
  2. Cultive a coragem – Combata em você a percepção que o outro é um transmissor do vírus. Não deixe de dar bom dia, sorrir, mesmo de máscaras. O convívio social diminui o medo. É preciso cultivar o mínimo de humanidade.
  3. Não entre em pânico – Cuidado com a paranoia, “o medo atraia a morte”. Todos os cuidados indicados pelos especialistas são importantes, mas não se esqueça da sua saúde mental.

 

Isso tudo vai passar e, gradualmente, tudo vai voltar ao normal. O que não podemos permitir, e nisso discordando do filósofo, é que essa travessia não provoque mudanças promissoras. Podemos e devemos criar um novo normal, mais significativo e próspero para as nossas vidas.

O normal pós-pandemia2020-04-26T23:51:35+00:00
29 08, 2016

A sorte segue a coragem

2016-08-29T15:13:20+00:00

Viver exige audácia, determinação, coragem. Não foi sem razão que o escritor irlandês Oscar Wilde escreveu: “Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe”. Existir é acomodar-se, viver miseravelmente em zona de conforto, conformar-se com a insatisfação. Viver é atrever-se, crescer e transformar-se. O respeitado filósofo contemporâneo Mario Sergio Cortella repete essa frase atribuída ao romano Ênio, filósofo romano: “A sorte segue a coragem”.

É bem isso, as pessoas querem ter sorte, mas muitas vezes, não param para pensar que até para ter sorte é preciso competência. Ou seja, a sorte também é um estado que se busca através do desenvolvimento e evolução de habilidades. Ninguém alcança sucesso simplesmente por sorte e sim por desenvolver virtudes capazes de alavancar o seu poder para a conquista almejada. Sorte é mérito!

Quando uma pessoa alcança um cargo melhor, um casamento feliz ou qualquer outra forma de sucesso, costumamos dizer: “Ele tem estrela”. E é possível que tenha mesmo, no entanto, sempre existe algo a mais para que o êxito tenha perpetuidade. Uma carreira profissional exitosa é pautada em grande dedicação que inclui muito preparo e até sacrifícios. A pessoa que tem sucesso profissional é alguém que focou nisso e se aprimorou para a sua execução. Um campeão não acontece simplesmente, ele é moldado com muito treino e preparo.

Também é comum atribuírem à sorte o sucesso dos relacionamentos, dizendo coisas do tipo: “Fulano deu sorte, encontrou a pessoa certa”. Mas será mesmo que podemos atribuir ao destino o encontro de pessoas que vivem harmoniosamente? Penso nisso como um grande contrassenso. Relacionamentos são construídos e se baseiam na decisão de cada um em fazer com que funcionem de forma harmônica e feliz. Assim como em tudo na vida, relacionar-se bem exige treino, foco e muita coragem; um trabalho contínuo de aperfeiçoamento.

Para viver plenamente é preciso enfrentar a nós mesmos, nossos medos e imperfeições. Assumir responsabilidades, trazer para si o ofício de fazer dar certo, fazer acontecer.  É necessário moldar-se, lapidar-se, evoluir, mudar e isso exige muito esforço. Significa enfrentar as próprias crenças, reconhecer o que nos limita e nos libertar. Perder o chão para reencontrar-se, renovar-se e reconstruir-se.

É imprescindível ter coragem para nos tornarmos pessoas de sorte.

Suely Buriasco
Coaching e Mediação de Conflitos

 

 

A sorte segue a coragem2016-08-29T15:13:20+00:00
23 08, 2016

Como as Olimpíadas podem inspirar o seu sucesso

2016-08-23T17:14:28+00:00

As Olimpíadas Rio 2016 terminaram com um saldo muito positivo e motivador, afinal, de alguma forma, resgatamos o nosso grito patriótico. Tudo na vida pode representar aprendizado quando nos dispomos a observar, analisar e tirar lições para a nossa melhoria física, intelectual e espiritual. Com essa disposição listei algumas certezas que valem para o esporte e para a vida:

  1. Improvisar é preciso, mas não é a regra

Às vezes é necessário agir de forma súbita, mas a regra é mesmo preparar-se para o jogo. No intuito de alcançar um objetivo, você poderá contornar algumas dificuldades inesperadas, mas é fundamental redirecionar-se para o foco. O improviso é uma ótima ferramenta nas mãos de quem tem preparo para usá-la. Não acredite que você alcançará o que deseja improvisando; prepare-se e treine muito para isso!

  1. Disciplina é fundamental

Um atleta não acontece na sua apresentação, ele vive pelo momento de se apresentar. A motivação é consequência da disciplina na realização das tarefas relevantes para alcançar o que se deseja. A auto-disciplina é um tipo de treinamento do Coaching no qual a pessoa cria novos hábitos, pensamentos e ações, buscando aperfeiçoar habilidades para obter os resultados que procura.

  1. Competir e colaborar podem ter o mesmo sentido

No esporte, no trabalho e até mesmo na vida pessoal somos colocados em situações nas quais é inevitável competir com alguém. O que precisamos ter em mente é que ética e caráter devem estar presente em todos as situações. Competição sadia inclui colaboração e respeito.

  1. Você vai cair e se machucar

O fracasso faz parte do caminho, o obstáculo é teste para a determinação. Dificuldades não podem servir de desculpas para desistir ou adiar seus objetivos, ao contrário, levante-se mais forte a cada tombo e encare a dor como alavanca de superação.

  1. Treino é tudo

Nenhum atleta entra numa competição sem ter treinado exaustivamente. O treino inclui aspectos físicos, mentais e emocionais que precisam ser direcionados ao alcance dos objetivos. Por isso, tanto para o esporte, como para a vida profissional e pessoal, o treinador ou coach é um suporte importante para aprimorar habilidades, manter o foco, insistir no treino e inspirar as pessoas.

Quem não persegue seus objetivos, com coragem e determinação, permanece à mercê do destino, da sorte ou de qualquer outra desculpa que prefira dar. Sucesso exige preparo!

Suely Buriasco
Coaching e Mediação de Conflitos

 

Como as Olimpíadas podem inspirar o seu sucesso2016-08-23T17:14:28+00:00
WhatsApp chat