fbpx

otimismo

28 12, 2020

Bandeirada de 2020

2020-12-28T15:21:50+00:00

Muitos terão na memória que 2020 foi um ano difícil, embora os compreenda, eu não estarei entre esses. Vejo passar dias de grandes aprendizados, muitas vezes dolorosos, mas que deixarão marcas boas na vida de todos os que buscaram maneiras de se adaptar, reagir e manter a saúde física e mental.

Um ano em que a vida saiu do automático. Tivemos que rever muitos conceitos, ressignificar muitas coisas, situações, pessoas. Fomos convidados a parar, reavaliar, mudar… de direção, de pensamento, de enfrentamento. Se por um lado a verdade escancarou descaminhos, por outro nos lembrou a própria essência e, mais que isso, nos mostrou o quê e quem, realmente, nos é essencial.

Esperança

Nunca quisemos tanto que o calendário humano fosse real, ver findar 2020 faz ressurgir a esperança de um novo ano diferente. Não importa que a solução não tenha vindo, a vacina, o remédio… No próximo ano tudo volta ao normal. Normal? Quem sabe um “novo normal” com pessoas mais empáticas e solidárias, preocupadas com a edificação de um mundo “um tantinho só” mais justo, saudável e equilibrado.

Otimismo

Ter uma visão positiva da vida não muda os fatos, mas certamente, muda a forma como lidamos com eles. Penso que 2020 nos mostrou a importância de colocar essa filosofia em nossos dias e, principalmente, provou que isso é possível mesmo diante do caos. O otimismo nos afasta dos extremismos, da revolta, da má administração de nossas emoções. Promover a paz é uma ação dos que já descobriram que a vida é muito mais do que podemos conceber e que, assim como preconizou William Shakespeare: “Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia”.

Especialistas afirmam que na dificuldade as pessoas procuram maior aproximação com Deus. Acho que faz sentido a afirmação de que as pessoas tenderam a valorizar a fé nesse ano. Não importa a religião, mas a busca do Divino é um aprendizado enriquecedor. A fé divina é responsável inclusive pela fé em nós mesmos e é o que nos impulsiona à superação e ao amadurecimento espiritual.

Minha sobrinha pediu uma varinha mágica para o Papai Noel, ela quer acabar com a pandemia, voltar para escola, comprar coisas que as pessoas precisam… Criança é tudo de bom! A mágica vai ficar na imaginação dela, mas podemos nos inspirar no pedido fazendo o que for possível para as mudanças necessárias no nosso mundo.

Eu desejo que 2021 seja um ano pleno de esperança, otimismo e fé.

Feliz Ano Novo!

Bandeirada de 20202020-12-28T15:21:50+00:00
17 05, 2020

A esperança não pode morrer

2020-05-17T23:26:17+00:00

Mário Sérgio Cortella, teólogo, filósofo e professor lembra a importância de entender esperança como sendo do verbo esperançar e não do verbo esperar. O verbo esperançar significa “levantar-se e ir atrás; agir; construir alternativas e soluções; levar adiante uma ideia, um projeto; nunca desistir”. Esperançar é almejar, sonhar, agir, buscar. É, na verdade, o contrário de esperar, apesar de muitos confundirem.

 

O mínimo que precisamos é saber que esperamos por algo de importância para a nossa vida e, o máximo, é quando vivemos para fazer isso acontecer. Abrimos nossos olhos a cada dia porque temos esperança, vislumbramos oportunidade de novas possibilidades. Se há algo que não se pode perder jamais é a esperança.

 

Assim, em momentos de dificuldade vale usar de algumas estratégias para manter a esperança em alta:

 

Considere as coisas incríveis que você já fez

Ninguém está sempre bem humorado, muito menos diante de dificuldades. Lembrar do que você já superou e conseguiu transformar na sua vida é uma forma de criar mecanismos de enfrentamento que, certamente, o colocarão em posição de focar nas possíveis soluções.

 

Cerque-se de otimismo

Se você tem um problema tudo o que não precisa é de pensamentos desfavoráveis ou pessoas negativas que, certamente, inflexibilizarão a sua iniciativa de enfrentamento. Substitua reclamações, não se permita o papel de vítima e afaste-se das “âncoras”, seja pessoas ou situações. Procure manter-se informado da realidade, não para se influenciar, mas para conhecer o que vai superar.

 

Busque apoio na fé

A fé pode ser uma grande fonte de inspiração, se não a maior. Se você acredita em Deus encontre esperança numa oração sincera, dedique-se a ações que o façam se sentir mais próximo Dele. Ter fé em uma Divindade facilita acreditar em você mesmo, na sua própria capacidade. A confiança em Deus promove a confiança em si mesmo.

 

Seja corajoso

Manter a esperança exige coragem para agir, para enfrentar. O medo é natural diante das dificuldades que nos desafiam, corajoso é quem o enfrenta, afastando o pânico, esse sim sempre nefasto. O medo é uma emoção positiva no sentido que nos deixa alerta ao perigo, a coragem faz nascer a certeza de que é possível vencer.

 

Se você quer manter a esperança em sua vida só tem que se aliar a ela, procurando o lado bom de todas as situações e agindo por um bem maior. Esperança é acreditar e agir!

 

Suely Buriasco

Mediação de Conflitos e Coaching

A esperança não pode morrer2020-05-17T23:26:17+00:00
13 11, 2017

Otimismo aumenta a longevidade

2017-11-13T20:28:47+00:00

Suely Buriasco

Pesquisas indicam que a partir dos 50 anos de idade o otimismo e a satisfação com a vida diminuem o risco de morte em até 18%.
Já para os pessimistas a ciência faz um alerta, essas pessoas têm 20% mais risco de morrer precocemente.

Ao nos mantermos otimistas em relação a vida nos adaptamos mais rapidamente as situações de conflito, encaramos os problemas não como o fim de tudo, mas como um meio para atingirmos nossos objetivos. O otimismo nos ajuda a superar os percalços e nos mantém com boa disposição e alegria.

Que não se confunda otimismo com falta de problema. Também não se trata de viver fora da realidade, mas de dar ênfase ao lado positivo das pessoas e situações. A maneira como enxergamos a vida é que faz toda a diferença; o copo meio vazio para uns e meio cheio para outros.

Paul Dolan revelou em entrevista à revista Veja  que “é fundamental unir prazer e propósito e cultivar as relações sociais”.

O economista inglês que passou os últimos dez anos pesquisando o que leva uma pessoa a ser feliz, considera que a felicidade é uma combinação de prazer com propósito ao longo do tempo e diz: “Minha orientação é para que as pessoas centralizem tempo e energia naquilo que realmente lhes faz bem”.

As pessoas que conseguem sentir satisfação na vida são as que definiram o que causa essa sensação e se dedicam a ela. Um simples prazer não passa de um momento ínfimo, que pode até trazer grande sofrimento posterior. Mas se houver nisso um propósito maior, que acrescente um bem-estar duradouro para si mesmo e também para outras pessoas, isso é felicidade. Quem já percebeu que não pode ser feliz sozinho e que, por isso, não tem sentido se envolver em emoções destrutivas, tais como ciúmes e inveja, sente satisfação na vida. E quem sente satisfação não se perde em ansiedade, vive o melhor do momento e é nisso que encontra disposição para ir à busca do que deseja.

A questão que nos deparamos se refere ao ponto objetivo pelo qual se define o sentimento real de satisfação, que é um ponto subjetivo. Saber o que nos causa felicidade é, pois, o início desse trabalho contínuo de escolher viver o melhor de toda e qualquer situação.

Isso sim é dedicar-se a algo que vale a pena!

 

Otimismo aumenta a longevidade2017-11-13T20:28:47+00:00
6 01, 2016

A Gratidão como Filosofia de Vida

2016-01-06T17:22:36+00:00

Por Suely Buriasco

A gratidão é uma emoção benéfica que representa o reconhecimento por um bem adquirido, frequentemente acompanhado por um desejo de retribuição. Pode ter caráter religioso, nesse caso dirigida a divindades, santos ou entidades espirituais; também pode ser dirigida a pessoas e até a situações. O fato é que muitos especialistas correlacionam a gratidão com a liberação da dopamina, hormônio responsável pelo bem-estar e a ocitocina que estimula o afeto e reduz a ansiedade.

Num sentido mais amplo a gratidão pode ser encarada como uma filosofia de vida pela qual a pessoa se coloca num posicionamento efetivo de agradecer por todas as circunstâncias vivenciadas. Essa forma de encarar a vida tem em si uma essência otimista que motiva e leva as pessoas a buscar as transformações que desejam, ao mesmo tempo em que faz com que se sintam merecedoras de receber o bem que desejam na própria vida.

Para ser capaz de viver essa filosofia é fundamental exercitar a gratidão em doses crescentes e continuadas, como se fosse um exercício físico que você começa aos poucos e vai ampliando com determinação e persistência, conforme se sinta capaz. Mas é preciso que se entenda que a gratidão não se refere unicamente ao que você recebe, mas também ao que se coloca apto à receber.

Podemos citar algumas ações de pessoas que vivem essa filosofia ou se preparam para vivê-la:

1- Não alimentam qualquer tipo de revolta, mesmo diante das injustiças que presenciam ou as vitimam, pois enxergam nelas a oportunidade de se tornar ativas para as mudanças necessárias, sentindo-se gratas por isso.

2- Perdoam todos os que lhes infligem sofrimento, afinal os considera instrumentos do próprio aperfeiçoamento. A gratidão, nesse caso, acontece pela satisfação de compreender que cada um é responsável por suas próprias ações, portanto não há porque sofrer por atos alheios.

3- São capazes de grandes transformações éticas e morais já que trazem a si a responsabilidade pela própria vida em qualquer situação. Esse sentimento de capacidade real provoca gratidão.

Novos tempos podem ser inspiradores quando efetivamente nos dispomos a inovar, implantar a filosofia da gratidão é uma forma saudável e eficaz de transformarmos à própria vida, pois quanto mais somos gratos, mais reconhecemos motivos de agradecer.

Para nos inspirar tal filosofia vale considerar o pensamento de Martin Seligman: “Não é a felicidade que nos torna gratos, mas a gratidão que nos torna felizes”.

 

A Gratidão como Filosofia de Vida2016-01-06T17:22:36+00:00
WhatsApp chat