Como contrariar o amor platônico e viver um relacionamento duradouro

Postado em 12/12/2017 | 0 Comentários

Por Suely Buriasco

Na concepção do filósofo grego Platão o amor ideal é desprovido de qualquer tipo de interesse, mesmo o sexual. O professor Clóvis de Barros filho correlaciona esse amor sem interesse como um objeto de desejo, algo que se quer alcançar e, por conseguinte, ao ser alcançado deixa de ser amado. Uma visão um tanto triste do amor que jamais se encontra, pois, ao se encontrar termina.

Existe, sem dúvida, uma tendência humana em desejar o que não se tem e ao tê-lo não mais valorizar. Isso se aplica também aos relacionamentos amorosos e explica muita coisa em relação ao chamado “desgaste da relação”. Entretanto, o fato é que não precisa ser assim. É possível viver em plenitude com alguém de forma duradoura e feliz.

Algumas ações simples desmistificam o amor como sendo um sentimento platônico:

1. Autoanálise

Todos nós mudamos com o tempo e com as experiências que a vida nos proporciona. Muitas vezes o que era bom no início do relacionamento pode provocar grande desagrado agora. Por isso é importante estar atento aos nossos próprios sentimentos, renovando nossas ações de forma coerente.

2. Reconhecimento

Um dos maiores vilões dos relacionamentos duradouros é o esquecimento do que a pessoa representa em nossas vidas. Muitas pessoas acostumam-se tão facilmente com quem convivem que acabam se esquecendo de valorizá-los. É então que vale o ditado: “só dá valor quando perde”. Para manter o amor é preciso cultivar a admiração, o respeito e a amizade, demonstrando a importância do outro na própria vida.

3. Interesse

Para manter seu desejo em alta não deixe que seu relacionamento caia numa rotina frustrante. Surpreenda a si mesmo com pensamentos e gestos amorosos. Insufle a sua potência; faça acontecer o seu desejo! Mantenha em alta o seu relacionamento e o interesse por seu cônjuge. Coloque seu foco nisso e observe o que é preciso que você faça para estimular a alegria e a disposição entre vocês.

Se para amar é preciso desejar, investir no amor é não deixar o desejo se esvaziar. A reclamação de muitos casais que atendo é o desgaste da relação, a falta de intimidade e a acomodação. Isso costuma ser usado, inclusive, para justificar relacionamentos paralelos. O mais interessante é que, mesmo diante desse quadro, alegam amar seu parceiro, então eu pergunto: qual a razão de não procurar a satisfação nele? Pode dar trabalho, requer esforço, mas viver o amor de forma genuína sempre vale a pena.

Suely Buriasco

Mediadora e Coach

www.suelyburiasco.com.br

  • Share/Bookmark

Suely Buriasco Recomenda:

Deixe um Comentário

Wp Plugin by capn3m0