fbpx

admin

Sobre admin

Esse autor ainda não preencheu quaisquer detalhes.
So far admin has created 699 blog entries.
24 05, 2024

5 ações positivas diante de surpresas negativas

2024-05-24T01:38:49+00:00

Às vezes tudo parece ir tão bem e, de repente, você descobre que não é bem assim e se vê em choque. É como dizem: “quando acreditamos que sabemos todas as respostas a vida vem e muda as perguntas”. São as surpresas negativas que nos chegam, muitas vezes, tão subitamente que nos abalam fortemente. O fato é que as vicissitudes quase sempre chegam de forma sorrateira e o melhor é aprender a lidar com isso.

Algumas sugestões podem ajudar:

 1- Não aja de súbito

Diante de qualquer fato inesperado o pior a fazer é reagir, pois dessa forma você não estará visualizando as consequências. O mais recomendável sempre é esperar que passe o momento do choque para que, então, você esteja em condições de agir da melhor forma possível. Tomar decisões diante de algo surpreendente é um caminho que quase sempre leva ao arrependimento.

2- Equilibre as emoções

Diante de surpresas negativas nossas emoções naturalmente entram em desalinho e um turbilhão de hormônios se move em nosso corpo, provocando uma série de abalos físicos e mentais. Passado o choque é preciso buscar o equilíbrio necessário para assimilar a situação e isso não será possível enquanto as emoções estiverem em desalinho.

3- Não se entregue ao medo

O medo é uma reação normal ao desconhecido, mais ainda quando se soma a sensação da perda, do fim, do que é ruim. A insegurança é um sentimento normal diante disso, mas é preciso agir de forma a enfrentá-la e superá-la. O medo é um elemento importante de defesa natural, mas pode prejudicar muito quando não controlado.

4- Aceite o inevitável

Quando não se tem nada a fazer para mudar o ocorrido, negá-lo ou se revoltar só vai tornar as coisas mais difíceis. A aceitação é muito importante no processo de superar o acontecido e refazer a própria vida. Quanto mais você adiar esse enfrentamento, mais difícil poderá ficar a situação e, consequentemente, maior será o sofrimento. Tenha em mente que a revolta é um fator complexante e destrutivo.

5- Cuidado com a tristeza

Sentir tristeza diante de perdas e vicissitudes é natural; inclusive é saudável viver o momento, principalmente o luto. Mas é preciso ter cuidado com a tristeza continuada, que extrapola o tempo e se intensifica com ele. Nesse caso o sentimento normal pode se transformar em depressão, tornando-se uma doença com graves consequências. Cultivar a alegria mesmo na dificuldade, sorrir mesmo que em lágrimas harmoniza mais facilmente a mente e não permite que você se entregue para o papel degradante de vítima.

A frase de James G. Bilkey: “Você nunca será a pessoa que você pode vir a ser, se pressão, tensão e disciplina forem retiradas da sua vida” nos incentiva a profundas reflexões.

Surpresas negativas geram pressão e tensão que podem ser positivas quando dirigidas à superação porque fortalecem; fazem com que a pessoa saia da zona de conforto e busque possibilidades. No entanto, para dar a volta por cima disciplina é um elemento fundamental, pois é através dela que sobrepujamos as nossas próprias dificuldades no manejo da situação.

5 ações positivas diante de surpresas negativas2024-05-24T01:38:49+00:00
25 03, 2024

4 razões para transformar decepções em compreensão

2024-03-25T18:51:11+00:00

Escuto pessoas dizerem que para não se decepcionar o melhor é não ter expectativas. No entanto, é difícil conviver sem esperar o melhor. O fato é que as decepções fazem parte da vida e é preciso desenvolver a habilidade necessária para conseguir lidar com as próprias emoções.

Se mesmo diante das decepções você sente que vale a pena investir nesse relacionamento então vale analisar algumas questões:

  1. Observe se você não espera demais

Nesse caso você precisa definir se o problema não é realmente o excesso de expectativa. Pense:

  • É importante esperar sempre o melhor das pessoas, desde que levemos em consideração as possibilidades delas.
  • Também é preciso observar que, com o tempo, as pessoas perdem o encantamento inicial.
  • E então conclua se a pessoa não é como você imaginava que fosse, ou apenas não possui todas as características ideais para você.
  1. Valorize a realidade

Olhar a pessoa com seus defeitos e qualidades requer amadurecimento. Pense:

  • Não existem pessoas totalmente ideais, até porque o ideal pertence ao pensamento e não à realidade.
  • Ao valorizar a pessoa como ela é nos abrimos à possibilidade de reconhecermos qualidades que não havíamos percebido.
  • A pessoa que se sente valorizada tende a esforçar-se mais em adquirir e ampliar qualidades.
  1. Dê ênfase ao que lhe causa admiração

Procure considerar as qualidades da pessoa, dando maior ênfase à elas até mesmo em seu pensamento.

  • Não permita que a decepção ofusque tudo o que a pessoa já fez de bom e que foi importante para você.
  • Troque um pensamento de mágoa, por um de admiração. Use de grande sinceridade nisso.
  • Já que não tem como esquecer a frustração, ao menos não a valorize tanto e procure pensamentos mais sadios.
  1. Implante o perdão na relação

Basicamente o perdão deve ser cultivado porque todo ser humano precisa dele. Pense:

  • Ao provocar decepção em alguém, como você gostaria que essa pessoa reagisse? Lembre-se que todos somos falíveis.
  • Quando você perdoa, dá a si mesmo, em primeiro lugar, nova oportunidade de confiar e seguir adiante.
  • Perdoando você se afasta da indignação e encontra a paz.

Perdoar as decepções é encontrar amadurecimento emocional, aprendendo a reger a própria vida. Importante observar que perdoar não significa conviver, como já alertei acima busque observar se vale a pena investir no relacionamento. Lembre-se que você é a pessoa mais importante da sua vida.

4 razões para transformar decepções em compreensão2024-03-25T18:51:11+00:00
18 03, 2024

10 meios de envenenar uma relação amorosa

2024-03-18T19:22:19+00:00

Um motivo frequente para o desgaste das relações amorosas é o comodismo dos cônjuges. Tudo no mundo é mutável e está em contínuo movimento, assim também estão as pessoas. Quando um dos cônjuges se acomoda na relação age como se nada pudesse mudá-la e, mesmo estando insatisfeito, permanece passivo. Em algum momento esse sossego vai acabar e o susto pode ser muito grande.

Se você não quer ser pego(a) de surpresa melhor refletir sobre como alguns venenos são aplicados nas relações:

  1. Julgar e condenar

Você nem sabe direito o que houve e explode em considerações desequilibradas. Tirar conclusões antecipadas contra o cônjuge é uma forma comum de aplicar veneno no relacionamento.

  1. Falar mais do que ouvir

É muito desmotivador tentar falar com o cônjuge e ele não dar atenção, pior ainda é quando interrompe para suas próprias considerações. Quer intoxicar a relação? Não dê ouvidos ao seu cônjuge.

  1. Guardar rancor

Nada como não perdoar e alimentar mágoas para adoecer um relacionamento. Pessoas amarguradas e rancorosas correspondem a uma potente droga que degenera e vicia tudo o que as rodeia.

  1. Ser fechado e distante

Não compartilhe seus sentimentos, mantendo-se afastado(a) e alheio. Isso é ótimo tanto para perder o cônjuge, como para destruir a sua autoestima. Assim você acaba fazendo dos pequenos problemas, obstáculos intransponíveis.

  1. Estar continuamente bravo(a)

Pessoas coléricas e mal-humoradas são campeãs no quesito solidão e não é para menos, são exageradas em suas manifestações tornando-se inconvenientes, chatas e antissociais.

  1. Generalizar sempre para o negativo

As afirmações do tipo “você sempre age assim” e “você nunca me agrada” são extremamente desconfortáveis e conclusivas, passando a impressão de que nada pode ser feito e a relação já está condenada. Isso é desestimulante!

  1. Não ser gentil

Ser mais educado(a) com estranhos do que com o cônjuge é altamente tóxico. Ser rude, agressivo e exigente é o mesmo que adicionar ácido; deteriora o relacionamento amoroso.

  1. Querer controlar tudo

Nada mais egoísta do que monopolizar as decisões e determinar com intransigência tudo o que acontece. Aja como se a vida de vocês obedecesse a um controle remoto que você mantém em suas mãos; isso é peçonhento.

  1. Não aceitar discordâncias

Nunca procurar compreender o que o outro diz ou pensa; não aceitar a possibilidade de existir perspectivas diferentes e ser intolerante com tudo o que não corresponda a sua forma de pensar e agir.

  1. Ser melindroso(a)

Magoe-se com tudo, olhando sempre para si mesmo como se fosse o centro do universo. Leve tudo como ofensa pessoal e se coloque sempre no papel de vítima, de agredido e fragilizado. Seu cônjuge, certamente, acabará se cansando de tanto “pisar em ovos”.

Prestar atenção nessas ações, aprendendo a se livrar delas é uma forma sábia de evitar que o seu relacionamento amoroso se transforme em raivoso. Fique atento, pois, como escreveu G K Chesterton: “O modo para se amar qualquer coisa é perceber que ela pode ser perdida”.

Capitou?

10 meios de envenenar uma relação amorosa2024-03-18T19:22:19+00:00
12 02, 2024

Como vencer a dependência emocional

2024-02-12T21:50:32+00:00

Na dependência emocional a pessoa se coloca totalmente subordinada a outra sem a qual não se sente segura nem mesmo para assumir as pequenas responsabilidades da vida. O bem estar e segurança pessoal estão intrinsicamente relacionados à presença do outro. É, assim, um grave entrave para os relacionamentos saudáveis, sendo responsável por um dos maiores sofrimentos dos seres humanos.

Origem

A dependência emocional pode ter origem numa educação rígida na qual os pais, bloqueando a liberdade dos filhos, os treinam para sempre dependerem deles. Na fase adulta esses filhos transferem para outra pessoa, normalmente um cônjuge e, na falta deste, um filho, a responsabilidade de cuidar deles.

Em casos mais agudos, a dependência emocional provém do sentimento de rejeição que pode ser real ou imaginário por parte de pessoas significativas em sua vida. Ao não se sentir amada a pessoa passa a viver de conformidade com a vontade do outro na tentativa desesperada de agradar, de se sentir aceita e, principalmente, de não ser abandonada.

Baixa autoestima

A dependência emocional é sempre acompanhada de carência excessiva. O dependente emocional se mostra uma pessoa fragilizada e fraca, que pode causar muitos desequilíbrios em qualquer tipo de relacionamento. Dificilmente uma relação verdadeira e autêntica suporta isso por muito tempo.

Suas emoções só podem depender de você mesmo

A busca da independência, por outro lado, não significa o isolamento. Todos nós dependemos de atenção, afeto, carinho, amor; o problema está no exagero que leva a pessoa a acreditar que não vive sem a outra. Qualquer relação deve ser baseada em trocas equivalentes e supõe pessoas inteiras, cientes de suas emoções, opiniões, crenças e valores.

Vencendo a dependência emocional

Se você se identifica como dependente emocional, precisa avaliar os motivos que o levaram a envolver-se em tamanha insegurança. A partir disso é possível iniciar o trabalho de ajustar-se psicologicamente, assumindo suas próprias emoções e responsabilidades. Nem sempre é um trabalho que se possa realizar sozinho, nesse caso não tarde em procurar ajuda profissional.

Isso jamais será possível sem autoconfiança, portanto o caminho é o de se redescobrir, entrando em contato com seu próprio eu. Mesmo que seja penoso é preciso lidar com a raiz do problema, derrubando ídolos e compreendendo o poder de si mesmo.

Lembrando Rubem Alves: “Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses”.

 

Como vencer a dependência emocional2024-02-12T21:50:32+00:00
8 01, 2024

10 maneiras de ser bom para si mesmo

2024-01-08T17:23:52+00:00

Muito se fala em autoestima, mas muita confusão ainda é feita, o amor-próprio é uma aquisição mais complexa e vai muito além de  se encher de mimos. Lembre-se que você é a pessoa mais importante da sua vida. Só quem se relaciona bem consigo mesmo está apto a construir bons relacionamentos com os outros. Então melhor prestar atenção nestas dicas de como ser bom para si mesmo.

1- Priorize-se

Mesmo que isso lhe traga algum sofrimento ou perturbações, nunca renuncie a sua vontade para agradar outras pessoas. Cuide de si em primeiro lugar, pois só assim conseguirá cuidar e ser realmente boa para os outros.

2- Seja verdadeiro(a)

Sua opinião merece ser considerada, portanto, não a omita, expresse seus sentimentos, pensamentos e vontades. Seja uma pessoa afetiva e assertiva, use da autenticidade com educação e respeito.

3- Trate bem de seu corpo

Cuide da própria aparência e, principalmente, da sua saúde. Dê ao seu corpo a nutrição, o exercício e o conforto necessários para melhorar a sua capacidade.

4- Use roupas confortáveis

Parece bobagem, mas é fundamental usar roupas que façam você se sentir bem, que se encaixam na sua personalidade e que sejam um complemento para o seu visual. Não é a roupa que faz você, mas o inverso é verdadeiro.

5- Construa uma boa vida

Pare de deixar a vida levar você, foque naquilo que lhe faz bem e escolha viver como você gosta. Isso não é utopia, claro que nem tudo acontecerá do seu jeito, mas você pode escolher tirar a melhor parte de tudo. Não coloque expectativa nos outros, construa a própria felicidade.

6- Aceite quem você é

Faça as pazes com você mesmo, procure melhorar sempre, mas ame a pessoa que você vê refletida no seu espelho, com qualidades e defeitos, beleza e imperfeições. Aja de forma a se sentir uma pessoa íntegra, inteira.

7- Tenha tempo para você

Claro que você tem muitas responsabilidades, mas nenhuma é maior que estar bem, afinal só a partir disso é que você cumprirá bem suas obrigações. Então dedique-se ao que lhe faz bem: um filme, um livro, escrever, pintar, cantar, dormir… Enfim, faça o que gosta e motive-se.

8- Admire-se

Você não precisa que outras pessoas demonstrem admiração quando você mesmo reconhece seus esforços para ser uma pessoa melhor a cada dia. Sem prepotência ou arrogância considere suas qualidades e valorize-se.

9- Não olhe para trás

Não há como mudar o passado, então não fique remoendo erros, ofensas ou qualquer coisa que se relacione a ele. Experiências passadas só devem servir para acrescentar maturidade e força em seu espírito. Deixe o velho ir e abra espaço para o novo!

10- Confie em Deus e em você mesmo

Use da oração para se conectar com o Superior e aceite a Sua manifestação na sua vida de forma sincera, vivendo de acordo com a sua consciência. Desenvolva a autoconfiança e se esforce genuinamente para ser uma pessoa melhor e construir uma vida mais saudável, espiritualizada e feliz.

Seguindo essas dicas certamente você se sentirá um ser humano merecedor de grandes alegrias na vida e, claro, vai fazer questão delas.

10 maneiras de ser bom para si mesmo2024-01-08T17:23:52+00:00
8 01, 2024

8 dicas para ser mais otimista em 2024

2024-01-08T17:07:54+00:00

Ser otimista tem a ver com escolha, isso mesmo, é possível optar pelo tipo de humor que se deseja. Logo pela manhã você pode escolher sair da cama com disposição ou prolongar o cansaço da noite anterior. Algumas dicas facilitam essa escolha que tem o poder de fazer o seu mundo mais brilhante:

  1. Viva o presente

Uma frase de Antoine de Saint Exupéry elucida muito bem esse pensamento: “Viva o hoje, porque o ontem já passou e o amanhã talvez nem chegue”. É importante fazer planos, mas não se pode viver deles, a vida acontece no presente, assim não deixe que as preocupações perturbem sua paz.

  1. Observe suas necessidades pessoais

Cuide de você mesmo em primeiro lugar, pense em suas necessidades e invista no que lhe causa bem-estar. Longe de ser egoísmo, essa atitude demonstra maturidade, afinal você não será um bom marido ou boa esposa, pai ou mãe, filho ou filha se estiver insatisfeito. Para ser bom para os outros, você precisa ser, primeiramente, bom para si mesmo.

  1. Alimente pensamentos positivos

Não deixe se contaminar com energias inferiores, o mundo já está tão cheio delas, pense em coisas agradáveis e se concentre em objetivos superiores. Afaste-se de tudo que provoque desânimo e inquietação. Um livro, um filme, qualquer coisa que inspire bons pensamentos. Trabalhos voluntários são, comprovadamente, fontes de alegria e disposição.

  1. Conviva com pessoas alegres

Boas energias também contaminam, e muito. Por isso procure conviver com pessoas dispostas, que falam e agem no bem, que buscam realizar sonhos e acreditam em seu próprio potencial. A alegria é uma forma de viver a vida, essa escolha não muda as situações, mas altera totalmente a maneira com que você lida com elas.

  1. Equilibre as suas emoções

Nunca tome uma decisão de “cabeça quente”, isole-se no momento do desequilíbrio, faça exercícios respiratórios, serene a mente e se desapegue de emoções negativas, tais como a ira. Experimente algumas técnicas como meditação, yoga, enfim… Observe o que faz você se acalmar e se dedique a isso antes de qualquer atitude que fará você se arrepender depois.

  1. Aprecie as coisas simples

A vida já é tão cheia de complicações. Faça acontecer momentos de tranquilidade e se deleite com eles. A natureza é grande fonte de paz e bem-estar, procure caminhar em um bosque, acompanhar a vida de uma flor, cuide de animais dóceis e se dedique aos prazeres simples como brincar com seus filhos e parar para um bate-papo despretensioso com a pessoa que você ama.

  1. Mexa-se

Claro que você sabe que os exercícios físicos aumentam a produção da endorfina e, consequentemente, o seu prazer. Exercitar-se faz bem ao corpo e, essencialmente à mente, pois, o cérebro bem oxigenado propicia melhores condições de desenvolver pensamentos mais confiantes.

  1. Espiritualize-se

A fé tem grande poder de transformar a vida da pessoa e inspirar a esperança. Independente da religião, a oração é uma porta poderosa para o bem-estar, a segurança e a paz.

Caso você não consiga por si só seguir esses passos, procure ajuda profissional, não se permita viver triste, negativo e insatisfeito. O otimismo é uma disposição mental que tem o poder de inspirar a transformação necessária para que a vida seja plena de satisfação, mesmo diante das dificuldades.

8 dicas para ser mais otimista em 20242024-01-08T17:07:54+00:00
27 12, 2023

Passo a passo rumo aos seus objetivos

2023-12-27T19:29:33+00:00

Diante da expectativa de um novo ano é natural fazermos planos em torno de objetivos e sonhos que consideramos importantes para a nossa satisfação plena. No intuito de evitarmos frustrações é interessante observarmos que não basta querer; o primordial é fazer acontecer. Assim, nossos desejos mais facilmente se tornarão realidade pela execução de um projeto claro e bem analisado.

Mas como executar um planejamento didático, de fácil entendimento e que nos mantenha focado em nossos objetivos? Vale as dicas em passo a passo:

1º) Reflexão. Você não vai a lugar nenhum sem saber para onde quer ir. O momento é de avaliar seus desejos, perspectivas e possibilidades de execução. Lembre-se que a escolha de um objetivo pode significar alguma perda, então muito cuidado para não inverter valores, optando por coisas que não sejam de real importância na sua vida. Responda para si mesmo essas questões: O que realmente eu quero? O que ganho ou perco com isso? Vale a pena?

2º) O próximo passo refere-se a uma análise mais específica de seu objetivo. Ele é desafiador? É importante que não seja nem tão fácil que você não precise desprender esforços, nem tão difícil que você não se sinta em condições de executá-lo. Os desafios nos impulsionam e nos mantêm motivados na vida.

3º) Agora é preciso que você defina uma data final para que seu objetivo seja alcançado. Digamos que você especifique o final do ano, então você sabe que terá doze meses para agir. Isso é muito importante para a formação das metas que são, na verdade, o que é preciso realizar em pequenos períodos, no caso, meses, para alcançar a data final com sucesso.

4º) Feita a escolha do objetivo e determinado o tempo, agora é papel, lápis e borracha nas mãos. A importância do papel é você ter seu plano materializado; visualizá-lo faz toda diferença. O lápis e borracha também têm um sentido específico: você saber que é o arquiteto de seu plano e que, portanto, pode apagar e reescrevê-lo quantas vezes quiser ou achar conveniente. Isso evitará que você desista de seu objetivo final quando as coisas não saírem exatamente como você previa.

5º) Então é o momento de traçar seu plano. Desenhe uma linha vertical de cima para baixo terminando com uma seta, abaixo escreva claro e sucinto o seu objetivo. Ex: Emagrecer 10 quilos; trocar de carro; escrever um livro; renovar seu casamento; vencer um vício, adquirir determinada virtude e assim por diante. Lembre-se que você pode ter mais de um objetivo, mas é recomendável que trace planos separadamente.

6º) Muito bem, estamos quase lá. Divida a página em linhas horizontais no número que achar conveniente, mas é importante que o período de tempo seja curto para você não desanimar. Assim, se seu plano é para estar pronto em dezembro de 2024, conforme o exemplo acima; trace doze linhas que corresponderão aos meses. As linhas horizontais correspondem as metas por período que você precisa vencer para alcançar o objetivo final. Isso vai facilitar muito! Lembre-se que nas linhas horizontais você pode escrever e apagar, ou seja, adaptando e criando novas alternativas. É preciso estar preparado para o inesperado, criar espaço para as coisas novas. Mantenha intacta, no entanto, a linha vertical; esse é seu grande objetivo e você pensou muito bem antes de elegê-lo, lembra-se?

Seguindo essas dicas você criará em sua mente uma tendência comportamental que o colocará mais apto à realização de seus objetivos e mesmo de um grande sonho. Acredite que você tem esse poder e se dedique a criar programações mentais positivas com foco em suas prioridades.

Desejo-lhe muita sorte, lembrando que até para ter sorte é necessário ação e competência!

Passo a passo rumo aos seus objetivos2023-12-27T19:29:33+00:00
30 11, 2023

6 lições que pessoas felizes já aprenderam

2023-11-30T23:38:55+00:00

Você tem a impressão de que as outras pessoas são mais felizes do que você? Acha que para os outros as coisas são mais fáceis do que para você? Acredite que tem muita gente pensando assim e sofrendo com isso também. O grande problema é que com esse tipo de pensamento é muito provável que você esteja sabotando a sua felicidade.

Preciso levantar aqui as seguintes questões:

  • Lembre-se de que as aparências enganam. É muito comum que pessoas infelizes se dediquem a fazer postagens que mostrem o contrário.
  • Você pode ver os resultados, mas não se esqueça que não sabe as ações que levaram essas pessoas às conquistas que, realmente, as fazem felizes.

A boa notícia é que você pode mudar esse estado de frustração observando algumas lições e, claro, colocando-as em prática.

  1. Concentre-se em você mesmo

Deixe de perder tempo com a vida das outras pessoas e concentre-se no que você pode fazer para melhorar a sua. Coloque o foco em seu progresso pessoal e direcione suas energias para isso.

Assista ao vídeo: Atitudes mentais para a felicidade

  1. Compreenda que a autoestima vem de dentro

Você é responsável pela forma como se sente sobre si mesmo. Pessoas felizes sabem que sempre existirá quem não goste delas, mas elas não se importam com isso. Sabe por quê? Porque sentem que estão fazendo o melhor que podem. Autoestima é resultado das ações em conformidade com os próprios valores.

  1. Decida-se por ser feliz

Muitas pessoas ficam esperando algo extraordinário acontecer, colocam a expectativa da felicidade em desejos e, assim, perdem muitas oportunidades. Coloque a sua felicidade em relação ao que você tem na vida e não no que você quer ter. Ser feliz tem ligação profunda com a gratidão.

  1. Desapegue-se

Segundo esse site de psicologia: “De um modo geral, podemos dizer que as pessoas desapegadas são tranquilas, estão sempre em paz. Conhecem a sua verdadeira natureza e sabem que o fato e a possibilidade de perderem alguma posse ou se distanciarem de alguém, não vai mudar a sua verdadeira natureza”. Desapegar-se de coisas e pessoas é fundamental para o bem-estar.

  1. Cerque-se de pessoas positivas

As pessoas com quem nos relacionamos influenciam muito na forma como conduzimos a nossa vida. Busque conviver com pessoas que falam e agem com otimismo e boa disposição, que buscam autoconhecimento e progresso. Seja cordial com todos, mas conviva com quem acrescente coisas boas em sua vida.

  1. Seja autêntico

Felicidade para mostrar para os outros não é sentimento e revela, no mínimo, falta de amadurecimento. Aja sempre com sinceridade em todas as circunstâncias da sua vida e você se sentirá muito bem consigo mesmo. Seja absolutamente honesto com a sua consciência.

Lembre-se de que você é livre para fazer suas próprias escolhas, para viver de acordo com seus próprios valores e para lutar pelo que acredita. Aprenda essas lições e faça acontecer a felicidade que você deseja.

6 lições que pessoas felizes já aprenderam2023-11-30T23:38:55+00:00
27 11, 2023

7 Dicas práticas para dar uma guinada na sua vida

2023-11-27T20:43:11+00:00

Todo ser humano almeja a felicidade e o fato é que estagnação não combina com isso. Ninguém é feliz sem buscar crescimento, evolução, uma vida que produza satisfação. E isso dá trabalho, claro que dá! Além de dedicar-se com determinação é preciso que haja uma postura mental positiva capaz de motivar ações fundamentais para que a guinada aconteça.

Se você tem se sentido insatisfeito, observe as sugestões abaixo:

  1. Busque conhecimento

Pesquisas, leituras, cursos, treinamentos… Enfim, viaje em temas sobre os quais você sente afinidade e se aprofunde. Não precisa ser nada muito longo ou dispendioso, mas aprendizado contínuo é fundamental para aprimorar habilidades e inspirar a criatividade.

  1. Crie um ambiente inspirador

O espaço em que você vive influencia muito no seu humor, procure manter tudo sempre limpo e organizado. Você precisa se sentir bem onde trabalha e mora. Quando lido com questões ligadas ao controle emocional com meus clientes, sempre sugiro que observem como se sentem nos lugares que passam a maior parte de seus dias, ou seja, onde vivem e onde trabalham. Isso é mais importante do que você imagina!

  1. Desenvolva suas habilidades

É preciso, inicialmente, reconhecer suas qualidades e características, ou seja, distinguir as tarefas em que você é hábil. Então, foque em seus pontos fortes. Segundo recomendação da Master coach Juliana Garcia: “Busque alimentar seus dons e talentos, pois eles já são sementes florescidas em você. Devemos sempre aproveitar nossos talentos, as nossas habilidades que fluem com naturalidade. Estes são grandes trunfos para nosso crescimento e nossa realização”.

  1. Supere seus medos

Todos sentimos medo, ninguém é totalmente seguro em tudo. A diferença está na forma como lidamos com isso. Para operar uma mudança significativa na sua vida é essencial desenvolver a autoconfiança para superar os medos e avançar rumo aos seus objetivos. Reconheça que os seus medos refletem as áreas que você precisa crescer e se dedique a isso.

  1. Saia da zona de conforto

Observe o sentido dessa frase atribuída a Albert Einstein: “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”. Se o que você deseja é mesmo uma guinada ouse mudar, analise alternativas, arrisque-se. Crescer é consequência de trabalho árduo e muita persistência. O que é confortável não nos ajuda a crescer e, portanto, não causa satisfação. Não se permita estagnar.

  1. Crie desafios

Quando nos sentimos desafiados aumentamos a nossa motivação e focamos em nossos objetivos com maior intensidade. Importante lembrar que desafios são tarefas que exigem nosso esforço e que, com empenho e dedicação, são possíveis de ser realizadas. A melhor maneira de aprender e se aprimorar é agindo. Não espere que as coisas simplesmente aconteçam, desafie-se e faça acontecer.

  1. Inspire-se em quem você admira

Se as pessoas, ao invés de invejar ou criticar, procurassem aprender com as pessoas que conseguiram o que elas querem, facilitariam muito as próprias vidas. Sabe aquela pessoa que você admira muito? Preste atenção nela, em suas palavras e atitudes. Espelhar-se em alguém que se aprecia é uma excelente medida.

O mais importante é assumir, de uma vez por todas, as responsabilidades pela própria vida. Enquanto culpamos pessoas e situações perdemos tempo e energia para fazer o que é preciso. Quer dar um a guinada na vida? Deixe de dar desculpas e comece a agir agora!

7 Dicas práticas para dar uma guinada na sua vida2023-11-27T20:43:11+00:00
20 11, 2023

3 maneiras de controlar as emoções

2023-11-20T19:36:18+00:00

Todo mundo quer ter sucesso pessoal e profissional, mas muitos se atrapalham por conta do descontrole emocional. Claro que as emoções são importantes, desde que não controlem nosso comportamento.

A forma como os indivíduos lidam com suas emoções tem sido alvo de muitos estudos que visam o desenvolvimento da inteligência emocional. Cada pessoa tem, por natureza, uma reação diferente aos estímulos emocionais, mas não há dúvida de que é possível e muito saudável aprender a dominá-los. Sendo o ser humano muito complexo e único, cada um deve encontrar uma maneira que melhor se adapte a si mesmo.

A Dra. Iris Mauss, uma importante pesquisadora americana, explicou, nessa matéria, três estratégias mais amplamente estudadas para alcançar equilíbrio emocional:

  1. Reavaliação

Envolve a maneira como as pessoas pensam e reformulam suas reações emocionais. É uma forma pela qual as pessoas conseguem transformar suas emoções a partir da tomada de consciência dessa necessidade. É muito positiva, pois, trazendo a emoção ao nível da razão é possível avaliar o melhor a ser feito em favor de si mesmo e de suas interações.

pesquisa mostrou que: “Esses esforços são muitas vezes recompensados com emoções mais positivas e menos negativas, bem como resiliência, melhores laços sociais, maior autoestima e satisfação geral da vida”.

  1. A supressão

Equivale ao controle do comportamento em relação à emoção que se vive. Seria como se, mesmo sentindo medo, você demonstrasse segurança sorrindo, por exemplo. É, na verdade, um controle do comportamento da emoção, no qual não se demonstra o que realmente se sente. Essa estratégia pode ser positiva em muitos casos, mas também pode gerar grande estresse se usada continuamente, além de comprometer, em alguns casos, a própria autenticidade.

Os estudos mostraram que: “As pessoas que usaram a supressão foram menos capazes de consertar seus estados de espírito negativos, apesar de mascarar seus sentimentos internos”.

  1. Aceitação emocional

Aceitar no sentido de reconhecer e entender os motivos que fizeram este sentimento aparecer é muito eficaz para aprender a acolhê-lo e superá-lo. A aceitação está relacionada à diminuição das emoções negativas, bem como à resiliência. Assim, a admissão dos próprios limites e o auto perdão podem ter ótima função para o controle emocional.

De acordo com Mauss, o controle emocional não é simples ou fácil de aprender: “Vários fatores, incluindo a cultura, podem tornar diferentes estratégias adaptáveis ou não. O controle da emoção também depende das crenças intuitivas e das mentalidades que as pessoas mantêm sobre suas emoções”.

Portanto, para não deixar que suas emoções controlem a sua vida, reflita sobre as suas crenças, observe se elas não estão limitando a sua felicidade. Esteja aberto a novas ideias, ouse pensar diferente e enxergar novas possibilidades. Aceite que a evolução exige flexibilidade e mudanças positivas.

3 maneiras de controlar as emoções2023-11-20T19:36:18+00:00
15 11, 2023

7 dicas para resolver problemas com maior facilidade

2023-11-15T19:46:42+00:00

Claro que não existe fórmula mágica, cada um precisa encontrar a sua maneira de resolver seus problemas. Lembrando Carl Jung: “O sapato que se ajusta a um homem aperta o outro; não há nada para a vida que funcione em todos os casos”.

No entanto, quando estamos envolvidos emocionalmente nos problemas, muitas vezes, temos dificuldade de encontrar um raciocínio lógico que nos dirija para ações construtivas. Foi assim que pensei em apresentar algumas dicas gerais que podem facilitar a reflexão necessária para cada pessoa encontrar suas próprias alternativas. Vamos a elas:

1.Aceite o problema

Esse é o primeiro passo. Afinal, como resolver algo que você ainda nega? Enquanto resistimos a aceitar que o problema existe, desperdiçamos grande energia e, pior, alimentamos ainda mais seu prejuízo. Direcione suas energias de forma a encontrar alternativas positivas para resolver as questões da melhor forma possível.

2. Identifique a amplitude do problema

Preocupações acabam por distorcer a amplitude das situações difíceis. Tente não alimentar pensamentos negativos sobre o assunto. A mente, nesses casos, pode se confundir aumentando a extensão do problema. Tente ser mais racional e analise melhor a situação.

 3.Procure novos conhecimentos

Conhecer melhor a questão pode diminuir a ansiedade e a insegurança para o enfrentamento do desafio que se apresenta na sua vida. É muito interessante colher subsídios que ajudem você a refletir com mais clareza. O conhecimento afasta o medo em torno de um problema.

 4.Tenha sempre um plano “B”

Você não sabe o que realmente funcionará antes de tentar. O que pode parecer uma boa solução na teoria, pode não funcionar na prática. Então, foco na solução para criar mais alternativas. Se a primeira não funcionar, experimente outra e assim por diante. Não se esqueça que o abecedário não termina na letra “B” e continue criando opções.

 5.Afaste o dever de estar certo

Estar totalmente certo em tudo o tempo todo é um grande desperdício de energia, até porque isso é impossível. Liberte-se dessa carga e, certamente, sua mente estará mais preparada para encontrar a solução que você precisa. A necessidade de estar certo pode fazer você desconsiderar soluções que são exatamente as que você precisa.

 6.Use a Lei de Parkinson

Já ouviu o ditado: “O trabalho se expande de modo a preencher o tempo disponível para a sua realização”. Essa é a Lei de Parkinson que você pode usar a seu favor colocando urgência nas suas ações. Quem tem muito tempo, não tem tempo para nada. Pare de procrastinar, concentre sua mente no sentido de procurar soluções e aja.

 7.Aproveite a experiência

Você pode desenvolver algo de positivo para a sua vida aproveitando as lições que as dificuldades apresentam. Quando vencemos um desafio nos tornamos mais fortes e preparados para os novos desafios que virão. E mesmo quando, de alguma forma, somos vencidos, a experiência também pode ser de grande valia para as nossas vidas. Aproveite as dificuldades e cresça com elas.

Vale lembrar que muitos de nossos problemas são criados por nós mesmos. Por isso você pode se poupar sendo mais proativo, pensando antes de falar e tentando relevar o que for possível. Muitos problemas estão de alguma forma relacionados com outras pessoas, então uma boa maneira de criar menos problemas é melhorar suas habilidades sociais.

7 dicas para resolver problemas com maior facilidade2023-11-15T19:46:42+00:00
25 10, 2023

Seu casamento está por um fio?

2023-10-25T00:08:50+00:00

Todo casamento passa por fases conflituosas que, comumente, se transformam em crises. Através do estudo de muitos casos pude levantar alguns pontos que podem facilitar o seu entendimento quanto a saúde de seu relacionamento.

·      Silêncios injustificáveis

Quando seu cônjuge está com você e fica calado, mas em grupo fala normalmente. A falta de assunto entre os cônjuges é uma evidência gritante de que algo não está certo. Uma forma de entendimento imprescindível para a harmonia do casal é o diálogo.

·      Tédio inexplicável

Vocês não se divertem mais juntos? O tempo lado a lado é muito aborrecido e enfadonho? Cuidado! Nada pode justificar duas pessoas que optaram por estarem juntas sintam tamanho desgosto. Estar junto se transformou em sacrifício? Melhor tomar medidas urgentes antes que o ambiente do lar repugne vocês.

·      Ira em relação ao cônjuge

Qualquer atitude do cônjuge irrita profundamente o outro, pior quando isso acontece de ambas as partes, então vivem trocando “farpas”. Quando o julgamento negativo é uma constante as coisas estão ficando cada vez mais difíceis, não há mais como adiar o enfrentamento da situação.

·      Saturação de assuntos e hábitos

Os cônjuges falam em monossílabos e só se referem um ao outro por necessidade. Mantêm rotinas separadas e descontinuam os hábitos que desenvolviam juntos. Mesmo estando em casa encontram formas de se evitarem e o distanciamento emocional se torna grande.

·      Desassossego no lar

Vocês ou um de vocês chega cada vez mais tarde e encontram qualquer desculpa para não estar em casa? O lar é o lugar de tranquilidade e de paz; deve significar sempre o melhor da vida. É muito preocupante quando o contrário acontece e os cônjuges se afastam cada vez mais. Discussões só intensificam a crise, melhor pensar em como mudar o ambiente do lar.

·      Falta de intercâmbio

Total ou parcial afastamento dos planos que haviam tecido juntos e tudo o que se refere a vida em comum. Falta de reciprocidade é fatal em uma relação. O companheirismo é elemento fundamental num casamento e não pode ser relegado ao esquecimento. Todo cuidado em transformar essa situação é urgente.

Identificar os sinais de alerta é de suma importância para iniciar o caminho de volta e reverter a situação no lar. Claro que muitos outros sinais poderiam estar listados aqui, mas a intenção é chamar a atenção dos cônjuges a tempo de transformar o casamento.

Seu casamento está por um fio?2023-10-25T00:08:50+00:00
9 10, 2023

Liberte-se da angústia

2023-10-09T22:14:54+00:00

Angústia é uma sensação psicológica que se manifesta pela falta de humor e pela insegurança, também apresenta sintomas físicos que se assemelham aos de problemas cardiológicos, como dor no peito e deficiência respiratória. A psiquiatria considera a angústia contínua uma doença que precisa ser tratada.

Vale pensar em maneiras de não permitir que a angústia tome conta de sua vida.

 Racionalize

A angústia é um sinal de alerta de que alguma coisa não vai bem para você, ninguém fica angustiado sem razão. Definir o que faz esse aperto surgir no seu peito pode ser um grande passo para se livrar dele. Muitas vezes, o simples fato de racionalizar o sentimento pode indicar o caminho para superá-lo.

 Desenvolva a autoconfiança

O maior companheiro da angústia é o medo; é ele que oprime e mantém a mente prisioneira. O medo, quando exagerado, paralisa e nos deixa vulneráveis. A força para enfrentar seus medos está em você mesmo. Lute e mude o que tiver que mudar para encontrar paz em sua vida.

 Tente não intensificar os sentimentos

Claro que a vida é coisa séria, mas não precisa carregá-la como se fosse um fardo. Preocupe-se menos e encare o cotidiano de forma mais branda. Quando fixamos muito o pensamento em dificuldades elas se avultam e criamos situações imaginárias de grande temor. É importante dar o devido valor para as coisas, não valorizando demais o que não vale a pena.

 Exercícios respiratórios

Preste atenção na sua respiração; inspire o ar e mantenha os pulmões cheios por alguns segundos; envolva-se nessa sensação de plenitude, estufando o seu peito. Só então expire devagar, procure sentir o ar saindo e com ele toda a opressão, o mal-estar e a dor. Repita esse exercício sempre que sentir seu peito oprimido até alcançar alívio. Sinta seu interior através da respiração e perceba o quanto seu bem-estar é importante.

 Evite se isolar

Pessoas angustiadas tendem a se isolar, dominadas pela introversão. Em casos extremos perdem a capacidade de interagir socialmente como se ficassem paralisadas e é assim mesmo que se sentem. Sabendo disso, não se deixe levar pela tentação do isolamento; nos momentos de dificuldade o que mais precisamos é o convívio com nossos afetos. Procure espairecer e tirar de foco o que está incomodando você.

 Procure ajuda

Altos e baixos são comuns, mas o natural é que a pessoa busque ter uma vida harmoniosa. Se você tem visto apenas coisas negativas a seu redor, precisa rever seus conceitos. E caso não esteja conseguindo sair de sua angústia não tarde em buscar ajuda especializada, no caso, um psicólogo. Não permita sufocar-se, dê um basta no sofrimento, experimente desatar esse nó dentro do peito e respire livremente.

Liberte-se da angústia2023-10-09T22:14:54+00:00
29 09, 2023

Como prevenir o suicídio

2023-09-29T02:22:44+00:00

Instituto Bia Dote, através da campanha “Setembro Amarelo” busca conscientizar as pessoas da necessidade de tratar com seriedade o assunto, lembrando que “A cada ano cerca de um milhão de pessoas tiram a própria vida em todo o mundo. Trata-se de um problema de saúde pública mundial do qual o Brasil faz parte, estando colocado na posição de 8º lugar, em números absolutos, na escala mundial”. Ainda segundo o Instituto citado “O suicídio pode ser evitado em 90% dos casos através de medidas de prevenção e conscientização”. Um número alarmante que responsabiliza a todos por buscar maiores informações no sentido de tratar do tema com a seriedade que sua importância exige.

Observar é fundamental

Definitivo para qualquer situação é não ignorar indícios importantes como a manifestação oculta ou declarada da vontade de “sumir”, “ir embora”, “fugir da vida”, “não aguentar mais”. Disfunções como tristeza profunda e continuada, mau humor generalizado, falta de disposição e mudanças bruscas de atitudes devem ser analisados com muita atenção. A busca da ajuda de profissionais ligados à saúde mental é imprescindível para um diagnóstico seguro, bem como o conhecimento da forma de tratamento indicada. Acreditar que simplesmente “vai passar” pode ser muito perigoso.

Conversar é um caminho

Levando em consideração que a tendência ao suicídio costuma ser muito silenciosa, a aproximação pelo diálogo é de grande relevância. Ouvir o outro, compreender seus sentimentos e reações é uma forma eficaz de sentir o quanto ele precisa de ajuda. Algumas frases soam como verdadeiros pedidos de socorro: “Ninguém se importa comigo”, “Seria melhor para todos se eu sumisse”, “Eu não aguento mais”.

Segundo a matéria “Diálogo é primordial na prevenção ao suicídio; saiba reconhecer os sinais”, a psicóloga Cristina Moura explica que “A gente pensa que o suicida quer morrer, mas na verdade não é isso. Quem pensa em morte está numa situação tão complicada que vê na morte uma saída”.

Em suma, segundo especialistas, as atitudes que podem afastar de alguém a ideia do suicídio são: manter proximidade, demonstrar o quando se importa, escutar, compreender e buscar ajuda profissional.

Como prevenir o suicídio2023-09-29T02:22:44+00:00
12 09, 2023

Porque fazer Análise de Perfil Comportamental?

2023-09-12T19:45:48+00:00

A Análise de Perfil Comportamental é uma ferramenta utilizada para identificar e compreender os padrões de comportamento de uma pessoa. Ela busca analisar as características, habilidades, preferências e motivações individuais, a fim de proporcionar uma visão mais clara sobre como a pessoa se comporta em diferentes situações. Existem diferentes métodos e abordagens para realizar a análise de perfil comportamental. Cada um deles possui suas próprias características e foco, mas todos têm como objetivo principal fornecer informações valiosas sobre o comportamento humano.

É  importante porque permite que as pessoas se conheçam melhor, entendam suas próprias motivações e preferências, e também compreendam melhor os outros ao seu redor. Com essa compreensão, é possível melhorar a comunicação, o trabalho em equipe, a liderança e até mesmo a tomada de decisões. Além disso, a análise de perfil comportamental também pode ser útil em processos de seleção e recrutamento, pois ajuda a identificar o perfil mais adequado para determinada função ou equipe. Também pode ser utilizada no desenvolvimento pessoal e profissional, auxiliando na identificação de pontos fortes e áreas de melhoria, e na definição de metas e estratégias para o crescimento.

A análise de perfil comportamental é uma ferramenta valiosa para compreender e melhorar o comportamento humano, tanto a nível individual quanto coletivo. Ela proporciona insights importantes sobre as características e motivações de cada pessoa, auxiliando no desenvolvimento pessoal, na melhoria das relações interpessoais e no alcance de objetivos.

Porque fazer Análise de Perfil Comportamental?2023-09-12T19:45:48+00:00
1 09, 2023

5 ações que podem desviar jovens do suicídio

2023-09-01T19:13:36+00:00

No Brasil é alarmante o número de mortes entre jovens tendo por causa o suicídio. Isso demonstra que é urgente que nos coloquemos a buscar soluções precisas para mudar essa triste realidade. Essa é uma questão muito complexa, a ideia desse artigo e apontar algumas ações que podem ajudar, sem ter a pretensão de trazer soluções precisas.

1. Apoio incondicional nos momentos de crise

Diante das dificuldades da vida, sejam elas quais forem, os jovens precisam sentir-se seguros e o apoio dos pais é fundamental. Também é importante a amizade, assim um bom amigo pode ajudar muito nessas horas.

 2. Espiritualização

A educação espiritual promove aceitação, fé e espírito de luta, sendo assim de grande relevância para afastar os jovens desse perigo.

 3. Diálogo como fonte de entendimento

Para saber o que se passa com o jovem é preciso estar próximo dele e o meio disso é o diálogo. Ouvir com a intenção de compreender, abster-se de julgamentos e compartilhar sentimentos é a melhor maneira de estar junto.

 4. Demonstração de amor

Jovens com inclinações depressivas e autodestrutivas têm baixa autoestima, não se sentem amados, valorizados e, muitas vezes, acreditam ser um estorvo na vida de todos. Os pais podem proteger os filhos dessas ideias deixando bem claro o quanto eles são importantes.

 5. Busca de ajuda profissional

Não se podem relevar inclinações autodestruidoras, não acredite simplesmente que “isso passa” ou “é coisa da idade” ou pior que “adolescentes são mesmo. Quem está apto a diagnosticar a necessidade de tratamento é um profissional habilitado, como um psicólogo, psicoterapeuta e psiquiatra.

Ouvir dizer que o índice de suicídio tem aumentado entre os jovens não pode apenas causar indignação, muito menos podemos ignorar isso acreditando que só acontece na família dos outros. Somos responsáveis por nossos jovens e temos o dever de mudar drasticamente essa situação.

5 ações que podem desviar jovens do suicídio2023-09-01T19:13:36+00:00
7 08, 2023

Você se sente infeliz? Faça estas 8 perguntas para si mesmo

2023-08-07T19:21:39+00:00

É como diz a música: “… que você descubra que rir é bom, mas que rir de tudo é desespero”. Claro que não estamos alegres sempre; é normal passarmos por momentos infelizes, acontece com todo mundo. O cuidado que temos de ter é de não criar situações que ampliam a nossa tristeza e insatisfação na vida.

Considere as perguntas abaixo e as responda para si mesmo com grande sinceridade.

 1- Você tem colocado muita expectativa em outras pessoas?

Desejar que os outros sejam e ajam conforme o que você espera deles é quase sempre fonte de grandes e doloridas decepções. Perceba que o problema não está nos outros, mas em você mesmo que ainda não entendeu que não se pode cobrar do outro o que ele não tem para dar. Cada pessoa é um universo único, conectar-se com outros universos exige compreensão e muito respeito.

 2- A opinião dos outros afeta muito você?

Não dá para ser feliz querendo agradar todo mundo, lembre-se que nem o Cristo foi capaz disso. Pessoas que estão sempre preocupadas com o que os outros pensam delas têm grande dificuldade de agir de forma espontânea e tornam-se cada vez mais insatisfeitas.

 3- Qual o teor de seus pensamentos?

Cultivar pensamentos negativos e destruidores ligados a crenças limitantes e pessimistas é sempre um ótimo motivo para se sentir infeliz. “Isso não vai dar certo”, “Não adianta tentar”, “Você não é capaz” e “Comigo nada dá certo” são ideias que escravizam a mente em patamares sombrios.

 4- Você tem medo do fracasso?

Pessoas inseguras não suportam sequer pensar na possibilidade de fracassar e, por isso, não se arriscam em busca do sucesso. Não compreendem o fracasso como genuína lição e acabam vivendo à margem da vida.

 5- Você vive se criticando?

Autocrítica é fundamental para o progresso em todas as áreas da vida porque instiga a pessoa a avaliar melhor suas atitudes e o que pode fazer para melhorá-las. Mas quando passa a ser depreciativa deixa de cumprir um papel positivo e mergulha a pessoa em sentimentos de grande tristeza.

 6- Você diz “sim” quando quer dizer “não”?

Aceitar o inaceitável causa grande transtorno, ninguém pode se sentir feliz quando corrompe sua autenticidade, crenças e valores.

7- Prefere adiar atitudes?

Procrastinar é sempre ampliar problemas e cultivar sofrimento. Adiar decisões e atitudes não só atrasa as soluções, como alonga o período e o teor do sofrimento. A pessoa se sente desmotivada e insatisfeita com a vida.

 8- Você tem cuidado da pessoa mais importante da sua vida?

Essa é a grande questão a ser respondida, porque se você não cuida de si mesmo, não tem condições de cuidar de mais ninguém. Baixa autoestima destrói qualquer possibilidade de se buscar a felicidade, até porque a pessoa não se sente merecedora. Portanto, cuidar da saúde física e emocional é essencial.

Se você não está satisfeito com a sua vida e se sente cada vez mais infeliz, aproveite essas reflexões para detectar o que é preciso mudar e aja o mais rápido possível.

 

Você se sente infeliz? Faça estas 8 perguntas para si mesmo2023-08-07T19:21:39+00:00
7 08, 2023

10 qualidades de um bom pai

2023-08-07T19:03:49+00:00

O papel dos pais tem mudado muito em nossa sociedade; hoje é possível observar que são muito mais presentes e fazem questão de participar de forma ativa na educação e cuidados com os filhos. Não existe um modelo de bom pai, mas algumas dicas podem ajudar a cumprir essa tão importante missão com maior eficácia.

 1- Seja um pai presente – Ser presente não é simplesmente estar junto, mas acompanhar e participar da vida do filho com frequência. Essa proximidade é importante para construir elos de confiança com a criança.

 2- Construa uma relação afetiva –  Carinho, atenção são sempre muito bem-vindos e contribuem para efetivar uma relação amorosa entre pai e filho. Cris Poli, no livro citado acima, ressalta que é preciso haver uma interação física com a criança também durante as brincadeiras. Criança precisa de afeto.

 3- Não seja autoritário, mas tenha autoridade – É preciso não confundir; os pais modernos não desejam ser mandões, déspotas ou controladores. No entanto, é importante manter o poder paterno que faculta, entre outras coisas, a segurança que a criança precisa.

 4- Cuidado com a permissividade – A relação afetiva e amigável com o filho não deve fazer com que você se torne excessivamente permissivo. Há que se manter o papel de pai, posicionando-se como tal, nada de “jogar” todas as decisões para a mãe.

 5- Atenção ao exemplo – Como todo educador, o pai deve estar atento aos exemplos que transmite. Bom lembrar que um bom pai é, necessariamente, um bom homem, um bom marido, enfim, um bom cidadão. Suas ações sempre serão muito mais efetivas do que suas palavras na educação de seu filho.

 6- Nunca prometa o que não pode cumprir – O que um pai fala para uma criança é tido como certo para ela; se você fala e não age, ela perderá a confiança em você. Se não tem certeza diga que fará o possível, mas não prometa.

 7- Aprenda a dialogar com seu filho – Alguns homens têm grande dificuldade em conversar; dedique-se a desenvolver isso. Desde as primeiras fases da vida de seu filho acostume-se a falar com ele, assim, conforme ele cresce, acostuma a conversar com você.

8- Elogie mais e critique menos – Dando ênfase ao que seu filho faz de bom você o tornará mais acessível quando precisar ouvir críticas. Pais que só criticam criam barreiras, muitas vezes intransponíveis, entre eles e os filhos.

9- Quando errar, peça desculpas – Não existe perfeição no ser humano, assim, exemplifique humildade desculpando-se quando fizer algo que não condiz com o que deseja passar a seu filho. Dessa forma ele crescerá sabendo que você pode errar, mas sabe aceitar isso e busca se redimir.

 10- Seja verdadeiro sempre – É essencial que seu filho reconheça a sinceridade em seus atos e palavras. Mesmo que possa parecer duro em algumas situações, a sua autenticidade fará de você um pai respeitado e justo.

Existem situações na vida que não importa quanto você se esforce, não há nada que você possa fazer para mudá-las. O importante é que seu filho perceba que você procura sempre dar o melhor de si por amor a ele e à família.

10 qualidades de um bom pai2023-08-07T19:03:49+00:00
WhatsApp chat