O perigo do comportamento de massa

Por Suely Buriasco

Comportamento de massa é um fenômeno que se produz em agrupamentos humanos, de forma espontânea e contínua, pela soma das ações individuais espalhadas, mas que se dirigem a um interesse em comum. É como se as pessoas deixassem, momentaneamente, de serem elas mesmas, ou abandonassem a própria individualidade, e se envolvessem numa personalidade coletiva, também chamada de espírito coletivo.

A partir do momento em que a pessoa deixa de pensar por ela mesma e passa a agir de forma a repetir, irracionalmente, atos em conjunto, o perigo é iminente. O comportamento de massa apresenta grandes riscos, instalando, inclusive, o pânico. Num incêndio, por exemplo, o espírito de massa pode instigar as pessoas a correrem todas para um mesmo lado e que, talvez, não seja a melhor opção. O comportamento de massa pode influenciar, ainda, atitudes que destoam da personalidade individual, explicando atitudes agressivas que surgem em meio a um grupo e que são compartilhadas até mesmo por pessoas normalmente pacíficas.

Aglomerações humanas podem representar grande risco, quando envoltos pela efusão de emoções, nos sentimos parte de um todo maior e compartilhamos alegria, tristeza, raiva ou qualquer que seja a emoção do grupo social a que estamos vinculados.  Esse comportamento é comum em estádios, por exemplo, quando o grito da torcida é incorporado, ou mesmo, num show cantando com a banda favorita. O fato é que qualquer aglomeração pode inspirar a imersão no coletivo, pela qual o indivíduo extrapola a si mesmo, tanto para o bem, como para o mal.

O importante de conhecermos esse fenômeno é nos prevenirmos de influências negativas que possam nos comprometer de alguma forma. E disseminarmos esse aprendizado em forma de orientação, principalmente, para crianças e jovens, que são os que mais facilmente se comprometem com atitudes coletivas. É preciso que se tenha em mente que sempre, em qualquer situação, somos responsáveis por nossos atos e que, ao seguir comportamentos alheios podemos nos prejudicar e, até mesmo, nos incriminar.

O melhor a fazer em relação à prevenção ao comportamento de massa é resistir à sedução de copiar ou acompanhar a onda, sem antes raciocinar sobre o que se está fazendo. Muitas manifestações são exemplos positivos na história da humanidade, por isso o problema não está nos grupos, mas sim em como nos portamos em relação a ações que não são nossas e, portanto, não nos representam.

 

2018-03-26T21:32:57+00:00