fbpx

autoconfiança

11 05, 2020

Fé como alavanca de superação

2020-05-17T23:28:12+00:00

Pela etimologia, a palavra fé tem origem no Grego “pistia” que indica a noção de acreditar e no Latim “fides“, que remete para uma atitude de fidelidade. Trata-se do acreditar em algo, ou em alguém, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação. Ter fé é acreditar pela absoluta confiança que depositamos nessa ideia ou fonte de transmissão. Também significa esperança que, independente do que aconteça, tudo pode ser superado.

 

No contexto religioso a fé está aliada na aceitação absoluta dos princípios difundidos por determinada religião e na existência de uma divindade. Todavia, existem pessoas que não se dedicam a nenhum tipo de religião, mas são pessoas de fé. Ou seja, não acreditam em postulados, mas creem em uma força extrafísica e em atitudes que condizem com suas próprias crenças. Há pessoas, ainda, que rejeitam as divindades ou outros seres sobrenaturais. Estes não possuem a fé religiosa, o que não os impede de desenvolver esse atributo de outras formas. A fé está intimamente ligada a confiança, por isso ela pode ser concebida também fora do ambiente religioso.

 

Entender a fé de forma mais ampla nos credencia a relacionamentos harmônicos, afinal, nos livra do grande engodo dos “donos da verdade”. Então nos sentimos tranquilos quanto a respeitar as diferenças, entender que o próximo tem o direito a ter a sua fé e a vivê-la da maneira que melhor lhe convém.

Eu fico pensando em quantas guerras, quantas discussões, quanto sofrimento seriam evitados com isso. E mais, quanto poderíamos estar unidos por um mundo mais justo e equitativo.

 

Diante das adversidades da vida, é preciso acreditar que o amanhã será melhor e que isso depende muito de nossas ações no presente. É a fé que nos impulsiona a dar o próximo passo, a enfrentar os obstáculos e seguir em frente. A fé faz brotar a esperança, sentimento que torna possível colocar em prática o que for preciso para a realização daquilo que almejamos. Portando, ainda que seja apenas em nós mesmos, é de extrema importância para nossas vidas, para nos manter firmes em nosso propósito. Aliada a ação a fé é o instrumento de transformação mais poderoso que existe. Acreditar e agir, fazer o que nos compete para mudar as situações que nos incomodam é um passo importante em busca de uma vida próspera em todos os sentidos.

Fé como alavanca de superação2020-05-17T23:28:12+00:00
6 09, 2016

A decisão antecede o sucesso

2016-09-06T13:52:27+00:00

Por Suely Buriasco

Recomenda Cora Coralina: “Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar. Porque descobri, no caminho incerto da vida, o mais importante é o decidir”.   

 Você não consegue evitar muitos dos acontecimentos que cercam o seu dia a dia, mas tem poder de decidir sobre como agir em relação a eles. Nesse sentido é que se diz que somos arquitetos de nossas próprias vidas e podemos transformá-las sempre que não estivermos satisfeitos com ela. A tomada de decisão é fundamental para direcionarmos nossas ações, sendo o primeiro passo na direção do objetivo que queremos alcançar.

O sucesso não é simples resultado das circunstâncias da vida, muito menos da sorte. Sucesso tem a ver com esforço, foco, determinação e coragem. Mas nada disso é possível sem que se desenvolva a habilidade de chegar a uma conclusão segura, uma escolha deliberada. A habilidade de decidir reflete uma personalidade segura e forte que se desenvolve através da busca de aperfeiçoamento contínuo. Pessoas que buscam autoconfiança têm maior facilidade no momento de decidir.

Como ninguém é totalmente confiante em todas as situações é preciso analisar os próprios sentimentos e o que se pode fazer para superar as dificuldades em relação ao poder de decisão. Esse é um trabalho contínuo que inclui também distinguir ponderação de indecisão. Bom lembrar que uma pessoa ponderada não decide antes de analisar com cuidado a situação, o que é bastante interessante. Diferente de uma pessoa indecisa que procrastina por medo e, muitas vezes, pede grandes oportunidades e, pior, fica se lamentando por isso.

Decidir é assumir as próprias responsabilidades em relação às consequências, entendendo que ao tomar uma posição está se sujeitando aos riscos inerentes. Por isso o poder de decisão inclui boa dose de coragem e determinação. Coragem para assumir os riscos, determinação para dar o melhor de si diante do que determinou.

Sucesso não acontece por acaso e até para ter sorte é preciso competência. Ter êxito em qualquer projeto exige muito empenho e até algum tipo de sacrifício. Sair da zona de conforto, da segurança ilusória e enfrentar todos os obstáculos sem perder o foco.

A boa notícia é que depende de você a decisão pelo sucesso!

 

 

A decisão antecede o sucesso2016-09-06T13:52:27+00:00
25 01, 2016

A beleza impressiona, mas a autoconfiança deslumbra

2016-01-25T17:30:27+00:00

Por Suely Buriasco

O Boticário volta a causar polêmica com o comercial “linda ex” que mostra três casais que aceitam falar dos motivos pelos quais estão em processo de separação. A surpresa fica para os ex maridos que presenciam a produção de suas ex mulheres no dia da assinatura do divórcio. Muitos estão falando em machismo, eu vejo a exortação da autoconfiança e gosto do tom jocoso com que trataram a questão.

A campanha sob o mote “Acredite na Beleza” foca no poder de se sentir bela e isso não significa estar bela para alguém, reafirmando ideias machistas, mas para si mesma, refletindo autoconfiança. Claro que autoestima vai muito além da beleza física, mas é inegável que sentir-se bela faz uma grande diferença para a maioria das mulheres. E isso não tem nada a ver com padrões pré-estabelecidos, o que conta é o bem-estar.

Durante o processo de divórcio é comum o sentimento de frustração; homens e mulheres frequentemente sofrem a dor da desilusão acompanhada de baixa da autoestima. Uma “injeção” de bons ânimos pode mesmo operar prodígios nesses momentos e, por isso, é muito comum que recém divorciados corram para as academias e centros de beleza. Não havendo exagero, não há nada de mal nisso, muito pelo contrário, é uma forma de voltar os olhos para si mesmo, de se valorizar. Isso é fundamental para a superação do momento e o enfrentamento da nova realidade.

Também chama atenção no comercial a fala dos casais sobre as razões que levaram ao fim do casamento, a realidade frequente do desgaste quando os cônjuges deixam de se olhar, afastam-se e perdem a conexão. Infelizmente essa é uma realidade que presencio todos os dias no meu trabalho: cônjuges que não valorizam um ao outro, que se deixam levar pela mesmice e se acomodam em rotinas enfadonhas e desestimulantes. Vale lembrar que não é o casamento que provoca essa situação, mas a falta de disposição de inovar, de prestar mais atenção em si mesmo e no outro.

Não é o tempo e sim a baixa autoestima que predomina nas relações que perdem a graça e se tornam rançosas e sem vida. A pessoa que não se sente disposta, que não tem admiração por si mesmo, nem pelo outro, dificilmente colabora na construção de um relacionamento sadio e viçoso. Nesse sentido, a busca da própria valorização através da capacitação intelectual, profissional e pessoal somam grande importância.

Sentir-se bela é inegavelmente uma grande alavanca para a autoconfiança feminina, agora observar o espanto dos maridos, desculpem os críticos de plantão, vale o comercial todo.

 

A beleza impressiona, mas a autoconfiança deslumbra2016-01-25T17:30:27+00:00
WhatsApp chat