fbpx

comportamento

5 12, 2021

Problemas & Desafios

2021-12-05T19:30:33+00:00

Duas visões da mesma situação: uma derrotista, outra motivadora. Uma inspira reclamações diante das adversidades da vida e, a outra, ao invés disso, permite traçar planos para superá-las. Transformar problemas em desafios tira do foco central o problema em si e direciona as energias para solução. Como os problemas fazem parte da vida, o melhor é aprender a lidar com eles.

Para facilitar esse processo algumas atitudes são fundamentais.

 Ser resiliente

Desenvolver a habilidade de lidar e superar as adversidades, ou seja, reagir positivamente, aprendendo com as dificuldades. Na física a palavra resiliência é usada para designar materiais que têm capacidade de absorver grandes impactos e depois voltar ao normal. O ser humano ao desenvolver a resiliência, supera as vicissitudes e amadurece.

 Assumir responsabilidades

Quando procuramos culpados, que quase sempre são os outros, paramos nas lamentações; não nos mexemos, porque queremos que os outros ajam. Mas se, ao invés disso, analisarmos o que podemos fazer para resolver o problema, independente de quem o causou, então nos colocamos numa posição ativa.

 Aceitar a realidade

As vezes nos abatemos muito porque entendemos que determinado problema não tem solução e alguns não tem mesmo, mas nem por isso podemos nos entregar ao desânimo. Tudo o que podemos fazer é aceitar a realidade de que somos impotentes para solucionar aquilo, mas que precisamos agir para superar.

Já ouviu que “ri melhor quem ri, apesar de tudo”?

 Faça a diferença

Fácil falar, né? Mas pensando bem, como fazer a diferença se o problema não for difícil? É isso aí, o fácil qualquer um resolve! Os desafios surgem aos montes em nossas vidas; alguns são maiores que os outros. O que devemos ter em mente é que desafios correspondem a oportunidades de crescimento e, cada vez que os enfrentamos com determinação, crescemos um pouco mais.

A vida exige firmeza, coragem e muita determinação. Como dizia a minha vó Aurora: “Fé em Deus e pé na tábua”. Por isso é que reclamar menos e ter mais atitude é o que, realmente, importa.

Assista o vídeo “Transformando Problemas em Desafios”, no meu canal do YouTube

https://www.youtube.com/watch?v=LkN6yiwUfxk&index=2&list=PLuKXY5FNZEJQh2FRCNRVA_M99f-omGh_H

Problemas & Desafios2021-12-05T19:30:33+00:00
15 11, 2021

Seu comportamento; sua vida.

2021-11-15T18:06:01+00:00

Recebo várias mensagens de pessoas que se dizem insatisfeitas com a própria vida: relacionamentos difíceis, ciúmes, solidão e por ai vai. Muitos sabem apontar a insatisfação, mas poucos compreendem que ela pode ser consequência de seus próprios comportamentos. O fato é que quase sempre são as nossas ações que produzem os resultados pelos quais reclamamos. Portanto, se você quer sair desse engodo e criar para si uma vida mais feliz, comece por promover uma mudança comportamental na sua vida.

O que é mudança comportamental?

É uma transformação dos próprios atos a partir da identificação de um comportamento improdutivo ou que provoque qualquer mal ou desconforto. O primeiro passo é, pois, procurar decifrar qual hábito está sendo nocivo na sua vida e assumir a responsabilidade por suas próprias insatisfações. Esquecer desculpas e parar de culpar os outros são medidas fundamentais para promover a mudança que você deseja na sua vida. O objetivo é mudar os padrões de pensamento e ação para mudar os resultados.

Por que mudar?

Muitas pessoas identificam o que precisam mudar, mas não se sentem capazes de fazê-lo. Escuto muito coisas do tipo: “eu sei que esse ciúmes está acabando com o meu relacionamento, mas não consigo mudar” ou “jogo minha ansiedade na comida, não posso me controlar”, ou ainda “sou egoísta e afasto as pessoas de mim, mas não sei ser de outro jeito”. Alguns são tão inflexíveis que se deixam afetar pela síndrome da Gabriela: “Eu nasci assim eu cresci assim e sou mesmo assim, vou ser sempre assim”. Parece que não se conscientizam do sentido evolutivo da vida: transformar-se continuamente para viver melhor e mais feliz.

Como promover essa mudança?

Esse é um passo fundamental para a sua felicidade: saia da zona de conforto, lute e dê o melhor de si para substituir hábitos negativos por positivos, seja uma pessoa proativa. Cada vez que sentir desânimo lembre-se de que está em suas mãos ter uma vida mais produtiva, um trabalho prazeroso, uma família harmoniosa e relacionamentos empáticos. É a sua vida e, portanto, você pode e deve transformá-la a fim de ser uma pessoa realizada e feliz consigo mesmo.

Como o Coaching facilita a mudança de comportamento?

Com técnicas efetivas e cientificamente comprovadas para gerenciar comportamentos, o Coaching apresenta ótimos resultados. Um coach é alguém que disponibiliza e monitora ferramentas que preparam o coachee ou cliente para o enfrentamento das dificuldades com foco nos resultados esperados. Dessa forma, a mudança comportamental acontece mais facilmente pela ação dos métodos aplicados. O Coaching ajuda você a definir onde está , onde quer chegar e qual é o caminho até lá.

Mudanças comportamentais são imprescindíveis para a realização de qualquer pessoa, seja na vida pessoal como na profissional e, portanto, são medidas urgentes. Lembrando Sêneca: “Apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida”.

Seu comportamento; sua vida.2021-11-15T18:06:01+00:00
16 08, 2020

A Humildade é a base das Virtudes

2020-08-16T17:38:41+00:00

A virtude em seu mais alto grau é o conjunto de todas as qualidades essenciais que constituem o ser humano de bem. Importante lembrar que não é virtuoso quem ostenta suas supostas virtudes, aquele que se nomeia o certo, o conhecedor da verdade, pois falta a ele a qualidade principal: a modéstia, e apresenta o vício que mais se lhe opõe: o orgulho.

A virtude não gosta de alardes, mantém-se oculta e foge da admiração humana. O virtuoso age de conformidade com suas inspirações e pratica o bem com desinteresse. O virtuoso não deseja externar as próprias qualidades e nem se apresenta como modelo a ser seguido. Também se exime de julgar seu semelhante. É paciente e benevolente com as concepções alheias, pois, as respeita independentemente de concordar com elas. Tem o dever como uma obrigação moral e o desempenha com exatidão, ainda que esse esteja em antagonismo com as seduções de seus interesses imediatos, permanecendo inflexível diante das tentações.

O bom desempenho das obrigações morais reflete as virtudes alcançadas, pois o dever é o resumo prático de todas as especulações morais. A virtude é fruto da sinceridade do coração e da espontaneidade da alma, não pode assim ser forçada e muito menos dissimulada. Lembremos de que o axioma “mais vale pouca virtude com modéstia, do que muita com orgulho” é verdadeiro e sempre oportuno para nossas reflexões.

Diante de nossas imperfeições podemos até achar grande dificuldade em nos tornar pessoas virtuosas. No entanto, essa visão deve ter o sentido de desafio, ou seja, de incentivo, afinal, pode até ser difícil, mas nunca impossível e, sem dúvida, extremamente compensador. Todos somos capazes de cultivar virtudes, basta que nos empenhemos nisso com muita vontade e determinação.

Depende de cada um o desenvolvimento de valores morais. Quando vencemos paulatinamente nossos empecilhos evolutivos tornamo-nos mais fortes pela satisfação que sentimos e passamos a desejar com maior intensidade estar entre as pessoas que já se qualificam moralmente a ser chamadas virtuosas.

A Humildade é a base das Virtudes2020-08-16T17:38:41+00:00
12 11, 2014

Beleza também requer bom senso

2014-11-12T16:18:39+00:00

Por Suely Buriasco

Causou muito murmurinho a visita da estilista italiana Donatella Versace ao Brasil; o visual transformado por plásticas e outros procedimentos estéticos chocou e virou notícia. Apelos dessa dimensão não podem servir apenas para críticas ou julgamentos que não levam a nada.

Penso que estamos sendo convidados a refletir um pouco mais sobre os próprios valores em relação as naturais consequências do tempo, afinal vemos surgir uma geração, que desde muito cedo, tem se preocupado em não envelhecer. Nada contra a se cuidar, nem mesmo contra os procedimentos estéticos que produzem efeito muito bom e inspiram a autoestima das pessoas. Muito pelo contrário, acredito que são avanços importantes. O problema está no uso desenfreado que denota o problema que muitas pessoas têm em lidar com a realidade do envelhecimento.

Mas porque é tão difícil envelhecer? Pensemos em algumas razões comuns:

  • Questão cultural: Visão distorcida que condiciona a beleza à juventude; a padronização da beleza tiraniza e leva a não aceitação de si mesmo e de sua idade.
  • Insegurança: A transformação natural não abala apenas o físico, mas também o emocional provocando medo, ansiedade e até depressão em alguns casos.
  • O peso: Para as mulheres o fator emocional se condiciona a perda da fertilidade, o que para muitas significa também a perda da feminilidade. Já os homens se abalam de forma correspondente a perda da força, virilidade, poder.

É fato que existem perdas, mas também existem ganhos, desde que a pessoa se dedique a acompanhar as transformações naturais se adaptando a elas. Acreditar que a autoestima está condicionada ao espelho é um engodo perigoso; autoestima é muito mais que uma imagem; tem a ver com a forma com que a pessoa se admira plenamente.

Assim, bom senso é fundamental também no que se refere à aparência e, investir em tentativas de disfarçar a passagem do tempo exige algum limite: cuidar de si mesmo é muito sadio, desde que não esteja condicionado ao culto exterior e social. O importante é sentir-se bem em qualquer idade, procurando aproveitar o melhor de cada fase de vida, vivendo intensamente e cultuando sentimentos capazes de provocar, realmente a felicidade.

Beleza também requer bom senso2014-11-12T16:18:39+00:00
5 06, 2013

Reflexão

2013-06-05T21:40:11+00:00
Não julgar a atitude do próximo e compreender que cada um age de acordo com os seus preceitos é um grande passo rumo a nos tornamos seres humanos mais justos.

Close-up portrait of a cat and dog

Reflexão2013-06-05T21:40:11+00:00
25 03, 2013

Por que Fernanda é a grande favorita para ganhar o prêmio de R$ 1,5 milhão no BBB

2013-03-25T14:38:24+00:00

Em entrevista para o site UOL a mediadora de conflitos, Suely Buriasco, falou sobre o comportamento de Fernanda Keula, a advogada que é favorita a ganhar o prêmio do Big Brother Brasil.

Será que as mulheres ainda esperam o príncipe encantado? Leia a matéria na íntegra.

http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2013/03/23/ser-rejeitada-por-andre-ajudou-fernanda-a-ser-favorita-do-bbb.htm

Por que Fernanda é a grande favorita para ganhar o prêmio de R$ 1,5 milhão no BBB2013-03-25T14:38:24+00:00
21 06, 2012

Autoperdão

2012-06-21T14:58:34+00:00

Por Suely Buriasco

O sentimento de culpa nem sempre é consciente, muitas vezes está mascarado em situações conflitantes que trazem grande desordem na vida das pessoas. Aparentemente sem causa surgem angústias, produzindo mal-estar, inquietação e insatisfação pessoal. Faz-se necessário que analisemos com maior atenção esse tipo de reação em nós mesmos.

Culpa é a tristeza por não sermos perfeitos; um profundo sentimento de impotência, resultado de muita raiva guardada que se volta contra nós mesmos e que nos faz sentir indignos e maus. As consequências da culpa são muitas; como se não bastasse a dor do remorso e da censura, a autopunição é elemento muito comum. Ao alimentarmos esse sentimento gastamos energia numa lamentação interior por aquilo que já ocorreu ao invés de gastarmos em novas coisas, novas ações, novos comportamentos. A verdade é que somos seres falíveis, isto é, sujeitos a alternância de conduta, principalmente diante dos desafios que se apresentam e o estado emocional do momento. Aceitarmo-nos nessa condição é essencial no processo de compreensão de nossos erros e inconsequências.

É certo que a culpa pode ser um sinal de alerta sobre a falta de limite e respeito pelo outro; ou mesmo a indicação que é preciso mudar algum padrão de comportamento. Nesse sentido é interessante que se efetive a transformação necessária, responsabilizando-se pela ação e procurando redimir-se. A culpa faz com que permaneçamos no papel de vítima, nos estagnando, e, o que é pior, repetindo o padrão de comportamento, pois, não proporciona crescimento. Assumir a responsabilidade por nossos atos faz com que acreditemos na capacidade de mudar, de agir diferente, tornando-nos mais dignos. E todos nós temos essa capacidade.

O caminho que nos leva ao autoperdão é o da aceitação integral daquilo que já aconteceu, que é passado, que já não é possível mudar. É o encontro corajoso e amoroso com a realidade. O autoperdão impõe-se como indispensável para a recuperação do equilíbrio emocional e o respeito por si mesmo; é essencial para uma existência emocional tranquila. Nesse sentido é preciso buscar não reincidir no mesmo compromisso negativo, desapegando-se do remorso e criando formas positivas de comportamento, recobrando o bom humor e a alegria de viver

Reviver o passado só é positivo quando se trata de analisar as experiências vividas, procurando se tornar um ser humano melhor. O presente é o momento de efetivamente mudar; o futuro será o que fizermos dessas oportunidades.

 

Autoperdão2012-06-21T14:58:34+00:00
WhatsApp chat