fbpx

28 12, 2020

Bandeirada de 2020

2020-12-28T15:21:50+00:00

Muitos terão na memória que 2020 foi um ano difícil, embora os compreenda, eu não estarei entre esses. Vejo passar dias de grandes aprendizados, muitas vezes dolorosos, mas que deixarão marcas boas na vida de todos os que buscaram maneiras de se adaptar, reagir e manter a saúde física e mental.

Um ano em que a vida saiu do automático. Tivemos que rever muitos conceitos, ressignificar muitas coisas, situações, pessoas. Fomos convidados a parar, reavaliar, mudar… de direção, de pensamento, de enfrentamento. Se por um lado a verdade escancarou descaminhos, por outro nos lembrou a própria essência e, mais que isso, nos mostrou o quê e quem, realmente, nos é essencial.

Esperança

Nunca quisemos tanto que o calendário humano fosse real, ver findar 2020 faz ressurgir a esperança de um novo ano diferente. Não importa que a solução não tenha vindo, a vacina, o remédio… No próximo ano tudo volta ao normal. Normal? Quem sabe um “novo normal” com pessoas mais empáticas e solidárias, preocupadas com a edificação de um mundo “um tantinho só” mais justo, saudável e equilibrado.

Otimismo

Ter uma visão positiva da vida não muda os fatos, mas certamente, muda a forma como lidamos com eles. Penso que 2020 nos mostrou a importância de colocar essa filosofia em nossos dias e, principalmente, provou que isso é possível mesmo diante do caos. O otimismo nos afasta dos extremismos, da revolta, da má administração de nossas emoções. Promover a paz é uma ação dos que já descobriram que a vida é muito mais do que podemos conceber e que, assim como preconizou William Shakespeare: “Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia”.

Especialistas afirmam que na dificuldade as pessoas procuram maior aproximação com Deus. Acho que faz sentido a afirmação de que as pessoas tenderam a valorizar a fé nesse ano. Não importa a religião, mas a busca do Divino é um aprendizado enriquecedor. A fé divina é responsável inclusive pela fé em nós mesmos e é o que nos impulsiona à superação e ao amadurecimento espiritual.

Minha sobrinha pediu uma varinha mágica para o Papai Noel, ela quer acabar com a pandemia, voltar para escola, comprar coisas que as pessoas precisam… Criança é tudo de bom! A mágica vai ficar na imaginação dela, mas podemos nos inspirar no pedido fazendo o que for possível para as mudanças necessárias no nosso mundo.

Eu desejo que 2021 seja um ano pleno de esperança, otimismo e fé.

Feliz Ano Novo!

Bandeirada de 20202020-12-28T15:21:50+00:00
17 05, 2020

A esperança não pode morrer

2020-05-17T23:26:17+00:00

Mário Sérgio Cortella, teólogo, filósofo e professor lembra a importância de entender esperança como sendo do verbo esperançar e não do verbo esperar. O verbo esperançar significa “levantar-se e ir atrás; agir; construir alternativas e soluções; levar adiante uma ideia, um projeto; nunca desistir”. Esperançar é almejar, sonhar, agir, buscar. É, na verdade, o contrário de esperar, apesar de muitos confundirem.

 

O mínimo que precisamos é saber que esperamos por algo de importância para a nossa vida e, o máximo, é quando vivemos para fazer isso acontecer. Abrimos nossos olhos a cada dia porque temos esperança, vislumbramos oportunidade de novas possibilidades. Se há algo que não se pode perder jamais é a esperança.

 

Assim, em momentos de dificuldade vale usar de algumas estratégias para manter a esperança em alta:

 

Considere as coisas incríveis que você já fez

Ninguém está sempre bem humorado, muito menos diante de dificuldades. Lembrar do que você já superou e conseguiu transformar na sua vida é uma forma de criar mecanismos de enfrentamento que, certamente, o colocarão em posição de focar nas possíveis soluções.

 

Cerque-se de otimismo

Se você tem um problema tudo o que não precisa é de pensamentos desfavoráveis ou pessoas negativas que, certamente, inflexibilizarão a sua iniciativa de enfrentamento. Substitua reclamações, não se permita o papel de vítima e afaste-se das “âncoras”, seja pessoas ou situações. Procure manter-se informado da realidade, não para se influenciar, mas para conhecer o que vai superar.

 

Busque apoio na fé

A fé pode ser uma grande fonte de inspiração, se não a maior. Se você acredita em Deus encontre esperança numa oração sincera, dedique-se a ações que o façam se sentir mais próximo Dele. Ter fé em uma Divindade facilita acreditar em você mesmo, na sua própria capacidade. A confiança em Deus promove a confiança em si mesmo.

 

Seja corajoso

Manter a esperança exige coragem para agir, para enfrentar. O medo é natural diante das dificuldades que nos desafiam, corajoso é quem o enfrenta, afastando o pânico, esse sim sempre nefasto. O medo é uma emoção positiva no sentido que nos deixa alerta ao perigo, a coragem faz nascer a certeza de que é possível vencer.

 

Se você quer manter a esperança em sua vida só tem que se aliar a ela, procurando o lado bom de todas as situações e agindo por um bem maior. Esperança é acreditar e agir!

 

Suely Buriasco

Mediação de Conflitos e Coaching

A esperança não pode morrer2020-05-17T23:26:17+00:00
11 05, 2020

Fé como alavanca de superação

2020-05-17T23:28:12+00:00

Pela etimologia, a palavra fé tem origem no Grego “pistia” que indica a noção de acreditar e no Latim “fides“, que remete para uma atitude de fidelidade. Trata-se do acreditar em algo, ou em alguém, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação. Ter fé é acreditar pela absoluta confiança que depositamos nessa ideia ou fonte de transmissão. Também significa esperança que, independente do que aconteça, tudo pode ser superado.

 

No contexto religioso a fé está aliada na aceitação absoluta dos princípios difundidos por determinada religião e na existência de uma divindade. Todavia, existem pessoas que não se dedicam a nenhum tipo de religião, mas são pessoas de fé. Ou seja, não acreditam em postulados, mas creem em uma força extrafísica e em atitudes que condizem com suas próprias crenças. Há pessoas, ainda, que rejeitam as divindades ou outros seres sobrenaturais. Estes não possuem a fé religiosa, o que não os impede de desenvolver esse atributo de outras formas. A fé está intimamente ligada a confiança, por isso ela pode ser concebida também fora do ambiente religioso.

 

Entender a fé de forma mais ampla nos credencia a relacionamentos harmônicos, afinal, nos livra do grande engodo dos “donos da verdade”. Então nos sentimos tranquilos quanto a respeitar as diferenças, entender que o próximo tem o direito a ter a sua fé e a vivê-la da maneira que melhor lhe convém.

Eu fico pensando em quantas guerras, quantas discussões, quanto sofrimento seriam evitados com isso. E mais, quanto poderíamos estar unidos por um mundo mais justo e equitativo.

 

Diante das adversidades da vida, é preciso acreditar que o amanhã será melhor e que isso depende muito de nossas ações no presente. É a fé que nos impulsiona a dar o próximo passo, a enfrentar os obstáculos e seguir em frente. A fé faz brotar a esperança, sentimento que torna possível colocar em prática o que for preciso para a realização daquilo que almejamos. Portando, ainda que seja apenas em nós mesmos, é de extrema importância para nossas vidas, para nos manter firmes em nosso propósito. Aliada a ação a fé é o instrumento de transformação mais poderoso que existe. Acreditar e agir, fazer o que nos compete para mudar as situações que nos incomodam é um passo importante em busca de uma vida próspera em todos os sentidos.

Fé como alavanca de superação2020-05-17T23:28:12+00:00
24 09, 2019

Sobre a vida e o amor… Ou viver e amar

2019-09-24T12:56:14+00:00

Com o passar do tempo vamos mesmo nos tornando mais reflexivos, essa constatação ficou ainda mais clara assistindo ao show do Roberto Carlos. Já assisti vários, já fiquei na “turma do gargarejo”, nunca ganhei uma rosa porque meu foco foi sempre fazer o Roberto olhar nos meus olhos. Verdade mesmo… eu queria que ele soubesse da minha existência e de meu sentimento. Dessa vez o show foi um presente de aniversário e talvez por isso tenha sido diferente dos demais e, diga-se de passagem, muito melhor.

Sentei-me a uma distância privilegiada, nem muito perto que só olhasse para o Roberto, nem tão longe que não pudesse vê-lo. Pude contemplar o palco todo e curti muito. Vi mulheres de todas as idades se encaminharem para frente na hora da distribuição de rosas e percebi que saber da existência dele hoje me basta. Pensei no ser humano que é capaz de seduzir tantas pessoas cantando o amor e a paz e me emocionei. Até quem acha suas canções bregas não encontra muitos argumentos para combater isso: Roberto é o cantor do amor!

Eu gosto da menina que fui e que, de certa forma, ainda sou, mas é incrível constatar que gosto mais de mim agora. É lindo ouvir uma música romântica e sonhar, mas é extraordinário saber separar o ideal da realidade e entender o amor como filosofia de vida. Como afirma o cantor: “Diferente da paixão o amor é um sentimento, está acima da razão e do passar do tempo”. A paixão é só uma chama, o amor é luz que brilha incondicionalmente. Muitos desejam ser amados, mas o que realmente traz sentido na vida é amar.

Também me chamou atenção a forma pacífica de opinar e se manifestar contra a injustiça e a ganância que tantas vítimas têm feito pelo mundo. Ao cantar “Amazônia” Roberto lembrou que seu apelo tem mais de trinta anos, fiquei pensando que muitos estão mais preocupados em culpar políticos de ideologias diferentes ao invés de exigir, de quem quer que seja, a sua preservação. Eu acredito na paz como forma de mudar o mundo, lembrando que paz é ação, nunca passividade. Assim como afirma o rei: “Somente teremos um mundo melhor quando nossos valores estiveram voltados para o milagre da vida!”

Ali de frente aquele palco com tantos efeitos luminosos, ouvindo aqueles músicos incríveis e as canções que embalaram meus anos, senti fortemente o milagre da vida e me envolvi em gratidão. Então pensei que nos momentos de dificuldade, quando a vida parecer me exigir mais do que posso dar, que eu me lembre do quanto tenho a agradecer e me fortalecer. Que as perdas que me machucam sejam abrandadas pela minha fé e que eu faça da alegria o meu escudo.

E como não dá para falar de Roberto Carlos sem lembrar de Erasmo:

“Fé na vida, fé no homem, fé no que virá

Nós podemos tudo

Nós podemos mais

Vamos lá fazer o que será”.

Recebo meu novo ano com fé, amor e gratidão.

Sobre a vida e o amor… Ou viver e amar2019-09-24T12:56:14+00:00
24 07, 2013

Fé, ainda que em si mesmo!

2013-07-24T17:31:32+00:00

A vinda do Papa Francisco ao Brasil para participar da Jornada Mundial da Juventude, evento religioso criado pelo Papa João Paulo II em 1984, me leva a refletir sobre a fé. Reflexão que compartilho com vocês nesse momento.

De acordo com o site Wikipedia, fé é uma palavra com origem no Latim “fides” e que significa fidelidade. Trata-se do acreditar em algo, ou em alguém, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação. Ter fé é acreditar pela absoluta confiança que depositamos nessa ideia ou fonte de transmissão.

É possível ter fé em uma pessoa, um objetivo, até mesmo uma ideologia ou um pensamento. Para mim a fé é uma grande alavanca de superação.

Ter fé significa que, diante de algum problema – seja ele relativo a saúde, ao dinheiro, aos relacionamentos – não falta a confiança de que tudo vai mudar para melhor.

Por Suely Buriasco

reduz-siteDentro das religiões a fé é a virtude dos que acreditam na existência de uma força maior. Os cristãos têm fé em Jesus Cristo; as religiões de raiz africana cultuam a fé aos orixás. Isso sem falar nos judeus, islâmicos etc. Cada um com a sua fé e a sua maneira de demonstrá-la.

Existem também as pessoas que se denominam ateus, aqueles que rejeitam as divindades ou outros seres sobrenaturais. Eles alegam a falta de evidências empíricas à respeito da existência de Deus.

Mas até mesmo os ateus têm fé, não a fé nas divindades, mas a fé neles mesmos e nos potencial que possuem para vencer.

Portando a fé, ainda que seja apenas em nós mesmos, é de extrema importância para nossas vidas, para nos manter firmes em nosso propósito.

É ela que nos impulsiona a dar o próximo passo, a enfrentar os obstáculos e seguir em frente.

Diante das dificuldades do dia a dia, é preciso acreditar em algo. Acreditar que o amanhã será melhor, que a dificuldade do momento será superada.

Sob o meu ponto de vista, a fé ganha mais força quando está aliada a ação. Acreditar e agir, mudar as situações que nos incomodam é um passo importante em busca de uma vida harmônica. Respeitar as diferenças, entender que o próximo tem o direito a ter a sua fé e a vivê-la da maneira que melhor lhe convém.

Quantas guerras, quantas discussões, quanto sofrimento não seria evitado se pudéssemos respeitar a fé do próximo. Nesse momento os católicos estão em festa. Amanhã podem ser os evangélicos, os kardecistas, os budistas, os islâmicos e até mesmo os ateus. Se soubermos observar e tentarmos aprender algo com a fé do próximo, com certeza seremos seres humanos mais completos e felizes.

Fé, ainda que em si mesmo!2013-07-24T17:31:32+00:00
WhatsApp chat