fbpx

ser feliz

4 06, 2021

Tem romance no ar!

2021-06-04T19:23:20+00:00

Semana do Dia dos Namorados é motivo de manifestações românticas e afetuosas. É muito bom que seja assim, afinal, manifestar amor é tão importante que merecia muito mais que um dia, uma semana ou um mês onde fosse lembrado o quanto alguém nos é caro. Costumo ponderar que datas comemorativas têm por função trazer-nos reflexões que nos tornem seres humanos cada vez melhores.

Expressar nossos sentimentos de apreço é de vital importância para um relacionamento feliz. Muitas pessoas acham que com o passar do tempo não precisam mais falar de seu amor, pois, consideram que já o expuseram de forma a ser entendido. Isso se evidencia nos relacionamentos mais longos, o que é lamentável, pois acabam perdendo o estímulo de reviver a paixão que é um sentimento fugaz e, portanto, precisa ser incitado. Não me espanta que tantos cônjuges aleguem não se sentir amados.

A paixão tem o objetivo de atrair duas pessoas, fazer com que elas tenham sentimentos ardentes um pelo outro, o que os faz desejar estar juntos. Num relacionamento longo a ardência inicial dá lugar ao amor que abranda e evidencia outros objetivos, como vencer os desafios de uma vida em comum, ter e criar filhos, alcançar metas profissionais e tantas outras coisas. É assim que se fazem as grandes parcerias em que os cônjuges se tornam também amigos. Esse é um caminho natural que provoca grande satisfação e segurança tanto para homens, como mulheres. O equívoco está em “esquecer” o que os uniu, isso é, aquele sentimento impetuoso, aquela emoção intensa.

Penso que uma maneira de encontrarmos um equilíbrio entre o furor e a afeição é a paixão intermitente, isso é, uma boa dose de emoção encalorada manifestada em intervalados de um período de calmaria. Dessa forma, um casal teria uma rotina normal, necessária ao bom andamento da vida a dois e de cada um; sem deixar de viver momentos onde a paixão revivida os unisse mais e os fizesse sentir o quanto um é importante na vida do outro.

Assim, uma boa reflexão aos enamorados, casados ou não, é a importância de comemorarem sempre a singela e preciosa situação de compartilharem a vida e desejarem a felicidade juntos.

Tem romance no ar!2021-06-04T19:23:20+00:00
25 10, 2020

Como se sentir mais livre e feliz?

2020-10-25T21:12:31+00:00

A liberdade é uma aspiração inata ao ser humano, não há como se sentir pleno sem se sentir livre. Num mundo onde as pressões se avolumam e as pessoas, muitas vezes, se sentem sufocadas, pode parecer um paradoxo a busca do bem estar. No entanto, é totalmente possível, mesmo diante das pressões do dia a dia, experimentar a serenidade de se sentir livre.

 

Alguns comportamentos fazem toda a diferença no bem estar que podemos desenvolver em nossas vidas. Pensemos em alguns:

 

Pare de se preocupar com que os outros pensam

Acreditando que o melhor é não entrar em conflito com os outros, muitas vezes, entramos em conflito conosco mesmo. Dizer “sim” quando na verdade queremos dizer “não” é um exemplo disso. Se você identifica esse comportamento em sua vida vale dar mais atenção para a sua autoestima, normalmente isso tem a ver com medo da rejeição, com a questão de ser aceito. Viver preocupado com o que os outros vão pensar é um erro que custa a nossa liberdade e, consequentemente, o nosso bem estar.

 

Ame a si mesmo

Aceite-se como você é. É libertador aceitar o corpo e mente que temos, não lute contra a si mesmo. Procure melhorar sempre, mas não se esqueça de valorizar o que você tem e, principalmente, quem você é. A autoestima tem muito a ver com nossos valores. Não se limite!

 

Seja verdadeiro consigo mesmo

Sentimo-nos livres quando agimos de conformidade com as nossas próprias convicções. Deixe de lado as expectativas dos outros, não aceite pressões, honre seus próprios objetivos e aspirações. Concentre-se em seus valores e participe de atividades que estejam alinhadas com o que, realmente, é mais importante para você.

 

Mantenha o bom humor

A vida não escraviza ninguém, mas muitos se sentem presos pelas dificuldades que experimentam. Quando você privilegia o lado bom, deixa de reclamar e passa a agradecer. As situações parecem menos perturbadoras quando a vemos com bom humor. Rir de si mesmo e dos absurdos que lhe cercam coloca uma barreira saudável entre as situações e a sua percepção do que está acontecendo. Isso é libertador!

 

Pense na vida de forma mais ampla, tudo passa e os bons momentos é que merecem ênfase. Vivencie pensamentos mais positivos e mantenha a mente aberta. Quanto mais psicologicamente flexível você for, mais livre se sentirá.

Como se sentir mais livre e feliz?2020-10-25T21:12:31+00:00
17 02, 2020

Você é, realmente, feliz?

2020-02-17T20:31:19+00:00

Dar o melhor de nós para viver de forma plena e intensa os bons sentimentos junto com os nossos afetos é o que dá sentido para a vida. Tudo à favor em querer ser feliz, em cultivar momentos que nos sublime a alma, junto com os eleitos de nosso coração, mas o que percebemos é que, muitas vezes, não agimos de forma coerente ao resultado que buscamos.

O verso de Vicente de Carvalho provoca profunda reflexão ao se referir a felicidade: “Existe, sim: mas nós não a alcançamos. Porque está sempre apenas onde a pomos. E nunca a pomos onde nós estamos”. O fato é que somos os construtores de nossa vida e assim os responsáveis por fazê-la mais agradável e feliz. Quando trazemos para nós essa responsabilidade as possibilidades se ampliam e transformamos dificuldades em desafios.

Atualmente parecemos viver uma ditadura pela felicidade, as pessoas querem ser feliz a qualquer preço e dessa forma acabam se sentindo cada vez mais insatisfeitas, vazias, inúteis. As redes sociais contribuem para a relevância da aparência, do mostrar o que não se é e o que não se tem. Essa concorrência causa danos emocionais intensos e transforma pessoas em escravos de um sentimento que deveria trazer paz, tranquilidade. Tamanha inversão da felicidade “a qualquer preço” pode provocar tudo, menos real satisfação.

Felicidade é sentimento, tem a ver com o nosso mundo interior, nossas aquisições espirituais e realizações pessoais. Ninguém pode ser feliz sem, inicialmente, amar a si mesmo e autoestima vai muito além de aparências. Muitas pessoas bonitas, famosas e de boa condição financeira, que fazem lindas viagens e divulgam o quanto suas vidas são maravilhosas, na verdade possuem a alma doída por difíceis situações ocultas. Felicidade não se aparenta, por si só ela se expande, porque quem é realmente feliz se preocupa em inspirar esse sentimento para mais pessoas.

É preciso entender que felicidade não é um estado de humor contínuo; essa busca desenfreada beira a insanidade. Todos temos nossas dificuldades, perdas irreparáveis que nos causam dissabor e tristeza. Você pode ter um bom dia, chegar em casa feliz e se deparar com uma notícia que lhe cause tristeza, mesmo não atingindo diretamente você. Além de nossas próprias dificuldades, difícil não nos sensibilizarmos com a dor alheia. O fato é que ninguém é totalmente feliz o tempo todo.

Nossa busca pela felicidade precisa ser serena, pautada na conscientização de que satisfação genuína é um trabalho árduo, que exige dedicação, resiliência e grande força de vontade. Ser feliz não é uma tarefa fácil, pois é o resultado de outras aquisições, tais como: tolerância, aceitação, paciência, coragem, fé e gratidão.

Parafraseando o poeta: Felicidade existe sim, desde que desenvolvida em nós mesmos e expandida para os nossos relacionamentos.

Você é, realmente, feliz?2020-02-17T20:31:19+00:00
8 04, 2018

Ser feliz é mais fácil do que parece

2018-04-08T22:25:59+00:00

Suely Buriasco

Nos treinamentos que faço, nos e-mails que recebo e mesmo na convivência com outras pessoas percebo o quanto é difícil simplificar as coisas em prol de se sentir feliz. Tudo parece tão intenso e cansativo, muitas vezes até dramático e as pessoas seguem suas vidas tão distraídas, que parecem não se dar conta de que vivem momentos únicos, afinal, o tempo não volta. Pior ainda é a culpa ao caírem em si e perceberem que para muitos erros não há conserto e é preciso encarar as consequências, porque essas sempre recaem a quem por elas é responsável.

Claro que relacionamentos não são fáceis e, muitas vezes, são mesmo extremamente difíceis, até porque o ser humano é muito complexo. Se pensarmos que não existe nesse planeta uma só pessoa que pense da mesma forma, podemos compreender a tamanha complexidade da convivência. Algumas afinidades aqui, outras ali, mas de todo as diferenças são sempre mais expressivas, até porque é o que nos chama mais atenção. O que muitas vezes não percebo é a conscientização das pessoas de que ter bons relacionamentos é sempre muito mais gratificante.

Nesse sentido vale alguns lembretes:

1- Aceite diferenças

Simples assim, ou melhor, complicado assim, que seja! O fato é que as diferenças fazem parte da vida e aceitá-las é abrir campo para novas possibilidades, tanto para ampliar conhecimentos, como para desenvolver maior compreensão.

2- Você não precisa ter razão sempre

É um grande alívio não precisar estar certo o tempo todo; provar que tem razão é um grande desperdício de energia. Muitas vezes o melhor a fazer é seguir com sua própria opinião e deixar que as pessoas pensem como desejam.

3- Priorize e releve

Nem tudo precisa ser levado “a ferro e fogo”, vale priorizar preocupações e se importar somente com o que realmente é necessário. Releve situações que não merecem a sua afetação.

Ser feliz, sem dúvida, exige grande esforço e um dos maiores é equilibrar o orgulho, mas quem já experimentou a recompensa, certamente, entende o quanto vale à pena, afinal qual o ganho de quem cultiva mágoa ou tristeza?

Pense nisso!

Ser feliz é mais fácil do que parece2018-04-08T22:25:59+00:00
15 05, 2017

Ser feliz é uma escolha, sofrer faz parte

2017-05-15T19:15:58+00:00

Suely Buriasco

A felicidade deve estar em nossas maiores prioridades de vida. Já ouvi muita crítica sobre vivermos uma época em que a felicidade virou uma obrigação e que nunca se falou tanto nela. Ora ninguém consegue ser feliz por obrigação, a felicidade é sentimento, tem que surgir lá no íntimo, onde não há como se enganar, muito menos servir de aparência.

Felicidade aparente é ilusão passageira

Entretanto, é preciso que estejamos alertas para que a busca pela felicidade não se torne a busca apenas pela aparência. A exposição nas redes sociais, por exemplo, incentivam pessoas que cultivam o gosto de demonstrar sentimentos que nem sempre são verdadeiros e, por outro lado, isso causa certo descontentamento em quem “assiste” a tanta satisfação. Duas situações muito negativas; a primeira porque quem vive de aparência não se dedica a essência e, portanto não é feliz realmente; a segunda porque quem vive reparando na vida dos outros, não tem tempo de investir na própria vida.

A felicidade é a realidade vista com otimismo

Muitos já estão percebendo que enfrentar os desafios da vida com alegria, aumenta a disposição e revigora as energias. A autoconfiança, consequência da boa autoestima, tem se mostrado fundamental para o bom desempenho tanto na vida pessoal, como profissional. Mas não se pode entender que a opção pela felicidade nos livre das dificuldades e perdas que causam sofrimento e fazem parte da vida de qualquer pessoa. Buscar a felicidade não é ignorar a realidade e sim enxergá-la sob um ângulo otimista, afinal a maneira como encaramos qualquer situação definirá como iremos nos sentir. Todos nós temos nossas dificuldades e nem tudo é cor de rosa na vida de ninguém, mas é possível encarar os momentos difíceis como aprendizado, buscando agir sempre de forma a sentir-se satisfeito consigo mesmo.

A gratidão gera felicidade

Assim, penso que a felicidade deve ser aclamada, mas principalmente vivida de forma real e verdadeira. Quem é realmente feliz não tem necessidade de aparências; demonstra em atos, na forma de viver e inspira outras pessoas. A felicidade depende, pois, de cada um, da forma como busca exemplos e se dedica a vivenciá-los em sua alma. Acredito na felicidade como consequência da gratidão que nos faz valorizar tanto as coisas boas, que as outras ficam para segundo plano.

Ser feliz não é um luxo ou trivialidade; é uma necessidade e um direito incondicional de todo o ser humano. Experimente!

Suely Buriasco

Coaching e Mediadora de Conflitos

www.suelyburiasco.com.br

Ser feliz é uma escolha, sofrer faz parte2017-05-15T19:15:58+00:00
17 05, 2016

5 dicas para mudar a sua vida e ser mais feliz

2016-05-17T20:22:23+00:00

Por Suely Buriasco

13227097_1230032290355260_8079688707428588146_nPara crescer é preciso mudar a maneira de pensar e agir, esse é um processo contínuo que representa a busca pelo autoconhecimento e satisfação íntima. Somos todos seres humanos inacabados, em processo evolutivo; comprometer-se com a própria transformação é, pois, garantir o amadurecimento pessoal. A consequência é que pessoas maduras têm maior controle sobre suas emoções e, dessa forma conseguem lidar melhor com as dificuldades da vida, superando-as mais facilmente.

Somente você mesmo pode avaliar quais as mudanças que precisa privilegiar para se sentir melhor e mais feliz, mas claro que algumas dicas são fontes de reflexão e, nesse sentido, ajudam muito. Vamos pensar em algumas:

1- Desacelere sua vida
Você precisa se dar um tempo para “ouvir” a si mesmo; refletir é essencial para entender o que precisa ser feito. Se você vive ocupado(a) não terá tempo para pensar sobre sua vida e muito menos para tomar medidas para mudá-la. Organize seu tempo de modo a não desprezar o que realmente pode lhe provocar felicidade.

2- Tenha disposição para a mudança
Ninguém pode mudar a sua vida a não ser você mesmo, portanto a sua vontade é fundamental. Para desenvolver o desejo de mudança primeiro você deve perceber que sua vida pode ser melhor do que é agora, não importa o quão boa ela possa ser, sempre pode melhorar. Claro que quanto maior a insatisfação, mais razões para mudar.

3- Assuma as rédeas de sua vida
Apropriar-se da própria vida significa deixar de terceirizar responsabilidades, isso é, eliminar desculpas e se posicionar como único dirigente. Ninguém muda enquanto culpa os outros e as situações pelas dificuldades de sua vida; encare os acontecimentos com a determinação de quem reconhece que tudo depende de você.

4- Eleja prioridades
Encontre o que realmente é importante para você: sua saúde, seu bem estar e tudo o que representa a sua satisfação, pois é a partir disso que você conseguirá usufruir de bons relacionamentos e até mesmo da realização profissional. Pense em seus reais valores com ser humano e experimente viver da forma que acredita correta, mudando hábitos que não combinam com a sua nova maneira de encarar a vida.

5- Repense suas crenças
Elimine pensamentos do tipo: “Eu não posso”, “Isso é muito para mim” ou “Não adianta”. Substitua crenças limitantes por crenças motivadoras do tipo: “Eu posso”, “Só depende de mim” e “Eu faço”. Então você se sentirá mais forte e capaz de promover as mudanças que deseja.

Mudar exige grande esforço, não há dúvida, mas quando você percebe o quanto vale a pena a vontade se fortalece. Assim como escreveu Clarice Eizenberg no livro Bagagens e Muletas: “Tenha determinação e invista na poupança dos créditos positivos das mudanças”.

É com você!

5 dicas para mudar a sua vida e ser mais feliz2016-05-17T20:22:23+00:00
15 02, 2016

Saber ser feliz é preciso

2016-02-15T13:35:27+00:00

Por Suely Buriasco

Naked athleteClaro que o importante é ser feliz! Dar o melhor de nós para viver de forma plena e intensa os bons sentimentos junto com os nossos afetos é o que dá sentido para a vida. Tudo à favor em querer ser feliz, em cultivar momentos que nos sublime a alma, junto com os eleitos de nosso coração, mas o que percebemos é que, muitas vezes, não agimos de forma coerente ao resultado que buscamos.

O verso de Vicente de Carvalho provoca profunda reflexão ao se referir a felicidade: “Existe, sim: mas nós não a alcançamos. Porque está sempre apenas onde a pomos. E nunca a pomos onde nós estamos”. O fato é que somos os construtores de nossa vida e assim os responsáveis por fazê-la mais agradável e feliz. Quando trazemos para nós essa responsabilidade as possibilidades se ampliam e transformamos dificuldades em desafios.

Atualmente parecemos viver uma ditadura pela felicidade, as pessoas querem ser feliz a qualquer preço e dessa forma acabam se sentindo cada vez mais insatisfeitas, vazias, inúteis. As redes sociais contribuem para a relevância da aparência, do mostrar o que não se é e o que não se tem. Essa concorrência causa danos emocionais intensos e transforma pessoas em escravos de um sentimento que deveria trazer paz, tranquilidade. Tamanha inversão da felicidade “a qualquer preço” pode provocar tudo, menos real satisfação.

Felicidade é sentimento, tem a ver com o nosso mundo interior, nossas aquisições espirituais e realizações pessoais. Ninguém pode ser feliz sem, inicialmente, amar a si mesmo e autoestima vai muito além de aparências. Muitas pessoas bonitas, famosas e de boa condição financeira, que fazem lindas viagens e divulgam o quanto suas vidas são maravilhosas, na verdade possuem a alma dorida por difíceis situações ocultas. Felicidade não se aparenta, por si só ela se expande, porque quem é realmente feliz se preocupa em inspirar esse sentimento para mais pessoas.

E, demais a mais, felicidade não é um estado de humor contínuo; essa busca desenfreada beira a insanidade. Todos temos nossas dificuldades, perdas irreparáveis que nos causam dissabor e tristeza. Você pode ter um bom dia, chegar em casa feliz e se deparar com uma notícia que lhe cause tristeza, mesmo não atingindo diretamente você. Além de nossas próprias dificuldades, difícil não nos sensibilizarmos com a dor alheia. O fato é que ninguém é totalmente feliz o tempo todo.

Nossa busca pela felicidade precisa ser serena, pautada na conscientização de que satisfação genuína é um trabalho árduo, que exige dedicação, resiliência e grande força de vontade. Ser feliz não é uma tarefa fácil, pois é o resultado de outras aquisições, tais como: tolerância, aceitação, paciência, coragem, fé e gratidão.

Parafraseando o poeta: Felicidade existe sim, desde que desenvolvida em nós mesmos e expandida para os nossos relacionamentos.

 

 

Saber ser feliz é preciso2016-02-15T13:35:27+00:00
8 04, 2015

Ser feliz é mais fácil que ser triste

2018-04-08T19:38:34+00:00

Por Suely Buriasco

FELICIDADENos treinamentos que faço, nos e-mails que recebo e mesmo na convivência com outras pessoas percebo o quanto é difícil simplificar as coisas em prol de se sentir feliz. Tudo parece tão intenso e cansativo, muitas vezes até dramático e as pessoas seguem suas vidas tão distraídas, que parecem não se dar conta de que vivem momentos únicos, afinal, o tempo não volta. Pior ainda é a culpa ao caírem em si e perceberem que para muitos erros não há conserto e é preciso encarar as consequências, porque essas sempre recaem a quem por elas é responsável.

Claro que relacionamentos não são fáceis e, muitas vezes, são mesmo extremamente difíceis, até porque o ser humano é muito complexo. Se pensarmos que não existe nesse planeta uma só pessoa que pense da mesma forma, podemos compreender a tamanha complexidade da convivência. Algumas afinidades aqui, outras ali, mas de todo as diferenças são sempre mais expressivas, até porque é o que nos chama mais atenção. O que muitas vezes não percebo é a conscientização das pessoas de que ter bons relacionamentos é sempre muito mais gratificante.

Nesse sentido vale alguns lembretes:

1- Aceite diferenças

Simples assim, ou melhor, complicado assim, que seja! O fato é que as diferenças fazem parte da vida e aceitá-las é abrir campo para novas possibilidades, tanto para ampliar conhecimentos, como para desenvolver maior compreensão.

2- Você não precisa ter razão sempre

É um grande alívio não precisar estar certo o tempo todo; provar que tem razão é um grande desperdício de energia. Muitas vezes o melhor a fazer é seguir com sua própria opinião e deixar que as pessoas pensem como desejam.

3- Priorize e releve

Nem tudo precisa ser levado “a ferro e fogo”, vale priorizar preocupações e se importar somente com o que realmente é necessário. Releve situações que não merecem a sua afetação.

Ser feliz, sem dúvida, exige grande esforço e um dos maiores é equilibrar o orgulho, mas quem já experimentou a recompensa, certamente, entende o quanto vale à pena, afinal qual o ganho de quem cultiva mágoa ou tristeza?

Pense nisso!

Ser feliz é mais fácil que ser triste2018-04-08T19:38:34+00:00
28 01, 2015

Ser feliz é um direito incondicional

2015-01-28T14:03:10+00:00

Por Suely Buriasco

feliz Já ouvi muita crítica sobre vivermos uma época em que a felicidade virou uma obrigação e que nunca se falou tanto nela. Eu não vejo as coisas bem dessa forma; acredito que a felicidade é um direito e, como tal, deve estar em nossas maiores prioridades de vida. Ninguém consegue ser feliz por obrigação, por que a felicidade é sentimento, tem que surgir lá no íntimo, onde não há como se enganar, muito menos servir de aparência.

Mas talvez seja verdade que nunca se ouviu falar tanto nela, afinal estamos percebendo que enfrentar os desafios da vida com alegria, aumenta a disposição e revigora as energias. A autoconfiança, consequência da boa autoestima, tem se mostrado fundamental para o bom desempenho tanto na vida pessoal, como profissional. Com certeza, muito tem se falado sobre isso, mas é preciso que estejamos alertas para que a busca pela felicidade não se torne a busca apenas pela aparência.

A exposição nas redes sociais, por exemplo, incentivam pessoas que cultivam o gosto de demonstrar sentimentos que nem sempre são verdadeiros e, por outro lado, isso causa certo descontentamento em quem “assiste” a tanta felicidade. Duas situações muito negativas; a primeira porque quem vive de aparência não se dedica a essência e, portanto não busca ser feliz realmente; a segunda porque quem vive reparando na vida dos outros, não tem tempo de investir na própria vida.

Buscar a felicidade não é ignorar a realidade e sim enxergá-la sob um ângulo otimista, afinal a maneira como encaramos qualquer situação definirá como iremos nos sentir. Todos nós temos nossas dificuldades e nem tudo é cor de rosa na vida de ninguém, mas é possível encarar os momentos difíceis como aprendizado, buscando agir sempre de forma a sentir-se satisfeito consigo mesmo.

Assim, penso que a felicidade deve ser aclamada, mas principalmente vivida de forma real e verdadeira. Quem é realmente feliz não tem necessidade de aparências; demonstra em atos, na forma de viver e inspira outras pessoas. A felicidade depende, pois, de cada um, da forma como busca exemplos e se dedica a vivenciá-los em sua alma. Acredito na felicidade como consequência da gratidão que nos faz valorizar tanto as coisas boas, que as outras ficam para segundo plano.

Apesar das críticas, o fato é que ser feliz não é um luxo ou trivialidade; é uma necessidade e um direito incondicional de todo o ser humano.

Ser feliz é um direito incondicional2015-01-28T14:03:10+00:00
4 01, 2011

Como ter um ano feliz!

2011-01-04T13:49:07+00:00

Ao iniciar um novo ano é comum elaborarmos planos que nos garantam felicidade, entretanto, poucas vezes nos atemos na necessidade de construirmos esse sentimento em nossas vidas.
É absolutamente preciso compreender que a felicidade é uma conquista que se dá à medida que nos envolvemos em atitudes capazes de promover sucesso coletivo. Afinal, ninguém pode ser feliz a custa da infelicidade de outra pessoa, porque vivemos num mesmo mundo onde as atitudes de uns afetam a todos.
O sentimento real de felicidade faz parte de um método gradual de crescimento íntimo, sendo a realização de um constante trabalho interior. É forçoso tomar consciência de que todas as circunstâncias de nossas vidas, sejam elas felizes ou não, são o resultado direto de nossas próprias atitudes. Ser feliz não é uma questão exterior, não tem a ver com eventos, com aquisições materiais, com companhia ou falta dela. Ser feliz é uma atitude comportamental em face das tarefas a que nos comprometemos a desempenhar na vida. É, portanto, trabalho íntimo de cada um que somado resultará na felicidade de todos.
Enquanto acreditarmos que a nossa felicidade está nas mãos de outras pessoas, não a alcançaremos, é imprescindível conquistá-la primeiramente em nós mesmos. Ninguém pode nos fazer felizes ou infelizes, somos nós mesmos que regemos o nosso destino. Culpar os outros pela insatisfação de nossa alma não é sábio, nem produtivo. Não nos leva a nada! Encontramos felicidade quando aprendemos a respeitar e amar nosso semelhante sem limitações preconceituosas, levando em conta que cada pessoa é um ser singular e distinto. É assim que a nossa felicidade está intimamente ligada na capacidade de nos ajustar às diversas pessoas e situações que fazem parte da nossa vida. Do contrário, construímos castelos na areia e investimos em ilusões românticas, condenando-nos sempre a decepções crônicas.
A felicidade é um longo processo de ajustamento e crescimento pessoal e não uma meta de curta etapa. A nossa destinação é ser feliz e quanto mais cedo iniciarmos esse progresso tão logo se dilatará os momentos que nos fazem felizes na Terra.
Que esse ano seja feliz depende, assim, de mim, de você e de todos nós juntos!

Como ter um ano feliz!2011-01-04T13:49:07+00:00
WhatsApp chat