fbpx

superação

28 06, 2021

A vida é uma sucessão de ciclos

2021-06-28T03:17:27+00:00

Nada na vida é imutável! Estamos sempre acompanhando movimentos, nos movimentando e nos adaptando ao novo, ao inédito e ao diferente. Vivemos o que chamamos de fases e cada uma delas é composta de pessoas e situações. Algumas perduram mais tempo, outras se evadem com a rotação de nossos ciclos de vida.

Adaptar-se a novos ciclos é uma necessidade que exige grande transformação e, portanto, coragem. Significa entre outras coisas, aprender a lidar com as perdas, com o que fica em tempo passado, com o que não pode mais nos acompanhar. E isso inclui muita coisa; amigos, amores, familiares, juventude, bens materiais… Familiares que desaparecem fisicamente, amores que buscam outros caminhos, filhos que assumem a própria vida, períodos de doença e o corpo sentindo a passagem do tempo.

A vida segue em alternância de ciclos prósperos, outros nem tanto, num movimento que foge a nossa vontade. O que nos resta é aprender a fechar os ciclos, dando espaço para o novo e, buscando aprender com o que passou; abrir-se a ensinamentos inéditos. Afinal, a passagem dos ciclos nos é involuntária, mas a maneira como enfrentamos isso é escolha de cada um de nós.

Fechar um ciclo é permitir que ele fique no passado; é aceitar não vivê-lo mais. Isso não tem nada a ver com amar menos ou com ingratidão; desapegar-se das pessoas e circunstâncias não significa esquecê-las e sim deixá-las seguir o próprio rumo, enquanto também seguimos o nosso. Dessa forma harmonizamo-nos com o tempo, com a vida, conosco mesmo e, consequentemente, com as pessoas que nos rodeiam. As pessoas, muitas vezes, estão tão inflexíveis em seus ciclos passados que não aproveitam nem valorizam situações e pessoas que representam o seu presente, em ambas as designações da palavra.

Portanto, bom mesmo é soltar as algemas do passado, virar a página, fechar o ciclo! Abrir a janela permitindo que ondas de luz e calor penetrem em nossa vida, dissipando as trevas de nossos pensamentos obscuros. Depressão, solidão, medos… Jogue fora! Assuma o agora, o que é possível viver e o faça de forma intensa e profícua. Muitas experiências ainda virão, muitos ciclos se fecharão para que outros se abram e essa é a magia da vida, o sentido de viver.

Permita-se ser feliz, escolher a alegria como forma de encarar qualquer dificuldade. Seja quem você é agora, mas não receie mudar, pois a vida nos ensina que aceitar mudanças é amadurecer, tornando-se mais forte e seguro.

A vida é uma sucessão de ciclos2021-06-28T03:17:27+00:00
4 06, 2021

Frustrações, decepções, desilusões e Cia Ilimitada

2021-06-04T22:16:32+00:00

Em algum momento da vida todos atravessamos sentimentos angustiantes que nos fazem experimentar nossas próprias limitações. Perda de entes queridos, perdas materiais, traição conjugal, de amigos ou familiares… Enfim, várias situações que nos acometem causando grande sofrimento.

Frustração é um sentimento de impotência diante de algo esperado que não acontece, um desejo que não se realiza, uma expectativa que fracassa.

A frustração causa certa desestruturação emocional e, em alguns casos, pode apresentar consequências sérias. Em contrapartida, esse sentimento é essencial para o desenvolvimento mental, afinal, a partir das experiências frustradas é possível aprender, crescer e criar novas formas funcionais de interagir com o mundo. Assim, é preciso encarar que a frustração faz parte da vida, sendo fundamental para o desenvolvimento do ser humano.

A decepção acontece quando há uma diferença entre aquilo que esperávamos e aquilo que realmente aconteceu, seja algo que envolve outras pessoas ou somente nós mesmos.

As decepções fazem parte da vida e é preciso aprender a lidar com elas, afinal, quem nunca experimentou esse sentimento?

O abalo emocional é eminente e o sofrimento é proporcional à intensidade desse. A decepção é muito similar à frustração, que também precisa ser experimentada de forma a promover o aprendizado e o crescimento.

A desilusão é consequência da perda da ilusão em relação a uma situação, nos mesmos ou outras pessoas. Acontece quando nossas esperanças se baseiam em supostos direitos, probabilidades ou promessas em relação a nossas crenças que não são universais. Esperamos algo sobre o qual não temos controle e quando essas expectativas não são satisfeitas, sentimo-nos revoltados, adotando frequentemente o papel de “vítima”. A própria palavra ilusão é o contrário de desilusão, logo, se nos desiludimos é porque antes criamos uma ilusão. Essa clareza nos auxilia à superação.

Cada pessoa sente à sua maneira e com intensidade própria, também é individual a maneira de se manifestar, o fato é que ninguém escapa desses sentimentos. Então o melhor é fazer deles um fator que motive alguma ação que nos permita crescer, avançar rumo ao nosso objetivo, questionar e encarar a realidade como ela é. Bom lembrar que, muitas vezes, o abalo emocional é muito grande fazendo necessário a busca de ajuda profissional.

As frustrações, decepções e desilusões são processos naturais, no entanto, sofrer infinitamente por eles não.

Frustrações, decepções, desilusões e Cia Ilimitada2021-06-04T22:16:32+00:00
28 03, 2021

Renovar e Seguir

2021-03-28T16:41:26+00:00

Especialistas afirmam que sentir-se amado é uma necessidade emocional primária nos humanos. Essa necessidade nos acompanha por toda a vida, por isso na infância buscamos afeto dos pais ou responsáveis e na vida adulta dos parceiros amorosos, familiares e amigos. O grande problema é que queremos o amor da forma como o entendemos e as pessoas o entendem de forma diversa. Sim, eu estou afirmando que muitos desencontros acontecem pela dificuldade em entender o que o outro deseja, ou seja, por falta de empatia.

Em meu livro Mediando Conflitos no Relacionamento à Dois conto várias situações que viví e vivo na minha rotina de atendimentos. Casos baseados em fatos reais, guardando total privacidade dos envolvidos. Situações comuns de pessoas, especialmente casais, que se desentendem e sofrem, mesmo se amando. A questão da comunicação é muito séria; falamos o mesmo idioma, mas não a mesma linguagem e nos embaraçamos muito com isso.

Se pensarmos que a nossa natureza clama por amor, entenderemos que essa crise na saúde, se revela e expande para uma crise emocional. Complicado para quem passou a estar muito tempo junto como cônjuges; pais e filhos; irmãos; amigos… Também difícil para os que se afastaram de seus entes queridos. Não tem sido fácil para ninguém! Minha reflexão não tem o sentido de intensificar sofrimento, pelo contrário, acredito que constatar nossas necessidades pode ser o diferencial para sairmos renovados dessa situação que, com certeza, vai passar. A vida é cíclica e eu acredito que aprender o máximo de cada ciclo é trilhar o caminho da nossa evolução espiritual.

No meio dessa reflexão surgiu em minha mente a proximidade da Páscoa e senti que um pensamento de desdobrou ao outro. Afinal, a mais antiga e importante festividade cristã celebra a ressurreição de Jesus ocorrida ao terceiro dia após sua crucificação no Calvário, conforme o relato do Novo Testamento. Segundo os dicionários ressureição significa “volta à vida”, “reaparecimento” e, em sentido figurado: “energia, vigor, disposição ou vida nova”. Com certeza vivemos um período em que necessitamos ressurgir de nós mesmo para superar tamanhas dificuldades.

Aquele que morreu na cruz é o modelo de todo cristão e Ele nos provou que podemos vencer qualquer obstáculo, inclusive a morte. Isso nos leva a concluir que por maior que seja o calvário, temos condições de enfrenta-lo. Seu maior mandamento é: “Amar à Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”. Sendo o amor a nossa grande necessidade, encontramos no Mestre a bússola precisa para nos orientarmos nesse e em todos os momentos de nossas vidas. Quer ser amado? Ame, simplesmente.

Feliz Páscoa! Feliz renascimento!

Renovar e Seguir2021-03-28T16:41:26+00:00
25 10, 2020

Como se sentir mais livre e feliz?

2020-10-25T21:12:31+00:00

A liberdade é uma aspiração inata ao ser humano, não há como se sentir pleno sem se sentir livre. Num mundo onde as pressões se avolumam e as pessoas, muitas vezes, se sentem sufocadas, pode parecer um paradoxo a busca do bem estar. No entanto, é totalmente possível, mesmo diante das pressões do dia a dia, experimentar a serenidade de se sentir livre.

 

Alguns comportamentos fazem toda a diferença no bem estar que podemos desenvolver em nossas vidas. Pensemos em alguns:

 

Pare de se preocupar com que os outros pensam

Acreditando que o melhor é não entrar em conflito com os outros, muitas vezes, entramos em conflito conosco mesmo. Dizer “sim” quando na verdade queremos dizer “não” é um exemplo disso. Se você identifica esse comportamento em sua vida vale dar mais atenção para a sua autoestima, normalmente isso tem a ver com medo da rejeição, com a questão de ser aceito. Viver preocupado com o que os outros vão pensar é um erro que custa a nossa liberdade e, consequentemente, o nosso bem estar.

 

Ame a si mesmo

Aceite-se como você é. É libertador aceitar o corpo e mente que temos, não lute contra a si mesmo. Procure melhorar sempre, mas não se esqueça de valorizar o que você tem e, principalmente, quem você é. A autoestima tem muito a ver com nossos valores. Não se limite!

 

Seja verdadeiro consigo mesmo

Sentimo-nos livres quando agimos de conformidade com as nossas próprias convicções. Deixe de lado as expectativas dos outros, não aceite pressões, honre seus próprios objetivos e aspirações. Concentre-se em seus valores e participe de atividades que estejam alinhadas com o que, realmente, é mais importante para você.

 

Mantenha o bom humor

A vida não escraviza ninguém, mas muitos se sentem presos pelas dificuldades que experimentam. Quando você privilegia o lado bom, deixa de reclamar e passa a agradecer. As situações parecem menos perturbadoras quando a vemos com bom humor. Rir de si mesmo e dos absurdos que lhe cercam coloca uma barreira saudável entre as situações e a sua percepção do que está acontecendo. Isso é libertador!

 

Pense na vida de forma mais ampla, tudo passa e os bons momentos é que merecem ênfase. Vivencie pensamentos mais positivos e mantenha a mente aberta. Quanto mais psicologicamente flexível você for, mais livre se sentirá.

Como se sentir mais livre e feliz?2020-10-25T21:12:31+00:00
21 06, 2020

Ostra Feliz não faz Pérola

2020-06-21T22:53:16+00:00

Adoro ler Rubem Alves e seu livro “Ostra feliz não faz pérola” é um dos meus prediletos. Não é a primeira vez que escrevo sobre ele, penso que vivemos um momento muito oportuno para as suas reflexões.
A pérola não é natural na ostra, na verdade é um tipo de mutação que ocorre quando um grão de areia entra na cavidade daquele molusco. É um corpo estranho e a ostra o rejeita envolvendo-o com uma substância que se solidifica de forma lisa e arredondada que conhecemos como pérola e que é muito valiosa. Na visão do poeta esse grão de areia causa dor à ostra e ela pensa: “Preciso envolver essa areia pontiaguda que me machuca com uma esfera lisa que lhe tire as pontas…” Daí o título do livro.
Penso na dor que nos acomete como sendo também um corpo estranho porque acredito que a natureza humana é feliz e acho brilhante a comparação de Rubem Alves: “Pessoas felizes não sentem necessidade de criar”.
Quando é que saímos da área de conforto, nos impulsionando para criar novas alternativas? Não é quando algo nos provoca, nos assusta ou causa dor? É por isso que as nossas maiores realizações acontecem quando estamos em conflito, quando precisamos superar dificuldades e criar opções diferentes. Dificilmente alguém que se sinta bem quer avançar sabendo que enfrentará desafios. Não dizem que “time que está ganhando não se mexe”? E é assim também que muitos perdem a oportunidade de crescer pessoalmente e profissionalmente, ficando estagnados.
Transformar nossas dificuldades em pérolas é aproveitar da dor para conquistar ganhos muito maiores. É inovar-se; é reinventar-se! A natureza é toda mutável e assim também nós, seres humanos, podemos ser mais flexíveis e desafiadores. Usar de nossa inteligência para criar novos conceitos, formas mais dignas de viver e inspirar nossos semelhantes.
Ostra feliz não faz pérola, segundo o autor, representa as suas próprias areias pontiagudas que o machucam; “para livrar da dor, escrevi”. Mas é, sobretudo, uma doce inspiração para todos os que se sentem machucados pelas arestas da vida a encontrar a sua própria fórmula de produzir uma preciosidade a partir delas.
Além de deixar de sofrer, ainda merecerão a joia. E o que pode ser mais valioso na vida que a superação de si mesmo?

Ostra Feliz não faz Pérola2020-06-21T22:53:16+00:00
17 05, 2020

A esperança não pode morrer

2020-05-17T23:26:17+00:00

Mário Sérgio Cortella, teólogo, filósofo e professor lembra a importância de entender esperança como sendo do verbo esperançar e não do verbo esperar. O verbo esperançar significa “levantar-se e ir atrás; agir; construir alternativas e soluções; levar adiante uma ideia, um projeto; nunca desistir”. Esperançar é almejar, sonhar, agir, buscar. É, na verdade, o contrário de esperar, apesar de muitos confundirem.

 

O mínimo que precisamos é saber que esperamos por algo de importância para a nossa vida e, o máximo, é quando vivemos para fazer isso acontecer. Abrimos nossos olhos a cada dia porque temos esperança, vislumbramos oportunidade de novas possibilidades. Se há algo que não se pode perder jamais é a esperança.

 

Assim, em momentos de dificuldade vale usar de algumas estratégias para manter a esperança em alta:

 

Considere as coisas incríveis que você já fez

Ninguém está sempre bem humorado, muito menos diante de dificuldades. Lembrar do que você já superou e conseguiu transformar na sua vida é uma forma de criar mecanismos de enfrentamento que, certamente, o colocarão em posição de focar nas possíveis soluções.

 

Cerque-se de otimismo

Se você tem um problema tudo o que não precisa é de pensamentos desfavoráveis ou pessoas negativas que, certamente, inflexibilizarão a sua iniciativa de enfrentamento. Substitua reclamações, não se permita o papel de vítima e afaste-se das “âncoras”, seja pessoas ou situações. Procure manter-se informado da realidade, não para se influenciar, mas para conhecer o que vai superar.

 

Busque apoio na fé

A fé pode ser uma grande fonte de inspiração, se não a maior. Se você acredita em Deus encontre esperança numa oração sincera, dedique-se a ações que o façam se sentir mais próximo Dele. Ter fé em uma Divindade facilita acreditar em você mesmo, na sua própria capacidade. A confiança em Deus promove a confiança em si mesmo.

 

Seja corajoso

Manter a esperança exige coragem para agir, para enfrentar. O medo é natural diante das dificuldades que nos desafiam, corajoso é quem o enfrenta, afastando o pânico, esse sim sempre nefasto. O medo é uma emoção positiva no sentido que nos deixa alerta ao perigo, a coragem faz nascer a certeza de que é possível vencer.

 

Se você quer manter a esperança em sua vida só tem que se aliar a ela, procurando o lado bom de todas as situações e agindo por um bem maior. Esperança é acreditar e agir!

 

Suely Buriasco

Mediação de Conflitos e Coaching

A esperança não pode morrer2020-05-17T23:26:17+00:00
11 05, 2020

Fé como alavanca de superação

2020-05-17T23:28:12+00:00

Pela etimologia, a palavra fé tem origem no Grego “pistia” que indica a noção de acreditar e no Latim “fides“, que remete para uma atitude de fidelidade. Trata-se do acreditar em algo, ou em alguém, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação. Ter fé é acreditar pela absoluta confiança que depositamos nessa ideia ou fonte de transmissão. Também significa esperança que, independente do que aconteça, tudo pode ser superado.

 

No contexto religioso a fé está aliada na aceitação absoluta dos princípios difundidos por determinada religião e na existência de uma divindade. Todavia, existem pessoas que não se dedicam a nenhum tipo de religião, mas são pessoas de fé. Ou seja, não acreditam em postulados, mas creem em uma força extrafísica e em atitudes que condizem com suas próprias crenças. Há pessoas, ainda, que rejeitam as divindades ou outros seres sobrenaturais. Estes não possuem a fé religiosa, o que não os impede de desenvolver esse atributo de outras formas. A fé está intimamente ligada a confiança, por isso ela pode ser concebida também fora do ambiente religioso.

 

Entender a fé de forma mais ampla nos credencia a relacionamentos harmônicos, afinal, nos livra do grande engodo dos “donos da verdade”. Então nos sentimos tranquilos quanto a respeitar as diferenças, entender que o próximo tem o direito a ter a sua fé e a vivê-la da maneira que melhor lhe convém.

Eu fico pensando em quantas guerras, quantas discussões, quanto sofrimento seriam evitados com isso. E mais, quanto poderíamos estar unidos por um mundo mais justo e equitativo.

 

Diante das adversidades da vida, é preciso acreditar que o amanhã será melhor e que isso depende muito de nossas ações no presente. É a fé que nos impulsiona a dar o próximo passo, a enfrentar os obstáculos e seguir em frente. A fé faz brotar a esperança, sentimento que torna possível colocar em prática o que for preciso para a realização daquilo que almejamos. Portando, ainda que seja apenas em nós mesmos, é de extrema importância para nossas vidas, para nos manter firmes em nosso propósito. Aliada a ação a fé é o instrumento de transformação mais poderoso que existe. Acreditar e agir, fazer o que nos compete para mudar as situações que nos incomodam é um passo importante em busca de uma vida próspera em todos os sentidos.

Fé como alavanca de superação2020-05-17T23:28:12+00:00
19 04, 2020

Não deixe de sonhar

2020-04-26T04:33:42+00:00

Vivemos uma crise na saúde que, inevitavelmente, atinge todos os níveis das nossas vidas: financeiro, econômico, relacional, político, mental… Tempos difíceis, momento de graves revelações que têm desorientado todos os setores da sociedade. Diante desse quadro vemos muitas pessoas desanimadas, com medo e falta de esperança no futuro, ou seja, soma-se uma crise existencial, pessoal que pode tomar proporções inimagináveis.

 

Claro que lidamos com uma situação inusitada e assustadora, mas o fato é que, ainda assim, vale o ditado: O problema não é o problema e sim a forma como lidamos com ele. Não é a crise que provoca o negativismo e sim a forma de encará-la. Tanto é verdade que muitas pessoas criam novas possibilidades, vencem as dificuldades e prosperam em meio a crises. E isso sempre aconteceu na história da humanidade e vai acontecer agora também. Para tanto precisamos focar na superação, criando novas possibilidades de vencer nossas dificuldades e a de quantos pudermos ajudar.

 

Nesse momento de transição algumas dicas podem ajudar:

Não absorva informações negativas

Não se trata de fechar os olhos para a realidade, mas excesso de informação pode ser muito tóxico. Melhor focar na saúde física e mental. É difícil não se entristecer com a dor de quem perde um ente querido ou o ganha pão. Como não se indignar com tantos absurdos que estamos presenciando. De qualquer forma, não tem sentido trazer esse negativismo para a nossa vida e das pessoas que convivem conosco. Seja filtro e não esponja!

Trabalhe seus pontos fracos

Uma mente brilhante tem consciência de que não domina tudo e está sempre aberta a novos aprendizados. Para dar vida a seus sonhos você precisa detectar o que precisa ser mudado em seu comportamento. Crise é oportunidade de crescimento quando transformada em desafio. É fundamental buscar subsídios para enfrentar as dificuldades, um processo de melhoria constante.

Substitua pensamentos e hábitos negativos

Durante toda a nossa vida vamos acumulando crenças que nos limitam e, consequentemente, nos prejudicam. A ideia é substituí-las por crenças positivas, ou seja, que nos motivem e impulsionem a agir. Tudo começa pelo pensamento, portanto, o primeiro passo é pensar positivo. Acostume-se a trocar cada pensamento, palavra e ação que prejudica você ou qualquer pessoa, por algo que engrandeça, isso terá um efeito excepcional na sua vida.

Tenha atitude

Quando alguém me procura para sessões de Coaching eu vou logo explicando que essa metodologia é fantástica, mas só funciona com quem tem atitude. Não adianta ter um sonho se você não é capaz de realizá-lo e não se dispõe a se capacitar. É preciso fazer um plano de ação em direção aos objetivos desejados, mas é fundamental agir com foco e determinação.

 

Não adianta perder energia reclamando, a pandemia é uma realidade que vai mexer no bolso de todo mundo. Precisamos pensar em preservar vidas, a economia seremos capazes de reverter com criatividade e trabalho eficiente. Encarar que teremos que empreender diferente para superar as dificuldades econômicas que, fatalmente, virão. Uma mente vencedora não permite que seu brilho se desfaça, que o desânimo se aninhe ou que forças negativas a envolva. Transformar a própria mente em vencedora é um trabalho árduo, mas, efetivamente, vale muito a pena!

Suely Buriasco

Não deixe de sonhar2020-04-26T04:33:42+00:00
2 12, 2019

Nem tudo vai dar certo… E vai ficar tudo bem

2019-12-02T20:40:06+00:00

Suely Buriasco

“Nada é impossível”, “se você quer, você consegue”, “perdeu a batalha, mas não perdeu a guerra”. Essas são algumas frases que vemos correr fácil por aí, passando a impressão de que tudo depende de você e, se não aconteceu, faltou algo de sua parte. Motivar é importante, mas é preciso ter discernimento, afinal viver é enfrentar desafios e, importante mesmo, é estar preparado para os altos e baixos naturais.

Já assisti pessoas em êxtase cair no mais baixo ânimo por não conseguirem realizar seus planos. Sentem-se culpadas pelo que não deu certo, incapazes e inferiores. Isso é muito preocupante! Vivemos um tempo em que as pessoas tem obrigação de fazer tudo dar certo e de ser felizes. Isso também tem se manifestado muito fortemente em nossos jovens. Especialistas alertam para uma geração que não aceita ser contrariada, que não sabe enfrentar suas expectativas fracassadas.

A verdade é que grande parte de nossos planos não se realizarão da forma como desejamos, mesmo que nos esforcemos, afinal muitas coisas não dependem apenas de nós mesmos. Compreender que tem coisas que a gente só precisa aceitar e seguir “tocando a vida” é questão de amadurecimento.

Nem tudo vai dar certo…

A ideia desse estudo que se transformou em palestra é abordar a inteligência emocional como forma de desenvolver bons relacionamentos consigo mesmo e com o outro. A ideia é mostrar que é possível aprender a lidar com as frustrações, encontrando assim forças e motivação para fazer o seu melhor. Afinal de contas ninguém é obrigado a fazer tudo para que algo “dê certo”, o papel de cada um é fazer o máximo, dando o melhor de si mesmo.

E vai ficar tudo bem.

Motivação mesmo é superar o desencantamento e seguir fazendo das decepções degraus para o desenvolvimento da paciência e da resignação. Direcionar energias para seguir lutando, mesmo quando tudo pareça estar dando errado.

Manter o pensamento positivo não porque acredita que isso resolve tudo, mas porque entende que isso muda a sua forma de olhar e lidar com tudo. Os estudos da Neurociência podem nos ajudar muito a lidar com decepções e nos manter confiantes.

“Nem tudo vai dar certo… E vai ficar tudo bem” é uma palestra motivacional que vai fazer você pensar no quanto o conhecimento científico pode favorecer a sua vida de modo que você se sinta mais pleno e feliz REALMENTE.

Nem tudo vai dar certo… E vai ficar tudo bem2019-12-02T20:40:06+00:00
2 06, 2015

Preste atenção nas pessoas vitoriosas

2015-06-02T17:40:37+00:00

Por Suely Buriasco

Eu já havia assistido palestras de José Luiz Tejon em DVD e sempre fui grande admiradora, mas nada comparável com a experiência de escutá-lo pessoalmente sobre o tema “A Grande Virada | Regras de Ouro da Superação”. Com certeza, prestar atenção em pessoas capazes de iluminar nosso caminho nos inspira a buscar maior sentido na própria vida.

A história de superação de Tejon e, mais ainda, a forma como ele a conta é emocionante. Ele sinceramente não considera que ter o corpo queimado e o rosto desfigurado aos quatro anos de idade ou ter passado anos em tratamento seja uma tragédia irremediável.

São palavras suas: “Saiba, que quanto maior for o sofrimento ou a gravidade da situação infeliz que está vivendo, maior é a energia que você acumula para romper com o sofrimento e maior é a força para realizar seu sonho legítimo. Desde que, é claro, você deseje isso”.

Tejon não escolheu ser vítima, muito pelo contrário, usou sua história para alavancar a própria vida, sempre muito grato, soube aproveitar os ensinamentos dos pais adotivos que lhe inspiraram coragem e perseverança no enfrentamento dos reveses da vida. Mas, ele conseguiu muito mais que isso: hoje inspira muitas pessoas a fazer de suas dificuldades alavancas de evolução pessoal e profissional.

Suas palavras fazem eco em nossas mentes nos levando a pensar em nossas próprias dificuldades e como precisamos lidar com elas pelo desejo de superá-las. Como ele mesmo exemplifica não é preciso ter o corpo queimado para aprender a lidar com as diferenças e a dor, afinal todos temos nossas próprias tragédias pessoas. O que provocará a nossa evolução não é o que vivemos e sim, como vivemos; o que fazemos à partir do que temos. Sim, porque não adianta pensamentos do tipo: “Se as coisas fossem diferentes”, “Se isso não tivesse acontecido”, “Se…se”.

A palestra nos inspira a focar no que desejamos e a despender esforços no sentido de realizar. Para isso precisamos de modelos, assim: Quer ter progresso na vida pessoal? Preste atenção nas pessoas vitoriosas. Quer ter sucesso na vida profissional? Preste atenção nos melhores. Afaste qualquer sentimento mesquinho de orgulho ou inveja e tenha o bom senso de discernir no que você precisa melhorar para ser ou ter o que você deseja. Escolha estar entre os melhores.

José Luiz Tejon é uma dessas pessoas que devemos prestar muita atenção; que bom que tive a oportunidade de dizer isso olhando nos olhos dele, durante a plenária realizada pelo CIESP SBC – Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, regional de São Bernardo do Campo!

2IMG_0072 red

Preste atenção nas pessoas vitoriosas2015-06-02T17:40:37+00:00
14 07, 2014

Superar é preciso

2014-07-14T17:49:34+00:00

Suely Buriasco

frase_1O Brasil viveu um momento de grande tensão com o golpe sofrido pelo jogador brasileiro Neymar no jogo contra a Colômbia. O jogador colombiano Juan Zúñiga numa pancada maldosa fraturou a coluna do nosso craque, tirando-o da Copa do Mundo. Neymar nunca escondeu que seu grande sonho era jogar a final da Copa e levar o título: “Não quero ser o melhor. Só quero levar o título. É com isso que eu sempre sonhei”.
Dias depois mais um baque, vimos a seleção brasileira tomar 10 gols em apenas duas partidas. Foi nítida a decepção de todos os jogadores, afinal todos sonhavam em disputar uma final da Copa do Mundo em nosso país. Nós mesmos vimos o nosso sonho se desmanchar.

De tudo isso ficou uma importante lição. Muitas vezes a vida nos surpreende e diante do que era certo surge o duvidoso, então nos vemos diante de duas alternativas: sucumbimos ou superamos.  Sucumbir é entregar-se a revolta, sentindo-se vítima do destino e cultivar sofrimento. Superar é a escolha que dignifica e edifica o ser humano, ou seja, é a única opção viável para quem não aceita o fracasso. Na busca da superação somos impelidos a buscar alternativas que nos garantam a possibilidade de realização.

Encontrar forças para superar momentos de dificuldade, adequar situações adversas e até mesmo criar novos sonhos é um exercício de grande complexidade. Para tanto a autoconfiança é fundamental e representa o grande diferencial. Confiar em si mesmo é ter a certeza de que tem o poder de enfrentamento e, mesmo diante da dor, a fé em si mesmo é capaz de promover a transformação necessária. A fé Divina também se mostra essencial em momentos de insegurança; comprovadamente pessoas que acreditam no poder de Deus superam mais facilmente qualquer adversidade.

Neymar terá que dar a volta por cima diante desse acontecimento tão traumático, felizmente o menino já se mostrou guerreiro e não deixa dúvida disso. Os demais jogadores e toda a comissão técnica da seleção brasileira, terão que aprender a lidar com o fracasso, com as vaias, com a decepção de todos aqueles que se decepcionaram.

Diante de tudo isso,  fica a grande lição de que na vida é preciso estar preparado para inovar, transformar e, essencialmente superar. Que vale à pena confiar, criar alternativas diferentes e enfrentar com ânimo e disposição todo e qualquer obstáculo no caminho de nossos sonhos. Importante mesmo é jamais deixar de sonhar. E não basta apenas sonhar, é preciso planejar e ter disciplina, para se alcançar o sucesso. Que a lição do futebol nos inspire a viver dias melhores e de grandes realizações.

 

Superar é preciso2014-07-14T17:49:34+00:00
7 07, 2014

Superar é preciso

2014-07-07T14:03:35+00:00

Suely Buriasco

psd_suelyO Brasil viveu um momento de grande tensão com o golpe sofrido pelo jogador brasileiro Neymar no jogo contra a Colômbia. O jogador colombiano Juan Zúñiga numa pancada maldosa fraturou a coluna do nosso craque, tirando-o da Copa do Mundo. Neymar nunca escondeu que seu grande sonho era jogar a final da Copa e levar o título: “Não quero ser o melhor. Só quero levar o título. É com isso que eu sempre sonhei”. Essa semana o jogador declarou que terá que adiar o sonho.

Muitas vezes a vida nos surpreende e diante do que era certo surge o duvidoso, então nos vemos diante de duas alternativas: sucumbimos ou superamos. Sucumbir é entregar-se a revolta, sentindo-se vítima do destino e cultivar sofrimento. Superar é a escolha que dignifica e edifica o ser humano, ou seja, é a única opção viável para quem não aceita o fracasso. Na busca da superação somos impelidos a buscar alternativas que nos garantam a possibilidade de realização.

Encontrar forças para superar momentos de dificuldade, adequar situações adversas e até mesmo criar novos sonhos é um exercício de grande complexidade. Para tanto a autoconfiança é fundamental e representa o grande diferencial. Confiar em si mesmo é ter a certeza de que tem o poder de enfrentamento e, mesmo diante da dor, a fé em si mesmo é capaz de promover a transformação necessária. A fé Divina também se mostra essencial em momentos de insegurança; comprovadamente pessoas que acreditam no poder de Deus superam mais facilmente qualquer adversidade.

Neymar terá que dar a volta por cima diante desse acontecimento tão traumático, felizmente o menino já se mostrou guerreiro e não deixa dúvida disso. Ele não estará em campo, pelo menos não jogando, mas sem dúvida está no pensamento de cada brasileiro e, principalmente é uma grande motivação para que a Seleção Brasileira também encare a superação necessária para jogar sem o seu grande craque.

Diante desse acontecimento tão comovente fica a grande lição de que na vida é preciso estar preparado para inovar, transformar e, essencialmente superar. Que vale à pena confiar, criar alternativas diferentes e enfrentar com ânimo e disposição todo e qualquer obstáculo no caminho de nossos sonhos. Importante mesmo é jamais deixar de sonhar!

 

Superar é preciso2014-07-07T14:03:35+00:00
20 05, 2014

Fim do Casamento – A volta por cima

2014-05-20T13:41:02+00:00

Por Suely Buriasco

volta por cimaO fim do casamento de Zilú e Zezé de Camargo voltou às manchetes com a divulgação do divórcio que teria acontecido há duas semanas. O relacionamento já tem se mostrado conturbado há muito tempo, não são poucas as especulações sobre as traições de Zezé e agora Zilú declara ter dado a volta por cima.

Esse seria apenas mais um caso, se não fosse entre celebridades, mas o fato e que essa situação é mais comum do que se imagina. Infelizmente não são poucas as mulheres que lutam para manter seus relacionamentos, enfrentando todo tipo de situação. Claro que também já não são poucas as mulheres que se descomprometem com a fidelidade no casamento, mas, de forma geral, ainda são elas que mais sofrem pela traição de seus maridos.

A traição provoca sentimentos de grande dor e confusão emocional, tanto é assim que muitos especialistas comparam essa dor com o luto. E, de certa forma, é mesmo isso, afinal é muito grande a decepção! Zilú toca ainda num ponto crucial quando fala que seu sofrimento foi maior quando soube que Zezé tinha uma amante fixa e foi então “que a casa caiu”, como ela mesma se expressou. Parece comum que mulheres façam distinção entre casos extraconjugais fortuitos e contínuos, talvez porque a ameaça pareça maior no último.

Mas o que realmente merece destaque nessas declarações diz respeito ao fato dela ter lutado pelo relacionamento que teve início na adolescência, enfrentado muitas dificuldades e apoiado o marido sempre na realização de seu sonho. Entretanto, parece realmente ter dado a “volta por cima” porque não se mostra rancorosa, diz que nunca pensou em vingança, que continua sócia dele e já anuncia um novo romance. Claro que estou me baseando no que foi divulgado, mas o fato é que esse é um exemplo para mulheres que passam por essa experiência.

Dar a volta por cima é assumir o poder de superar qualquer tipo de traição; é sobrepujar a dor e sair mais forte da situação. Dar a volta por cima é manter um relacionamento enquanto sentir que vale à pena lutar por ele ou aceitar a separação quando todas as tentativas se mostrarem vãs. Para tanto é preciso assumir espírito de luta, não se permitindo entregar-se facilmente. É encontrar a própria essência, enfrentado a situação sem se vitimar ou se humilhar, porque nunca será humilhante lutar pela própria felicidade.

Assim como a personagem Lara do romance Uma fênix em Praga, dar a volta por cima é transformar a dor em crescimento; é deixar-se queimar até ver esgotadas as últimas possibilidades para depois renascer em novas e radiantes plumagens.

Fim do Casamento – A volta por cima2014-05-20T13:41:02+00:00
24 07, 2013

Fé, ainda que em si mesmo!

2013-07-24T17:31:32+00:00

A vinda do Papa Francisco ao Brasil para participar da Jornada Mundial da Juventude, evento religioso criado pelo Papa João Paulo II em 1984, me leva a refletir sobre a fé. Reflexão que compartilho com vocês nesse momento.

De acordo com o site Wikipedia, fé é uma palavra com origem no Latim “fides” e que significa fidelidade. Trata-se do acreditar em algo, ou em alguém, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação. Ter fé é acreditar pela absoluta confiança que depositamos nessa ideia ou fonte de transmissão.

É possível ter fé em uma pessoa, um objetivo, até mesmo uma ideologia ou um pensamento. Para mim a fé é uma grande alavanca de superação.

Ter fé significa que, diante de algum problema – seja ele relativo a saúde, ao dinheiro, aos relacionamentos – não falta a confiança de que tudo vai mudar para melhor.

Por Suely Buriasco

reduz-siteDentro das religiões a fé é a virtude dos que acreditam na existência de uma força maior. Os cristãos têm fé em Jesus Cristo; as religiões de raiz africana cultuam a fé aos orixás. Isso sem falar nos judeus, islâmicos etc. Cada um com a sua fé e a sua maneira de demonstrá-la.

Existem também as pessoas que se denominam ateus, aqueles que rejeitam as divindades ou outros seres sobrenaturais. Eles alegam a falta de evidências empíricas à respeito da existência de Deus.

Mas até mesmo os ateus têm fé, não a fé nas divindades, mas a fé neles mesmos e nos potencial que possuem para vencer.

Portando a fé, ainda que seja apenas em nós mesmos, é de extrema importância para nossas vidas, para nos manter firmes em nosso propósito.

É ela que nos impulsiona a dar o próximo passo, a enfrentar os obstáculos e seguir em frente.

Diante das dificuldades do dia a dia, é preciso acreditar em algo. Acreditar que o amanhã será melhor, que a dificuldade do momento será superada.

Sob o meu ponto de vista, a fé ganha mais força quando está aliada a ação. Acreditar e agir, mudar as situações que nos incomodam é um passo importante em busca de uma vida harmônica. Respeitar as diferenças, entender que o próximo tem o direito a ter a sua fé e a vivê-la da maneira que melhor lhe convém.

Quantas guerras, quantas discussões, quanto sofrimento não seria evitado se pudéssemos respeitar a fé do próximo. Nesse momento os católicos estão em festa. Amanhã podem ser os evangélicos, os kardecistas, os budistas, os islâmicos e até mesmo os ateus. Se soubermos observar e tentarmos aprender algo com a fé do próximo, com certeza seremos seres humanos mais completos e felizes.

Fé, ainda que em si mesmo!2013-07-24T17:31:32+00:00
13 01, 2011

Aceitar para Superar

2011-01-13T16:51:16+00:00

Por Suely Buriasco

Sempre que um ano se inicia é comum que alguns conflitos internos se desencadeiem mais fortemente, afinal diante do novo é inevitável pensar no que gostaríamos de ter feito diferente. Isso pode ser muito positivo no sentido de buscar estratégias e incorporar formas mais adequadas para conseguirmos atingir os objetivos que não se concretizaram no ano passado. Mas também pode representar um estado de cobrança muito prejudicial ao nosso estado mental quando nos revoltamos e não aceitamos o que somos impotentes para transformar.
A aceitação de situações que fogem ao nosso controle é um grande passo para o gerenciamento desses conflitos interiores. Aceitar não é submeter-se ao que não se concorda, não é absolutamente se entregar e deixar de lutar por suas convicções. Trata-se de conscientizar-se do que é possível ou não mudar em relação a alguém ou alguma situação. Aceitar é sábio, pois, além de evitar muito sofrimento, ainda nos estimula e fortalece para a superação necessária. As nossas ações no passado não podem ser alteradas, entretanto, a maneira como agimos deve representar a transformação que desejamos. Afinal, se os fins não nos estão satisfazendo; é necessário alterarmos os meios. Culpar-se por atitudes já tomadas é manter-se em sofrimento por algo que não existe mais. O passado é uma somatória de experiências importantes para o crescimento de cada um e é nele que encontramos sentido para muitas situações do presente. Entretanto, uma visão futurista e progressista muito nos pode ajudar no sentido de não nos fixarmos em retrospectivas improdutivas.
Esse período de início de ano inspira reflexões profundas ao ser humano que deseja maior qualidade de vida e é importante que se constate o que, por alguma razão, não foi realizado no ano que se findou. No entanto, é preciso que esse pensamento seja exclusivamente com objetivo reflexivo. Nada de pensamentos tristonhos; apenas uma avaliação do que ainda se quer realizar e como fazê-lo. Buscar novas alternativas de ação no presente é redimir-se, transformando a si mesmo e, por conseguinte, as situações.  Dessa forma, é a aceitação com ação revigorante que promove a paz e dissolve esses conflitos internos adequando-os para níveis positivos e sensatos.
Dissolver conflitos é remetê-los do plano emocional para o racional, não é tarefa fácil, mas possível. O diálogo interior onde questionamos a nós mesmos sobre nossos valores, crenças e sentimentos é uma ação recomendável para quem deseja mudanças significativas na própria vida. A compreensão de nossos sentimentos faculta a orientação que necessitamos para a transformação que desejamos em nossas vidas!

Aceitar para Superar2011-01-13T16:51:16+00:00
29 06, 2010

Essas Mulheres!

2021-03-08T17:37:38+00:00

Há quem seja contra, mas eu adoro que haja um dia em especial para homenagear mulheres de incontestável valor. Um mês todo? Melhor ainda! Concordo que existem mulheres que merecem todo o ano, mas essas por si só já se fazem homenageadas. Então, porque não demonstrar nosso respeito e veneração?

Mães, avós, esposas, profissionais, educadoras; célebres ou anônimas… Mulheres dinâmicas que transformam seus afazeres em arte. Que sabem dizer “sim”, mas sendo necessário pronunciam o “não” com a mesma assertividade e doçura. As que já entenderam que lutar apenas não é o bastante, pois, imprescindível mesmo é ter ânimo para o Bem; é saber identificar valores morais essenciais, assimilá-los e, sobretudo, disseminá-los.  Mulheres comprometidas com seus deveres que encaram seus direitos com a naturalidade de quem sabe muito bem o valor que tem e jamais permite que eles sejam revogados ou desprezados. Essas que não se desgastam em provar força ou igualdade, pois entendem que o valor de seu papel no mundo é inquestionável. Vão à luta por seus desejos, mas nunca se desagregam dos bens mais caros de sua alma: sua moral legítima!

Mulheres que não almejam sucesso só para si, pois trazem no ventre, no colo, nas mãos e no coração as razões mais importantes para a vitória: o afeto dos seus! Pois que a razão de suas felicidades é a soma do seu “eu” completo mais a propagação do seu amor! Amor pelos filhos, pelo esposo, pela família como sendo a extensão de seu próprio amor, pois essas mulheres já entenderam que quem não se ama não tem talento para amar!  Sabem muito bem o que querem e persistem até conseguirem; então espalham, semeiam glória para que todos os seus afetos sejam incluídos nessa colheita. Mulheres que possuem a coragem de levantar-se dos próprios tombos, não como quem cambaleia na vida, mas como quem sabe que errar é humano e superar o erro é mais humano ainda, pois é digno de o ser. Essas com garra de fera e mãos de princesa que distinguem com maestria o momento de exibir uma e outra, pois não precisam de quem as defenda ou as protejam, mas almejam quem as conduzam com amor, respeito e devoção.

Mulheres que se destacam em todos os campos em que atuam porque são dedicadas, envolventes e não aceitam pouco de si mesmas! Essas sim merecem todas as cortesias, pois são o que se apregoam, vivem a realidade de si mesmas e não se acovardam por trás de máscaras; são “gente” na melhor acepção da palavra. Essas que enobrecem umas as outras e que merecem toda a admiração, toda deferência, toda atenção!

Essas mulheres!

Suely Buriasco
sburiasco@gmail.com

Essas Mulheres!2021-03-08T17:37:38+00:00
WhatsApp chat