fbpx

coaching

12 02, 2024

Como vencer a dependência emocional

2024-02-12T21:50:32+00:00

Na dependência emocional a pessoa se coloca totalmente subordinada a outra sem a qual não se sente segura nem mesmo para assumir as pequenas responsabilidades da vida. O bem estar e segurança pessoal estão intrinsicamente relacionados à presença do outro. É, assim, um grave entrave para os relacionamentos saudáveis, sendo responsável por um dos maiores sofrimentos dos seres humanos.

Origem

A dependência emocional pode ter origem numa educação rígida na qual os pais, bloqueando a liberdade dos filhos, os treinam para sempre dependerem deles. Na fase adulta esses filhos transferem para outra pessoa, normalmente um cônjuge e, na falta deste, um filho, a responsabilidade de cuidar deles.

Em casos mais agudos, a dependência emocional provém do sentimento de rejeição que pode ser real ou imaginário por parte de pessoas significativas em sua vida. Ao não se sentir amada a pessoa passa a viver de conformidade com a vontade do outro na tentativa desesperada de agradar, de se sentir aceita e, principalmente, de não ser abandonada.

Baixa autoestima

A dependência emocional é sempre acompanhada de carência excessiva. O dependente emocional se mostra uma pessoa fragilizada e fraca, que pode causar muitos desequilíbrios em qualquer tipo de relacionamento. Dificilmente uma relação verdadeira e autêntica suporta isso por muito tempo.

Suas emoções só podem depender de você mesmo

A busca da independência, por outro lado, não significa o isolamento. Todos nós dependemos de atenção, afeto, carinho, amor; o problema está no exagero que leva a pessoa a acreditar que não vive sem a outra. Qualquer relação deve ser baseada em trocas equivalentes e supõe pessoas inteiras, cientes de suas emoções, opiniões, crenças e valores.

Vencendo a dependência emocional

Se você se identifica como dependente emocional, precisa avaliar os motivos que o levaram a envolver-se em tamanha insegurança. A partir disso é possível iniciar o trabalho de ajustar-se psicologicamente, assumindo suas próprias emoções e responsabilidades. Nem sempre é um trabalho que se possa realizar sozinho, nesse caso não tarde em procurar ajuda profissional.

Isso jamais será possível sem autoconfiança, portanto o caminho é o de se redescobrir, entrando em contato com seu próprio eu. Mesmo que seja penoso é preciso lidar com a raiz do problema, derrubando ídolos e compreendendo o poder de si mesmo.

Lembrando Rubem Alves: “Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses”.

 

Como vencer a dependência emocional2024-02-12T21:50:32+00:00
8 01, 2024

10 maneiras de ser bom para si mesmo

2024-01-08T17:23:52+00:00

Muito se fala em autoestima, mas muita confusão ainda é feita, o amor-próprio é uma aquisição mais complexa e vai muito além de  se encher de mimos. Lembre-se que você é a pessoa mais importante da sua vida. Só quem se relaciona bem consigo mesmo está apto a construir bons relacionamentos com os outros. Então melhor prestar atenção nestas dicas de como ser bom para si mesmo.

1- Priorize-se

Mesmo que isso lhe traga algum sofrimento ou perturbações, nunca renuncie a sua vontade para agradar outras pessoas. Cuide de si em primeiro lugar, pois só assim conseguirá cuidar e ser realmente boa para os outros.

2- Seja verdadeiro(a)

Sua opinião merece ser considerada, portanto, não a omita, expresse seus sentimentos, pensamentos e vontades. Seja uma pessoa afetiva e assertiva, use da autenticidade com educação e respeito.

3- Trate bem de seu corpo

Cuide da própria aparência e, principalmente, da sua saúde. Dê ao seu corpo a nutrição, o exercício e o conforto necessários para melhorar a sua capacidade.

4- Use roupas confortáveis

Parece bobagem, mas é fundamental usar roupas que façam você se sentir bem, que se encaixam na sua personalidade e que sejam um complemento para o seu visual. Não é a roupa que faz você, mas o inverso é verdadeiro.

5- Construa uma boa vida

Pare de deixar a vida levar você, foque naquilo que lhe faz bem e escolha viver como você gosta. Isso não é utopia, claro que nem tudo acontecerá do seu jeito, mas você pode escolher tirar a melhor parte de tudo. Não coloque expectativa nos outros, construa a própria felicidade.

6- Aceite quem você é

Faça as pazes com você mesmo, procure melhorar sempre, mas ame a pessoa que você vê refletida no seu espelho, com qualidades e defeitos, beleza e imperfeições. Aja de forma a se sentir uma pessoa íntegra, inteira.

7- Tenha tempo para você

Claro que você tem muitas responsabilidades, mas nenhuma é maior que estar bem, afinal só a partir disso é que você cumprirá bem suas obrigações. Então dedique-se ao que lhe faz bem: um filme, um livro, escrever, pintar, cantar, dormir… Enfim, faça o que gosta e motive-se.

8- Admire-se

Você não precisa que outras pessoas demonstrem admiração quando você mesmo reconhece seus esforços para ser uma pessoa melhor a cada dia. Sem prepotência ou arrogância considere suas qualidades e valorize-se.

9- Não olhe para trás

Não há como mudar o passado, então não fique remoendo erros, ofensas ou qualquer coisa que se relacione a ele. Experiências passadas só devem servir para acrescentar maturidade e força em seu espírito. Deixe o velho ir e abra espaço para o novo!

10- Confie em Deus e em você mesmo

Use da oração para se conectar com o Superior e aceite a Sua manifestação na sua vida de forma sincera, vivendo de acordo com a sua consciência. Desenvolva a autoconfiança e se esforce genuinamente para ser uma pessoa melhor e construir uma vida mais saudável, espiritualizada e feliz.

Seguindo essas dicas certamente você se sentirá um ser humano merecedor de grandes alegrias na vida e, claro, vai fazer questão delas.

10 maneiras de ser bom para si mesmo2024-01-08T17:23:52+00:00
27 12, 2023

Passo a passo rumo aos seus objetivos

2023-12-27T19:29:33+00:00

Diante da expectativa de um novo ano é natural fazermos planos em torno de objetivos e sonhos que consideramos importantes para a nossa satisfação plena. No intuito de evitarmos frustrações é interessante observarmos que não basta querer; o primordial é fazer acontecer. Assim, nossos desejos mais facilmente se tornarão realidade pela execução de um projeto claro e bem analisado.

Mas como executar um planejamento didático, de fácil entendimento e que nos mantenha focado em nossos objetivos? Vale as dicas em passo a passo:

1º) Reflexão. Você não vai a lugar nenhum sem saber para onde quer ir. O momento é de avaliar seus desejos, perspectivas e possibilidades de execução. Lembre-se que a escolha de um objetivo pode significar alguma perda, então muito cuidado para não inverter valores, optando por coisas que não sejam de real importância na sua vida. Responda para si mesmo essas questões: O que realmente eu quero? O que ganho ou perco com isso? Vale a pena?

2º) O próximo passo refere-se a uma análise mais específica de seu objetivo. Ele é desafiador? É importante que não seja nem tão fácil que você não precise desprender esforços, nem tão difícil que você não se sinta em condições de executá-lo. Os desafios nos impulsionam e nos mantêm motivados na vida.

3º) Agora é preciso que você defina uma data final para que seu objetivo seja alcançado. Digamos que você especifique o final do ano, então você sabe que terá doze meses para agir. Isso é muito importante para a formação das metas que são, na verdade, o que é preciso realizar em pequenos períodos, no caso, meses, para alcançar a data final com sucesso.

4º) Feita a escolha do objetivo e determinado o tempo, agora é papel, lápis e borracha nas mãos. A importância do papel é você ter seu plano materializado; visualizá-lo faz toda diferença. O lápis e borracha também têm um sentido específico: você saber que é o arquiteto de seu plano e que, portanto, pode apagar e reescrevê-lo quantas vezes quiser ou achar conveniente. Isso evitará que você desista de seu objetivo final quando as coisas não saírem exatamente como você previa.

5º) Então é o momento de traçar seu plano. Desenhe uma linha vertical de cima para baixo terminando com uma seta, abaixo escreva claro e sucinto o seu objetivo. Ex: Emagrecer 10 quilos; trocar de carro; escrever um livro; renovar seu casamento; vencer um vício, adquirir determinada virtude e assim por diante. Lembre-se que você pode ter mais de um objetivo, mas é recomendável que trace planos separadamente.

6º) Muito bem, estamos quase lá. Divida a página em linhas horizontais no número que achar conveniente, mas é importante que o período de tempo seja curto para você não desanimar. Assim, se seu plano é para estar pronto em dezembro de 2024, conforme o exemplo acima; trace doze linhas que corresponderão aos meses. As linhas horizontais correspondem as metas por período que você precisa vencer para alcançar o objetivo final. Isso vai facilitar muito! Lembre-se que nas linhas horizontais você pode escrever e apagar, ou seja, adaptando e criando novas alternativas. É preciso estar preparado para o inesperado, criar espaço para as coisas novas. Mantenha intacta, no entanto, a linha vertical; esse é seu grande objetivo e você pensou muito bem antes de elegê-lo, lembra-se?

Seguindo essas dicas você criará em sua mente uma tendência comportamental que o colocará mais apto à realização de seus objetivos e mesmo de um grande sonho. Acredite que você tem esse poder e se dedique a criar programações mentais positivas com foco em suas prioridades.

Desejo-lhe muita sorte, lembrando que até para ter sorte é necessário ação e competência!

Passo a passo rumo aos seus objetivos2023-12-27T19:29:33+00:00
12 09, 2023

Porque fazer Análise de Perfil Comportamental?

2023-09-12T19:45:48+00:00

A Análise de Perfil Comportamental é uma ferramenta utilizada para identificar e compreender os padrões de comportamento de uma pessoa. Ela busca analisar as características, habilidades, preferências e motivações individuais, a fim de proporcionar uma visão mais clara sobre como a pessoa se comporta em diferentes situações. Existem diferentes métodos e abordagens para realizar a análise de perfil comportamental. Cada um deles possui suas próprias características e foco, mas todos têm como objetivo principal fornecer informações valiosas sobre o comportamento humano.

É  importante porque permite que as pessoas se conheçam melhor, entendam suas próprias motivações e preferências, e também compreendam melhor os outros ao seu redor. Com essa compreensão, é possível melhorar a comunicação, o trabalho em equipe, a liderança e até mesmo a tomada de decisões. Além disso, a análise de perfil comportamental também pode ser útil em processos de seleção e recrutamento, pois ajuda a identificar o perfil mais adequado para determinada função ou equipe. Também pode ser utilizada no desenvolvimento pessoal e profissional, auxiliando na identificação de pontos fortes e áreas de melhoria, e na definição de metas e estratégias para o crescimento.

A análise de perfil comportamental é uma ferramenta valiosa para compreender e melhorar o comportamento humano, tanto a nível individual quanto coletivo. Ela proporciona insights importantes sobre as características e motivações de cada pessoa, auxiliando no desenvolvimento pessoal, na melhoria das relações interpessoais e no alcance de objetivos.

Porque fazer Análise de Perfil Comportamental?2023-09-12T19:45:48+00:00
23 07, 2023

Palestra “Faça a sua Parte”

2023-07-23T22:41:27+00:00

Alegria imensa em participar do maior evento on-line de desenvolvimento pessoal em sua 5* edição – Virada Existencial – dos dias 30 de julho a 6 de agosto.
Muitas lideranças de diversas áreas estarão compartilhando suas experiências através de mini cursos e palestras. União de pessoas que acreditam e realizam com amor os seus propósitos.
O evento é gratuito e você também pode fazer essa virada na sua vida. Siga o @viradaexistencial no Instagran, comente “quero” em qualquer postagem e saberá como.

A minha palestra – live será no dia 04 de agosto das 17:00 às 17:30hs no meu perfil do Instagran @suelyburiasco . O tema é Faça sua Parte pela busca do que você deseja. Vamos juntos?!

Palestra “Faça a sua Parte”2023-07-23T22:41:27+00:00
23 07, 2023

7 posturas que você precisa abolir para ser feliz

2023-07-24T22:37:08+00:00

Muitas vezes complicamos a nossa própria vida com atitudes totalmente dispensáveis, ou seja, que poderiam ser evitadas em prol da nossa paz. Parece que nos colocamos no piloto automático e não analisamos o que temos feito de nossas vidas, até que algo nos afete profundamente. Quase sempre é a dor que nos inspira a refletir nas mudanças necessárias. Mas não precisa ser assim, artigos como esses têm por objetivo despertar seus leitores para a importância de transformar tudo o que lhes é prejudicial.

Abolindo essas posturas você facilita muito sua vida e, certamente, se sentirá muito mais feliz.

  1. Necessidade de estar sempre certo

Ter razão sempre é uma ilusão perigosa e prepotente. Perigosa porque é uma carga muito grande a ser carregada, o que pode levar a prejuízos de toda ordem. E prepotente porque ninguém tem essa capacidade. Deixe de ser o “dono da verdade” e aceite o desafio do aprendizado.

  1. Crenças limitantes

Durante a vida vamos acumulando crenças do tipo “é impossível”, “Não sou capaz” ou coisa assim. Por isso é preciso, de tempo em tempo, revisar nossas crenças e desistir de todas que nos impeçam de ser e fazer o que é melhor para nós mesmos e para os que nos rodeiam.

  1. Reclamar

Parar de se lamentar das pessoas, da vida, de tudo… A maneira como você enfrenta as diversas situações é que produzem os seus sentimentos. Cultivar pensamentos positivos, ser otimista e buscar o melhor de tudo e todos é garantia de serenidade e bem-estar.

  1. Criticar e culpar os outros

Críticas e julgamentos são potentes consumidores de energia positiva, enquanto que a compaixão é geradora. Assuma as responsabilidades que lhe cabem e desista de culpar os outros e dar desculpas por suas falhas.

  1. Viver o passado

O passado só serve por referência, não vivemos mais lá. Desapegar-se do que já passou é livrar-se das mágoas e culpas, um exercício de perdoar a si mesmo e aos outros. Livrar-se do passado é um ato de libertação que permite vivenciar o novo e evoluir.

  1. Necessidade de impressionar os outros

A preocupação com a crítica alheia é uma das maiores fontes de ansiedade e depressão. Lembre-se que você não precisa agradar todo mundo, você só precisa dar o seu melhor sempre. Reconhecer seus próprios esforços é que lhe trará o sentimento do dever cumprido, o resto é desgaste inútil de tempo e saúde.

  1. Resistir a mudança

Acredite: mudar é muito bom! O que faz alguém resistir às mudanças é o medo do novo, pura insegurança. É preciso optar por mudar tudo o que não está bom ou que pode melhorar, sair da zona de conforto e agir em favor de si mesmo e de quantos puder inspirar. Na natureza tudo está em movimento, essa é a nossa essência.

 

Se você identifica uma ou mais dessas posturas em seu comportamento inicie, com urgência, o trabalho de mudar. A felicidade é um sentimento muito bom, não vale a pena ser adiado.

7 posturas que você precisa abolir para ser feliz2023-07-24T22:37:08+00:00
5 06, 2023

4 razões pelas quais a sua autoestima pode estar baixa

2023-06-05T17:36:31+00:00

Todos nós temos experiências de vida que ajudam a moldar o que somos. Todos carregamos bagagens emocionais que definem nossas ações diante da vida e das outras pessoas. Paradigmas que se formaram muito antes do nosso nascimento, herança da educação e das influências que tivemos desde tenra idade. Todo esse contexto se reflete à forma como olhamos para nós mesmos, tendo grande impacto na nossa autoestima.

Amadurecemos quando nos determinamos a analisar que tipo de bagagem queremos carregar, ou seja, quando entendemos que alguns paradigmas já não nos servem mais e precisam ser quebrados. É nesse momento que assumimos as rédeas de nossas próprias vidas e saímos em busca de nós mesmos.

Para facilitar o seu despertamento observe algumas razões prováveis para a sua baixa autoestima:

  1. Crenças limitante

Conforme já o dissemos, desde o nosso nascimento somos influenciados pelas pessoas que nos rodeiam, bem como pelas experiências que vivenciamos. São influências positivas e negativas que vamos acumulando com o passar dos anos, formando nossos modelos mentais e percepções do mundo. Acontece que nem sempre essas percepções são verdadeiras, embora as tenhamos como tal. Por isso tudo o que acreditamos de negativo, sobre nós mesmos e a vida, precisa ser repensado.

Exemplo: Ideias do tipo “Eu não consigo”, “Eu não sou capaz”, “A vida é difícil”, “Não adianta”, “O mundo é cruel”, “As pessoas não prestam”, etc.

      2. Sentimento de rejeição

Você pode estar transferindo para a sua vida atual algum momento do passado em que se sentiu desprezado(a). Isso pode ter sido na infância, tanto na família como no ambiente escolar. Algo que tenha marcado de forma traumática a sua criança interior e que você não tenha superado. Também pode ter origem na vida adulta com o fim de um relacionamento ou desprezo por parte da pessoa amada.

Exemplo: Ideias do tipo “Ninguém me ama”, “Ninguém me quer”, “Estou sozinho”, “Não tenho importância para ninguém”, “Estou perdido”.

     3. Relacionamento tóxico

Conviver com pessoas que só enxergam o lado negativo de tudo, agressivas e infelizes minam os bons sentimentos e enfraquecem emocionalmente. O pior é que cria-se um ciclo vicioso, pois, a pessoa com baixa autoestima acredita que merece ser tratada dessa forma e atrai para si relacionamentos difíceis e desmotivadores.

   4. Sentimento de culpa

Todos nós cometemos erros. Todos nós fazemos coisas pelas quais nos lamentamos. Mas falhar não significa que você é um fracasso ou que não faz nada certo. Não deixe que as suas experiências ruins substituam as boas. Suas qualidades não desapareceram porque você cometeu um ato que a sua consciência reprova. O arrependimento só tem sentido quando buscamos redimir-nos do erro, não voltando a cometê-lo. Não deixe que isso impeça você de redimir-se e amar a si mesmo. Lembre-se que você ainda é uma pessoa amável, independentemente de seus erros.

Avalie essas razões e reflita se elas se enquadram na sua vida. Reconhecer isso é o primeiro passo para iniciar um processo de transformação íntima que provocará grande satisfação interior. O desenvolvimento da estima por si mesmo acontece a partir daí.

4 razões pelas quais a sua autoestima pode estar baixa2023-06-05T17:36:31+00:00
25 04, 2023

5 Dicas para lidar com gente intrometida

2023-04-25T02:38:02+00:00

É sempre muito difícil lidar com pessoas indiscretas que se envolvem em nossas vidas sem serem convidadas e agem de forma a influenciar acontecimentos que não lhes dizem respeito. Quando esse tipo de intromissão acontece na família ou no trabalho pode causar grande incômodo, se não real prejuízo. Por isso é muito importante que estejamos atentos e desenvolvamos estratégias eficazes para lidar com gente que se coloca em situação de evidência onde, nem mesmo, deveriam estar presentes.

Nesse sentido é importante considerar:

1- Distinguir as intenções

É importante procurar entender qual a razão dessa pessoa agir de forma inoportuna. Seria consciente? É com você ou com todo mundo? Muito cuidado em tolerar maldade revestida em dificuldades.

2- Aja com assertividade

De forma educada, mas definitiva é importante impor limites, demonstrando o que você aceita e o que não admite. Para tanto é imprescindível que você assuma suas posições com autenticidade, posicionando-se nitidamente. As palavras devem ser suaves, mas os argumentos fortes.

3- Não se deixe manipular

Pessoas intrometidas parecem ter o dom de influenciar os outros a agirem em conformidade com sua vontade. Preste atenção em conselhos exagerados que sugira a desunião, a discórdia e promovem a desconfiança e o mal-estar. Muitas pessoas se fazem de “amigas” no intuito de aniquilar seu casamento, sua família e seu trabalho.

 4- Faça do sorriso um aliado

Quando a franqueza não leva a pessoa a entender que você está impondo limites, tudo o que você precisa fazer é sorrir e sair de perto. Assim também você estará dando oportunidade para ela repensar suas atitudes e, quem sabe, mudar o comportamento em relação a você.

 5- Não dê chance aos bisbilhoteiros

Por mais íntima que uma pessoa seja, ela definitivamente não tem que saber de coisas que não lhes diz respeito, portanto, você não tem obrigação de informar nada a ela. Não dê a ela qualquer chance de instalar-se na sua vida, como diz o ditado “todo cuidado é pouco“.

Seja persistente nessas ações, não se permita manipular e, muito menos, deixar que essas pessoas prejudiquem a sua vida. Desenvolva compaixão, ninguém que é feliz age dessa forma, mas não dê a elas oportunidade para minar a sua felicidade.

5 Dicas para lidar com gente intrometida2023-04-25T02:38:02+00:00
22 08, 2022

Como lidar com alguém arrogante

2022-08-22T20:00:42+00:00

Pessoas arrogantes são aquelas que se mostram superiores às demais; elas sempre sabem tudo e detêm toda a razão. Pior ainda: tratam mal e humilham os outros. Pessoas arrogantes são muito orgulhosas e querem mostrar algo que, na realidade, sabem que não são. Possuem problemas sérios de baixa autoestima e por isso duvidam de si mesmas e de seu potencial. A arrogância é uma máscara que pessoas assim imputam a si mesmas por não considerarem que são suficientemente boas.

É importante conhecer as características das pessoas arrogantes no sentido de compreender como funciona esse mecanismo de defesa criado por elas. Dessa forma, fica mais fácil desenvolver estratégias pelas quais você não permita que pessoas assim ajam negativamente na sua vida.

 Não aceite provocação

É muito interessante pensar nas razões pelas quais a pessoa consegue afetar você. Esse processo de autoconhecimento é muito importante para livrar-se do julgo do outro não se deixando mais abalar.

 Não entre em disputa

Tudo o que a pessoa arrogante deseja é ter razão, assim, procure não estabelecer qualquer tipo de disputa com ela. Seja assertivo em suas posições, mas jamais torne isso uma competição.

 Não se deixe intimidar

Olhe nos olhos e fale normalmente, cuidado para não demonstrar enfrentamento, aja como você é, independente para quem seja.

 Não entre em discórdia

É importante não alimentar sentimentos de raiva ou desejo de vingança. Pelo que já vimos, pessoas assim precisam mesmo é de compaixão.

Desenvolva a autoconfiança e você não mais se afetará, deixando claro ao arrogante que não pretende prejudicá-lo. Isso fará com que ele se sinta menos inseguro em relação a você, desarmando-se de sua arrogância.

Como lidar com alguém arrogante2022-08-22T20:00:42+00:00
14 03, 2022

O Coaching e a Comunicação Inteligente

2022-03-14T19:50:06+00:00

Um dos fatores predominantes na construção de conflitos é a maneira como as pessoas expõem seus próprios pontos de vista. Isso é tão interessante que, muitas vezes, duas pessoas se desentendem mesmo pensando da mesma forma sobre alguma razão. Na verdade, o que determina o grau de entendimento é a forma pela qual a comunicação é desenvolvida, ou seja, não é tanto o que se fala, mas como se fala.

A imposição dos próprios valores é um grande entrave nos relacionamentos, pois, representa o desrespeito aos valores alheios. Julgando e rotulando pessoas acabamos por marginalizá-las, conferindo-lhes um lugar perpétuo imposto simplesmente pela discordância de ideias. Dessa forma não é possível desenvolver uma comunicação eficaz, muito menos manter um relacionamento saudável.

Pela empatia abrimos novas alternativas e intensificamos as possibilidades de entendimento com as pessoas que, de alguma forma, convivem conosco. Afinal, a empatia nos inspira a dar significado aos sentimentos e convicções alheias. Isso é engrandecedor, pois amplia nossa habilidade de entender e se fazer entendido socialmente.

A comunicação empática tem por consequência melhorar nossa aptidão em construir bons relacionamentos, estabelecidos não simplesmente pela afinidade de pensamentos, mas substancialmente na consideração e respeito ao outro. Trocando em miúdos; você pode se relacionar bem com qualquer pessoa, mesmo que ela pense muito diferente de você. Não se trata de mudar as próprias concepções, mas essencialmente de permitir que as outras pessoas também tenham as suas e, mais ainda, que tenham esse direito, assim como você mesmo.

Ao compreendermos sentimentos que não são nossos, envolvemo-nos na compaixão e desbloqueamos os canais de transmissão e recepção das mensagens. Assim entendemos que, na maioria das vezes, o que impera nos conflitos de relações não é o “certo ou o errado”, mas sim o “diferente”. Acabamos por usar as diferenças a favor da harmonia, nisso reside um grande crescimento pessoal que, fatalmente, terá reflexo em todos os níveis de nossa vida. O Life Coaching facilita esse entendimento, além de trabalhar a comunicação, através do conhecimento aplicado, de forma a melhorar habilidades para o desenvolvimento de relacionamentos mais maduros, satisfatórios e, porque não dizer, felizes.

O Coaching e a Comunicação Inteligente2022-03-14T19:50:06+00:00
15 11, 2021

Seu comportamento; sua vida.

2021-11-15T18:06:01+00:00

Recebo várias mensagens de pessoas que se dizem insatisfeitas com a própria vida: relacionamentos difíceis, ciúmes, solidão e por ai vai. Muitos sabem apontar a insatisfação, mas poucos compreendem que ela pode ser consequência de seus próprios comportamentos. O fato é que quase sempre são as nossas ações que produzem os resultados pelos quais reclamamos. Portanto, se você quer sair desse engodo e criar para si uma vida mais feliz, comece por promover uma mudança comportamental na sua vida.

O que é mudança comportamental?

É uma transformação dos próprios atos a partir da identificação de um comportamento improdutivo ou que provoque qualquer mal ou desconforto. O primeiro passo é, pois, procurar decifrar qual hábito está sendo nocivo na sua vida e assumir a responsabilidade por suas próprias insatisfações. Esquecer desculpas e parar de culpar os outros são medidas fundamentais para promover a mudança que você deseja na sua vida. O objetivo é mudar os padrões de pensamento e ação para mudar os resultados.

Por que mudar?

Muitas pessoas identificam o que precisam mudar, mas não se sentem capazes de fazê-lo. Escuto muito coisas do tipo: “eu sei que esse ciúmes está acabando com o meu relacionamento, mas não consigo mudar” ou “jogo minha ansiedade na comida, não posso me controlar”, ou ainda “sou egoísta e afasto as pessoas de mim, mas não sei ser de outro jeito”. Alguns são tão inflexíveis que se deixam afetar pela síndrome da Gabriela: “Eu nasci assim eu cresci assim e sou mesmo assim, vou ser sempre assim”. Parece que não se conscientizam do sentido evolutivo da vida: transformar-se continuamente para viver melhor e mais feliz.

Como promover essa mudança?

Esse é um passo fundamental para a sua felicidade: saia da zona de conforto, lute e dê o melhor de si para substituir hábitos negativos por positivos, seja uma pessoa proativa. Cada vez que sentir desânimo lembre-se de que está em suas mãos ter uma vida mais produtiva, um trabalho prazeroso, uma família harmoniosa e relacionamentos empáticos. É a sua vida e, portanto, você pode e deve transformá-la a fim de ser uma pessoa realizada e feliz consigo mesmo.

Como o Coaching facilita a mudança de comportamento?

Com técnicas efetivas e cientificamente comprovadas para gerenciar comportamentos, o Coaching apresenta ótimos resultados. Um coach é alguém que disponibiliza e monitora ferramentas que preparam o coachee ou cliente para o enfrentamento das dificuldades com foco nos resultados esperados. Dessa forma, a mudança comportamental acontece mais facilmente pela ação dos métodos aplicados. O Coaching ajuda você a definir onde está , onde quer chegar e qual é o caminho até lá.

Mudanças comportamentais são imprescindíveis para a realização de qualquer pessoa, seja na vida pessoal como na profissional e, portanto, são medidas urgentes. Lembrando Sêneca: “Apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida”.

Seu comportamento; sua vida.2021-11-15T18:06:01+00:00
19 07, 2021

Os 5 pilares do bem-estar

2021-07-19T13:37:24+00:00

O Positive Coaching estuda e aplica a Psicologia Positiva. Historicamente essa ciência se preocupou em tratar as patologias mentais. O movimento da Psicologia Positiva surge com Seligman and Csikszentmihalyi (2000) que oferecem uma nova abordagem que investiga o bem-estar e não a doença.

Em 2011 no livro “Florescer”, Martin Saligman definiu 5 pilares para o bem- estar sobre os quais refletiremos abaixo:

Emoções positivas

O foco da Psicologia Positiva são os pontos positivos, que são reconhecidos como forças e virtudes do caráter. É um campo da ciência psicológica baseado na crença de que é possível identificar, compreender, desenvolver, promover e cultivar os mecanismos necessários para viver-se de maneira mais significativa e satisfatória (Seligman, 2009).

Engajamento

Quando focamos em algo e nos engajamos completamente nisso entramos num estado de bem-estar chamado de “Flow” por Mihaly Csikszentmihalyique e que seria esse estado de total absorção numa determinada atividade, que pode ser até estressante, mas provoca grande satisfação depois de executada. O flow possui cinco características: clareza, concentração, escolha, compromisso e mudança.

Relacionamentos

Somos seres sociais e nosso bem-estar aumenta a medida que construímos relacionamentos fortes com família, amigos, vizinhos, colegas de trabalho, etc.

Significado

Pessoas que veem suas vidas plenas de significado são as que direcionam sua energia para seus objetivos. São três atividades que absorvem nossa energia psíquica, e sobre as quais mantemos nossa atenção (Kamei, 2014): atividades produtivas (trabalho, estudo), em atividades de manutenção (cuidados com a casa, alimentação, cuidados pessoais, transporte) e em lazer. Colocar significado nessas atividades, desde as mais simples, provoca grande satisfação.

Realizações

Todo ser humano precisa se sentir realizado, vitorioso. Para alcançar o bem-estar e a felicidade precisamos, em algum momento, poder afirmar genuinamente: “Eu fiz isso”. “Eu fiz isso muito bem”.

Nas sessões do Positive Coaching o que se busca é identificar as forças do coachee ou cliente e junto com ele estabelecer estratégias para usá-las segundo os pilares acima na busca do desenvolvimento de uma vida mais plena e feliz.

Os 5 pilares do bem-estar2021-07-19T13:37:24+00:00
1 02, 2021

O relacionamento no trabalho é questão profissional

2021-02-01T19:10:38+00:00

Fiz uma enquete nas redes sociais é o assunto mais solicitado foi o do relacionamento no trabalho. Isso não me espantou em nada, afinal, a maior parte do dia o trabalhador convive com colegas, além de que, todo bom profissional precisa cumprir alguns quesitos importantes e a boa convivência é, sem dúvida, um deles.

É uma situação muito delicada quando surgem conflitos entre colegas; a convivência tende a se complicar e, por consequência, o rendimento no trabalho é comprometido. Se essa situação se prolonga o colaborador fica desmotivado e, muitas vezes, o trabalho passa a ser um suplício. Assim, dedicar-se ao cultivo da boa convivência é fundamental.

Algumas reflexões podem ajudar:

Autoanálise

Antes de qualquer ação é importante analisar qual a razão pela qual você está se sentindo tão afetado pelo outro. Seu colega pode ser uma pessoa difícil, mas você não precisa deixar que as ações dele influenciem as suas emoções. Lembre-se que as pessoas só fazem conosco aquilo que permitimos.

Paciência

Às vezes é mesmo muito difícil conviver com alguém que nos incomoda emocionalmente, mas essa é uma situação oportuna para desenvolver a paciência. E ninguém perde por ser mais paciente, certo? Lembrando Franz Kafka: “Todos os erros humanos são impaciência, uma interrupção prematura de um trabalho metódico”.

Assertividade

O diálogo pode ser, em muitos casos, necessário para a busca de solução. É preciso levar em consideração que não se trata de um monólogo e, muito menos, de um bate-boca. Portanto, todo cuidado é pouco para não piorar ainda mais a situação. Escolha um momento propício, fale com educação e deixe muito claro o que está incomodando você.

Interesse

Uma conversa com o objetivo de solucionar conflitos precisa ter via dupla. Portanto, não se esqueça de dar ao outro o mesmo direito que você deseja para si. Ouça com atenção, procurando compreender, genuinamente, os sentimentos de seu colega. Muitas vezes ofendemos as pessoas, mesmo sem querer, leve em consideração que isso é uma possibilidade. Seja empático!

Manter relacionamentos harmônicos no trabalho é um desafio constante que precisa ser encarado com maturidade, bom senso e, claro, profissionalismo.

Suely Buriasco

 

O relacionamento no trabalho é questão profissional2021-02-01T19:10:38+00:00
18 01, 2021

As 7 Regras de Ouro do Coach – Código de Ética

2021-01-18T18:03:44+00:00
1. Aplicar o coaching com ética, integridade e honestidade.
2. Zelar pela credibilidade do coaching.
3. Sempre oferecer sigilo ao cliente e ater-se ao princípio do não julgamento.
4. Investir no autodesenvolvimento para buscar a excelência.
5. Manter uma conduta ética tanto na vida pessoal quanto profissional.
6. Formar uma parceria de resultados com o cliente.
7. Contribuir para a melhoria de indivíduos, times e empresas.
Sociedade Brasileira de Coaching #coaching #coach #ética #sbcoaching #suelyburiasco
As 7 Regras de Ouro do Coach – Código de Ética2021-01-18T18:03:44+00:00
11 01, 2021

Coaching no Fantástico

2021-01-11T01:50:10+00:00

Ótima reportagem apresentada no programa Fantástico, da Rede Globo, no dia 10/01/2021 sobre a carreira de Coach. É importante esclarecer o papel desse profissional e alertar sobre os aventureiros que se denominam como tal.

O Coaching é um treinamento de habilidades que visa atingir um objetivo específico. Para tanto se utiliza de ferramentas que promovem a compreensão e o autoconhecimento. É uma metodologia de autorreflexão e despertamento visando a ação em direção ao que se almeja.

Para aplicar Coaching é fundamental estudar e se preparar muito. Assim, antes de contratar um coach é preciso buscar informações mais precisas do profissional, afinal, como em qualquer profissão, existem os que buscam excelência e os que só visam seus próprios interesses.

Se você pensa em contratar um coach seja muito seletivo.

Suely Buriasco

Sociedade Brasileira de Coaching

Coaching no Fantástico2021-01-11T01:50:10+00:00
14 09, 2020

3 passos para o SUCESSO

2020-09-14T21:45:37+00:00

Todo mundo anseia por sucesso tanto profissional, como pessoal. Ter um bom trabalho que renda dinheiro e satisfação, ter relacionamentos saudáveis e agradáveis, realizar sonhos… No entanto, se você observar com atenção verá que muitas pessoas apenas deixam a vida passar, não se concentram em nada, totalmente acomodadas em suas rotinas desmotivadoras. Demonstram insatisfação, muitas se sentem vítimas e se lamentam, mas nada fazem para mudar essa situação. O que eu tenho a dizer é: não sirva a essa estatística, não se acomode, mude o que precisa ser mudado.

 

O processo de mudança inclui autoconhecimento e evolução pessoal. É fundamental que você olhe para si mesmo e compreenda o que quer da própria vida. Eu costumo perguntar aos meus clientes qual o propósito de suas vidas e muitos têm grande dificuldade para responder. As pessoas não estão acostumadas a pensar e falar de si mesmo.  Pois é por aí que precisamos começar, não dá para esperar que o sucesso nos bata à porta.

 

Tomada de Consciência

O primeiro passo para a mudança é tomar consciência sobre si mesmo e, então, sobre o que precisa ser mudado. Você já sabe que está insatisfeito, agora precisa determinar o que lhe causa esse sentimento: o que afeta negativamente a sua vida, o que o impede de focar em seus sonhos, o que limita você para suas realizações. Ter essa consciência é essencial no processo de mudança ou você vai continuar achando que a culpa por sua insatisfação é dos outros ou das circunstâncias e, claro, vai continuar desgostoso.

 

Vontade

O segundo passo é desenvolver força de vontade para operar as mudanças necessárias. Parece simples, mas não é. O ser humano, de forma geral, tem dificuldade de sair da zona de conforto e enfrentar situações inusitadas. Mesmo insatisfeito tem receio de inovar e se sente muito inseguro diante do inédito. É preciso romper essa barreira mental, substituindo crenças negativas sobre si mesmo e a vida. A busca de melhoria funciona como uma força motora que nos empurra para frente.

 

Persistência

Se você tiver consciência do que precisa mudar, ter disposição para isso, mas não persistir diante das dificuldades, então suas frustrações serão cada vez maiores. Persistir é acreditar em si mesmo, assumir o poder diante da própria vida. É saber que você pode transformar em realidade seus objetivos com disposição e autoconfiança. É crer na força de seus desejos e insistir por realizá-los.

 

A grande armadilha da mudança é a falta de comprometimento com as próprias decisões. Não caia nessa: você decide; você faz!

3 passos para o SUCESSO2020-09-14T21:45:37+00:00
19 04, 2020

Não deixe de sonhar

2020-04-26T04:33:42+00:00

Vivemos uma crise na saúde que, inevitavelmente, atinge todos os níveis das nossas vidas: financeiro, econômico, relacional, político, mental… Tempos difíceis, momento de graves revelações que têm desorientado todos os setores da sociedade. Diante desse quadro vemos muitas pessoas desanimadas, com medo e falta de esperança no futuro, ou seja, soma-se uma crise existencial, pessoal que pode tomar proporções inimagináveis.

 

Claro que lidamos com uma situação inusitada e assustadora, mas o fato é que, ainda assim, vale o ditado: O problema não é o problema e sim a forma como lidamos com ele. Não é a crise que provoca o negativismo e sim a forma de encará-la. Tanto é verdade que muitas pessoas criam novas possibilidades, vencem as dificuldades e prosperam em meio a crises. E isso sempre aconteceu na história da humanidade e vai acontecer agora também. Para tanto precisamos focar na superação, criando novas possibilidades de vencer nossas dificuldades e a de quantos pudermos ajudar.

 

Nesse momento de transição algumas dicas podem ajudar:

Não absorva informações negativas

Não se trata de fechar os olhos para a realidade, mas excesso de informação pode ser muito tóxico. Melhor focar na saúde física e mental. É difícil não se entristecer com a dor de quem perde um ente querido ou o ganha pão. Como não se indignar com tantos absurdos que estamos presenciando. De qualquer forma, não tem sentido trazer esse negativismo para a nossa vida e das pessoas que convivem conosco. Seja filtro e não esponja!

Trabalhe seus pontos fracos

Uma mente brilhante tem consciência de que não domina tudo e está sempre aberta a novos aprendizados. Para dar vida a seus sonhos você precisa detectar o que precisa ser mudado em seu comportamento. Crise é oportunidade de crescimento quando transformada em desafio. É fundamental buscar subsídios para enfrentar as dificuldades, um processo de melhoria constante.

Substitua pensamentos e hábitos negativos

Durante toda a nossa vida vamos acumulando crenças que nos limitam e, consequentemente, nos prejudicam. A ideia é substituí-las por crenças positivas, ou seja, que nos motivem e impulsionem a agir. Tudo começa pelo pensamento, portanto, o primeiro passo é pensar positivo. Acostume-se a trocar cada pensamento, palavra e ação que prejudica você ou qualquer pessoa, por algo que engrandeça, isso terá um efeito excepcional na sua vida.

Tenha atitude

Quando alguém me procura para sessões de Coaching eu vou logo explicando que essa metodologia é fantástica, mas só funciona com quem tem atitude. Não adianta ter um sonho se você não é capaz de realizá-lo e não se dispõe a se capacitar. É preciso fazer um plano de ação em direção aos objetivos desejados, mas é fundamental agir com foco e determinação.

 

Não adianta perder energia reclamando, a pandemia é uma realidade que vai mexer no bolso de todo mundo. Precisamos pensar em preservar vidas, a economia seremos capazes de reverter com criatividade e trabalho eficiente. Encarar que teremos que empreender diferente para superar as dificuldades econômicas que, fatalmente, virão. Uma mente vencedora não permite que seu brilho se desfaça, que o desânimo se aninhe ou que forças negativas a envolva. Transformar a própria mente em vencedora é um trabalho árduo, mas, efetivamente, vale muito a pena!

Suely Buriasco

Não deixe de sonhar2020-04-26T04:33:42+00:00
22 09, 2019

O que o Coaching NÃO faz por você

2019-09-22T16:24:32+00:00

Por conta do crescimento do movimento e da busca da regulamentação da profissão no Brasil, muito se tem falado sobre o Coaching. Opiniões positivas e negativas têm se tornado comuns.

Um artigo publicado na Start-Up Magazine afirmou que o coaching é a segunda profissão que mais cresce no mundo. Assim, como coach, acredito que seja importante esclarecer o que o Coaching não faz por você.

  1. Mágica

O Coaching é ciência e, como tal, não faz prodígios. Então se você acredita que fazendo um curso de uma semana, mesmo acrescido de módulo online e trabalho final, você está pronto para aplicar sessões, devo lhe informar que está muito enganado. O pior é que esse engodo pode ser muito perigoso, afinal atender um cliente (coachee) sem o devido preparo pode provocar um resultado, no mínimo, reverso ao esperado.

O Coaching como profissão exige muito estudo e preparo, uma busca de melhoria contínua, afinal essa é a busca que o coach precisa inspirar no coachee e ninguém dá o que não tem. O Coaching como profissão exige muito estudo e dedicação. Tipo 1% de inspiração e 99% de transpiração. Há que se dispor ao autoconhecimento e crescimento interior.

  1. Milagre

Vejo alguns anúncios que assustam e provocam escárnio em relação a classe. Hoje tem coach para tudo, o que é muito bom, desde que seja edificado de forma verdadeira e ética. Não dá para prometer que o treino provoque milagre na vida da pessoa. A mudança é difícil para todo ser humano, treinar a alteração de um comportamento não é tarefa fácil. É possível, mas não depende unicamente do treinamento. O coach basicamente tem a função de auxiliar o coachee ou cliente a determinar suas crenças limitantes, a causa do que tem impedido o seu crescimento e, depois, apresentar ferramentas úteis para as mudanças necessárias. No entanto, o uso dessas ferramentas depende, exclusivamente, do coachee. Eu costumo fazer a analogia do treinamento físico; o treinador ensina os exercícios, mas se o cliente não fizer, não terá o resultado físico esperado. É a mesma coisa com o Coaching.

  1. Terapia

O Coaching não cura traumas, não trabalha com hipnose ou qualquer tipo de terapia holística ou não. É possível que pessoas ligadas à outras áreas acrescentem ferramentas do Coaching em suas ações, mas é preciso separar as coisas. As terapias são funções de profissionais habilitados para a sua execução, são pessoas ligadas à área de saúde. O Coaching é um treinamento para melhoria das habilidades. Assim, um psicólogo por exemplo, pode fazer Coaching, ou seja, usar suas ferramentas, mas o coach jamais pode fazer terapia. É importante que isso fique bem claro para o coachee.

Então se você quer ser um coach comprometa-se com o seu desenvolvimento em todos os sentidos. Entenda a necessidade do autoconhecimento antes de se colocar no papel de ajudar pessoas a se autoconhecerem. Tenha em mente que você precisa estar pleno em seus ideais, o que significa estar em constante crescimento.

E se você quer ser um coachee lembre-se da importância de procurar um profissional habilitado, vale fazer pesquisas e buscar indicações. E, então, lembre-se que não há milagre no método, você tem que se dedicar, se comprometer e se colocar na posição de quem quer que a mudança aconteça de forma efetiva e contínua.

O fato é que o Coaching é um método comprovadamente eficaz e de resultados satisfatórios e rápidos. Mas, como em qualquer outra profissão, precisa ser aplicado de forma segura.

 

 

O que o Coaching NÃO faz por você2019-09-22T16:24:32+00:00
24 06, 2019

Como desenvolver bem-estar na vida?

2019-06-26T12:17:58+00:00

Temos muitas ilusões em relação ao nosso bem-estar. Um deles é que nosso humor depende de situações exteriores, então acredita-se que há motivos para estarmos bem ou não. Até pode ser assim, mas só se estivermos desavisados. Na verdade, independente dos motivos podemos criar um plano de ação à favor do nosso próprio bem estar.

O foco do Coaching, ou treinamento, é contribuir para que o coachee, ou cliente, possa elevar o bem-estar em todos os aspectos de sua vida. É importante lembrar também que o coach, ou treinador, trabalha em parceria colaborativa com seu cliente. Por isso os planos de bem-estar levam em consideração alguns aspectos fundamentais e são adaptados a cada indivíduo.

Se isso interessa você, atenção aos itens:

1- Conscientização

É essencial estar consciente da importância de desenvolver um estilo de vida saudável, alinhar objetivos, valores e propósitos.

2 – Autodeterminação

Nada acontecerá enquanto não representar a sua vontade genuína, é preciso que esteja claro que seus objetivos são seus e não fruto de pressões externas.

3- Planejamento

É preciso criar um plano prático e viável visando as mudanças que deseja para ter um estilo de vida mais saudável.

4- Atitude Mental

Não basta ter vontade, é preciso agir e mais ainda, persistir. Para tanto vale desenvolver atitude mental resiliente e confiante.

5- Forças

Um dos trabalhos mais interessantes do coach é determinar, junto com o cliente, as suas forças e como utiliza-las no processo de mudança comportamental, não apenas para aumentar a possibilidade de êxito, como também tornar o processo de treinamento mais prazeroso.

6- Autoeficácia

Elevar a convicção da própria capacidade de realizar uma tarefa específica faz toda a diferença no processo de desenvolvimento do bem-estar de qualquer pessoa. Assim é possível identificar e superar as barreiras que o impedem de manter um estilo de vida saudável.

7-  Otimismo

Importante em qualquer processo de crescimento interior é aumentar os níveis de otimismo e esperança. A disposição pelo otimismo também pode ser desenvolvida através de treinamento.

O papel do coach ou treinador é elevar a eficácia do cochee ou cliente de forma que  ele continue a operar as mudanças necessárias mesmo depois de encerrado o processo do Coaching.

 

 

Como desenvolver bem-estar na vida?2019-06-26T12:17:58+00:00
1 04, 2019

Pelas inúmeras óticas humanas

2019-04-01T20:58:55+00:00

Imagens me seduzem, em especial as que provocam ilusão de ótica, acho muito interessante poder ver várias imagens numa só e admiro a criatividade de quem as cria assim. Com certeza tem tudo a ver com a forma que interpretamos o que vemos e sentimos, cada pessoa é um universo particular com incontáveis possibilidades diferentes.

Esse final de semana deparei-me com uma alegre discussão sobre ser ou não uma pessoa sistemática. Cada um dizia de sua própria interpretação e, como é de meu gosto, fiquei a observar a variedade de conotações que se pode dar a uma mesma qualificação, bem como as diferentes nuances que se inserem na forma como vemos o outro e o qualificamos.

Sistemático tem como significado nos dicionários como “que segue um sistema”, “que é metódico ou ordenado” e ainda “constante e persistente”. Assim uma pessoa sistemática é alguém organizado, meticuloso, que tem uma forma de agir pautada num sistema, ou seja, que segue uma mesma rotina em determinada atividade.

Ser sistemático é uma qualidade ou um defeito? Esse enquadre rendeu muito na discussão que eu observava; às vezes pode ser bem divertida a velha mania de “coisificar”, interpretar e dar significados próprios a tudo. Mas o fato é que ser sistemático não é , necessariamente, nem um defeito ou qualidade e sim uma forma de ser e agir. Ser sistemático pode ser muito produtivo e benéfico quando a pessoa se adapta bem às rotinas e se compraz em cumpri-las, desde que não se torne inflexível, levando em consideração apenas o sistema por ela determinado.

Uma pessoa pode ser sistemática na maneira como conduz a própria vida, mas tolerante e paciente com a forma alheia, não impondo e se adaptando ao outro no sentido de favorecer a convivência. Em contrapartida, uma pessoa sistemática pode, ao contrário, ser alguém avesso à ouvir e aceitar outras formas de viver e agir, dessa forma se torna intolerante e de difícil convivência. Assim, a meu ver, a grande questão não é em ser sistemático ou não, mas em ser uma pessoa tolerante ou não.

O melhor mesmo é poder discutir ideias, compreender conceitos diferentes e debater argumentos, com o propósito de conhecer e respeitar as inúmeras óticas humanas. A complexidade do ser humano é fantástica e admirável!

Bom seria se toda diferença de ponto de vista se tornasse motivo de entendimento e discussão alegre e respeitosa.

Pelas inúmeras óticas humanas2019-04-01T20:58:55+00:00
8 05, 2017

3 condições para se tornar uma pessoa bem sucedida

2017-05-08T20:31:22+00:00

Como ser uma pessoa bem sucedida na vida? De formas variadas escuto essa pergunta de quase todas as pessoas que procuram o Coaching como forma de melhorar suas habilidades e ter maior satisfação pessoal e profissional. Sem dúvida a pergunta é muito boa e merece maior atenção, por isso resolvi enumerar algumas condições básicas.

Antes de continuarmos, penso que seja oportuno refletir sobre o que faz uma pessoa ser bem sucedida e é muito compreensível que esse conceito varie de pessoa para pessoa. Achei interessante uma concepção que ouvi de um cliente: “Muita gente confunde pessoa bem sucedida com rica e famosa. Ser bem sucedido é ter prazer pelo trabalho, é sentir-se bem espiritualmente e com auto-estima”. No entanto, independentemente da sua concepção, acho que podemos concordar que uma pessoa bem sucedida é alguém que se sente bem consigo mesmo, certo?

Como coach ou treinadora trabalho algumas condições para que a pessoa se sinta apta a se tornar uma pessoa bem sucedida. Enumero três básicas:

  1. Acreditar que você pode ser e fazer diferente

Autoconfiança é fundamental para a motivação de mudar resultados. É preciso estar apto para tomar novas decisões que, consequentemente, provocarão a transformação que você almeja em sua vida. Acreditar com sentimento e razão. Melhorar a sua autoestima através da reflexão e do autoconhecimento é, pois, o primeiro passo no caminho de se tornar uma pessoa bem sucedida.

  1. Adquirir conhecimento

Aprender constantemente, aprimorar conhecimentos, buscar melhoria contínua e ininterrupta. Para tanto é essencial entender que a excelência não é a perfeição, e sim, a certeza de que é preciso aprender sempre mais. Avista-se novos horizontes quando se alcança o pico. Assim como definiu Sócrates: “Só sei que nada sei, e o fato de saber isso, me coloca em vantagem sobre aqueles que acham que sabem alguma coisa”.

  1. Prática e repetição

Mas também não basta saber: é fundamental saber fazer. Colocar os conhecimentos em prática de forma repetitiva até que se transformem em comportamentos. Todo treinamento exige repetição, muitas vezes até a exaustão. Uma pessoa bem sucedida já entendeu que a sua mente tem poder para transformar o seu próprio mundo e se coloca no trabalho de desenvolver suas habilidades.

O Coaching trabalha essas condições com ferramentas eficazes que facilitam sobremaneira a capacitação e o empoderamento pessoal. A motivação surge pela dor ou pelo prazer, embora, a dor movimente muito mais. De qualquer forma, o importante é aceitar o desafio de sair do automático e enfrentar as próprias necessidades. Tornar-se uma pessoa bem sucedida exige esforço e dedicação, mas o resultado é extremamente compensador.

 

Suely Buriasco

Coaching e Mediação de Conflitos

www.suelyburiascocom.br

3 condições para se tornar uma pessoa bem sucedida2017-05-08T20:31:22+00:00
9 01, 2017

6 atitudes simples que farão seu ano mais feliz

2017-01-09T15:53:12+00:00

Suely Buriasco

A tendência em acreditar que a virada do ano renova a vida é muito grande, o problema é que os acontecimentos não obedecem essa ordem e, muitas vezes, acabamos desestimulados. Nada será diferente a não ser que façamos diferença através de nossos próprios atos.

Algumas atitudes são fundamentais para fazer de 2017 um ano realmente feliz:

  1. Aproxime-se de você mesmo

Todas as obrigações diárias acabam nos distraindo do que realmente importa. Comece esse ano com a disposição de olhar mais para si mesmo, buscando autoconhecimento. Dê atenção a sua autoestima, procure agir de forma a se sentir bem consigo mesmo. Cuide do físico, mas não se esqueça do intelectual; leia bons livros, faça cursos, aprimore sua mente.

  1. Seja gentil

A gentileza é fonte profunda de bem-estar. Seja tolerante e paciente. Aja de forma afável com as pessoas, sejam elas do seu convívio ou estranhas. Tenha sempre um sorriso natural, uma palavra estimulante, um cumprimento cortês. Acredite: pequenas gentilezas transformam vidas.

  1. Cuidado com as comparações

Não compare a sua vida com a de ninguém e vice-versa. Entenda e respeite a sua individualidade e a dos outros. Cada pessoa está vivendo o seu momento exato, no lugar certo e com as pessoas que, de alguma forma, atraiu. Ninguém é mais ou menos feliz que outro, cada um vive da forma que conduz a própria vida. Entenda isso.

  1. Controle o uso do celular

O celular e tudo o que ele oferece é muito interessante, mas exige cuidado para não se transformar em um vilão da sua saúde e de seus relacionamentos. Procure não usá-lo em ambientes sociais para dar mais atenção as pessoas e abstenha-se peremptoriamente de levá-lo para a cama, você vai adormecer mais rápido e dormir melhor. A sua saúde física e mental agradece.

  1. Estreite laços

Nada mais revigorante do que conviver com pessoas amadas, portanto, não se distraia delas. Procure inserir novas e arrebatadoras paixões nos seus relacionamentos. Ame muito e desfrute o melhor da vida, pois, tudo só valerá à pena se você tiver com quem dividir suas alegrias, seu sucesso e suas tristezas também.

  1. Cultive a gratidão

Quando aprendemos a enaltecer o bom e o belo, priorizamos isso na nossa vida. Por isso a pessoa grata é mais feliz e o contrário também é verdadeiro. Como escreveu Victor Hugo: ” Os infelizes são ingratos; isso faz parte da infelicidade deles”. Desenvolva a gratidão em pequenas doses de agradecimento diário e verá quantas coisas boas terá por agradecer durante o ano.

Suas atitudes definirão a qualidade do seu ano novo. E então, topa construir um ano feliz?

 

6 atitudes simples que farão seu ano mais feliz2017-01-09T15:53:12+00:00
WhatsApp chat